Página 1 dos resultados de 1599 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

‣ Actividade física habitual em crianças pré-púberes. Diferenças entre rapazes e raparigas

Lopes, Vítor P.; Monteiro, A.M.; Barbosa, Tiago M.; Magalhães, Pedro M.; Maia, José A.R.
Fonte: Universidade do Porto. Faculdade de Ciências do Desporto e de Educação Física Publicador: Universidade do Porto. Faculdade de Ciências do Desporto e de Educação Física
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
78.300176%
O objectivo central deste estudo foi caracterizar o perfil da actividade física de crianças de ambos os sexos, de uma escola da cidade de Bragança, ao longo de 4 dias. A amostra foi constituída por 14 raparigas e 11 rapazes de 9,5±0,6 anos de idade. A actividade física foi avaliada através do monitor de actividade física CSA 7164, ao longo de 4 dias consecutivos, dois dias de semana – Segunda e Sexta, e dois dias de fim de semana – Sábado e Domingo. O CSA foi colocado no punho do braço não dominante. Após a colecta dos dados foi calculada a média de contagens por minuto em cada dia e em cada hora. A MANOVA de medidas repetidas foi utilizada para analisar as diferenças entre sexos, entre os dias e entre as horas em cada dia na intensidade de actividade física. O coeficiente de correlação intraclasse (R) foi utilizado para analisar a variabilidade intraindividual na actividade física habitual. Os resultados indicam diferenças significativas entre a intensidade de actividade física dos dias de semana e o fim de semana. Não se verificaram diferenças significativas entre os rapazes e as raparigas. Ocorreu uma grande variabilidade intraindividual na actividade física habitual, especialmente no fim de semana.

‣ A importância do estudo do tracking (estabilidade e previsão) em delineamentos longitudinais: um estudo aplicado à epidemiologia da actividade física e à performance desportivo-motora

Maia, José A.R.; Seabra, André; Lopes, Vítor P.; Silva, R.G.
Fonte: Universidade do Porto. Faculdade de Ciências do Desporto e de Educação Física Publicador: Universidade do Porto. Faculdade de Ciências do Desporto e de Educação Física
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
77.74451%
Esta pesquisa pretende demonstrar a importância do estudo do tracking em investigação epidemiológica e da performance desportivo-motora. A partir de dois conjuntos de dados é apresentado o problema, a sua relevância e essência analítica. No primeiro estuda-se o tracking da participação em actividade física (i.e., práticas desportivas generalizadas) a partir de informação proveniente de 588 sujeitos seguidos longitudinalmente dos 12.7 aos 17.7 anos. Foi utilizado um modelo quasi-simplex, que evidenciou a elevada estabilidade da prática desportiva, bem como o valor moderado a elevado das trajectórias interindividuais. No segundo estudo recorremos a informação proveniente de 12 saltadores em comprimento, a partir da sua melhor marca em seis anos consecutivos. Recorreu-se ao conceito de canalização a partir dos procedimentos propostos por Cohen, e Foulkes e Davies. Os resultados salientaram um fraca estabilidade da performance no tempo, bem como o seu carácter não-linear. Em conclusão há que salientar três aspectos fundamentais: o primeiro radica na necessidade do uso de novos procedimentos para pesquisar o fenómeno do tracking; o segundo sugere a forte estabilidade e tracking moderado a elevado na prática desportiva ao longo da adolescência; o terceiro salienta a fraca canalização da performance dos saltadores...

‣ Heterogeneidade nos níveis de actividade física de crianças dos 6 aos 12 anos de idade. Um estudo em gémeos.

Maia, José A.R.; Silva, R.G.; Seabra, André; Lopes, Vítor P.
Fonte: Universidade do Porto. Faculdade de Ciências do Desporto e de Educação Física Publicador: Universidade do Porto. Faculdade de Ciências do Desporto e de Educação Física
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
78.22196%
Esta pesquisa pretende estabelecer a importância dos efeitos genéticos e do envolvimento na heterogeneidade dos valores de actividade física, em crianças com idades compreendidas entre os 6 e os 12 anos de idade. Com base numa amostra de 101 pares de gémeos monozigóticos e dizigóticos, foram estimadas as magnitudes das variâncias devidas a efeitos genéticos e do envolvimento nos níveis de actividade física, avaliados a partir do questionário de Godin e Shephard (11), depois de removidos os efeitos das covariáveis idade e sexo. Recorreu-se aos procedimentos habituais em estudos gemelares, como sejam o cálculo da correlação intra-classe (t) e da heritabilidade (h2). Foi utilizado o software Systat 10. Os principais resultados e conclusões sugerem: (1) o valor baixo de h2 na actividade física ligeira (34%) e intensa (24%), implicando que cerca de 1/4 das diferenças inter-individuais nos níveis de actividade física sejam devidas a efeitos genéticos; (2) o valor elevado da influência do envolvimento comum (familiar, amigos, professores e outros significantes), i.e., de 66% a 82%, e que remete para os pais, amigos e professores (de Educação Física e outros) um fortíssimo papel pedagógico na implementação de hábitos moderados a intensos de actividade física e estilos de vida mais saudáveis.

‣ Associação dos níveis de actividade física habitual com a coordenação motora, as habilidades motoras e a aptidão física em crianças

Lopes, Vítor P.; Gouveia, J.; Rodrigues, Luis Paulo
Fonte: Universidade do Porto. Faculdade de Ciências do Desporto e de Educação Física Publicador: Universidade do Porto. Faculdade de Ciências do Desporto e de Educação Física
Tipo: Parte de Livro
Português
Relevância na Pesquisa
77.845186%
O nível de actividade física habitual (AF) é um factor importante na prevenção de uma série de doenças crónicas. Supõe-se que os hábitos de AF que se instalam durante a infância poderão perdurar até à idade adulta, contudo não estão esclarecidos quais os factores associados à adesão à prática de AF. O objectivo foi estudar os efeitos da coordenação motora (CM), das habilidades motoras (HM) e da aptidão física (ApF) no nível de AF habitual em crianças. A amostra foi constituída por 143 crianças (meninas n = 69, meninos n = 74) com idades compreendidas entre os 4 e os 9 anos. Foi utilizada a bateria Fitnessgram para avaliar a ApF. A coordenação motora foi avaliada através da bateria KTK. As HM foram avaliadas com a bateria TGMD2. A AF foi avaliada através de pedometria, tendo sido registado o número de passos ao longo de uma semana completa. Para análise foi considerada a média diária de passos. Foi realizada uma regressão múltipla passo-a-passo, tendo a AF como variável dependente. De todas as variáveis apenas a avaliação locomotora da bateria de habilidades motoras TGMD2 foi retida como preditor dos níveis de AF. A variância explicada é baixa (1%).

‣ Relação entre níveis de actividade física, forma muscular isométrica e composição corporal numa amostra de jovens adultos a frequentar o ensino superior

Preto, Leonel; Novo, André; Mendes, Eugénia; Fim, Ana; Moura, Teresa; Réfega, Vera; Lobo, Joana
Fonte: Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Viseu Publicador: Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Viseu
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Português
Relevância na Pesquisa
68.355454%
A importância da actividade física na promoção da saúde e bem-estar da população jovem adulta é evidenciada por vários estudos epidemiológicos. A crescente incidência neste grupo populacional de patologias cardiovasculares e metabólicas, doenças degenerativas e obesidade tem sido relacionada com uma variável epidémica e comportamental chamada sedentarismo e vulgarmente apelidada de “doença do século”. A actividade física regular poderá contribuir para o desenvolvimento da força muscular, da qualidade dos tecidos moles e da massa óssea, e para a diminuição da gordura corporal. A adesão precoce à actividade física regular e outros estilos de vida saudáveis tenderá a ser incorporada ao longo da vida e transferida para idades posteriores, com ganhos visíveis em saúde e qualidade de vida. Neste estudo avaliámos o nível de actividade física (NAF), força muscular (FM) e composição corporal (CP) em 50 estudantes do ensino superior com objectivo diagnóstico relativamente à actividade física e saúde. A actividade física foi avaliada mediante a aplicação da versão curta do IPAQ (International Physical Activity Questionnaire). Ao nível da capacidade muscular avaliámos a força de preensão de ambas as mãos com dinamómetro. A força de preensão em pinça relativa à oponência do polegar ao indicador foi avaliada através de dinamómetro digital. A força máxima isométrica dos quadricípites...

‣ Actividade Física e Cefaleias

Félix, Luís Miguel
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Português
Relevância na Pesquisa
68.41663%
O exercício físico está frequentemente associado à actividade física, havendo um tipo de cefaleia descrito na Classificação Internacional de Cefaleias (2004), a cefaleia primária do exercício, que lhe está totalmente associado, existindo outras cefaleias desencadeadas ou agravadas pela actividade física mas cuja caracterização não tem sido feita. Assim, este trabalho pretendeu estudar a prevalência das cefaleias em duas Faculdades onde o exercício tem papéis de diferente importância, bem como caracterizar o papel da actividade física nas cefaleias primárias. Desenvolveu-se e aplicou-se um questionário baseado em Pereira Monteiro (1995), tendo sido adaptado aos critérios de diagnóstico das cefaleias da Internacional Headache Society (2004). Este questionário foi validado e aplicado a 400 estudantes das Faculdades de Medicina e Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra. Obtivemos 157 questionários correctamente preenchidos (39,3 %), 71 da Faculdade de Medicina (FM) e 86 da Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física (FCDEF). Dos estudantes com cefaleias (63 da FM e 63 da FCDEF), 40 e 19 são do sexo feminino 88,7% dos estudantes de Medicina e 73,3% dos estudantes de Ciências do Desporto e Educação Física...

‣ Bem-estar subjectivo, auto-estima e autopercepções no domínio físico em idosos : estudo comparativo entre idosos praticantes e não praticantes de actividade física regular

Leandro, Carlos José Duarte
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
68.42241%
O estudo do bem-estar subjectivo, da auto-estima e das autopercepções no domínio físico em populações idosas, em Portugal, é reduzido, designadamente na comparação entre idosos activos e sedentários. Verifica-se actualmente, que o número de idosos praticantes de actividade física está a aumentar, porém ainda é insuficiente em relação aos que se encontram sedentários. Este facto é ainda mais relevante quando se sabe os inúmeros benefícios que um estilo de vida activo pode ter, nomeadamente ao nível fisiológico, psicológico e social. Considerando a importância que o nível psicológico tem na qualidade de vida de um idoso, foi nosso objectivo realizar uma investigação para analisar se a prática de exercício físico influencia os níveis do bem-estar subjectivo, da auto-estima e das autopercepções dos idosos. Pretendemos também com a realização desta investigação, observar se o modo como os idosos activos praticam a sua actividade física, influência as suas componentes psicológicas, anteriormente referidas. Para tal, o estudo baseou-se numa amostra constituída por 164 indivíduos, habitantes no Concelho de Santarém, com idades compreendidas entre os 65 e os 83 anos, dos quais 90 indivíduos são do género feminino e os restantes 74 são do género masculino. Da totalidade da amostra (N=164)...

‣ Implicações da prática de videojogos de nova geração na actividade física de crianças; Implications of the new generation videogames’ practice in the children’s

Viana, Paulo Sérgio da Silva
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 22/12/2009 Português
Relevância na Pesquisa
68.355454%
Dissertação de mestrado em Estudos da Criança (área de especialização em Tecnologias da Informação e Comunicação); Actualmente existe na literatura uma crescente evidência de que a prática de actividade física regular é benéfica para a saúde. Uma nova geração de videojogos de tipo activo procura promover uma maior interacção e movimento durante a sua prática. Consequentemente, os criadores deste tipo de videojogos afirmam que estes são um útil contributo para a promoção da actividade física nas crianças. O presente trabalho consta de dois estudos cujos objectivos foram: no primeiro estudo, identificar os níveis de actividade física e de dispêndio energético durante a prática de videojogos de tipo activo (EyeToy); no segundo estudo, identificar os níveis de actividade física e de dispêndio energético obtidos durante a prática de aulas de Educação Física. O primeiro estudo contou com a participação de 22 alunos com uma idade média de 13,5±0,8, no segundo estudo participaram 56 alunos com uma idade média de 12,6±0,95. A actividade física foi avaliada por um monitor de frequência cardíaca (polar AXN 500) e, no caso da actividade de videojogos, também pela aplicação da Escala de Borg de 6-20 pontos. Os resultados de ambos os estudos indicam a obtenção de níveis de actividade física (> 6 Mets) e de dispêndio energético (> 6 kcal/m) relevantes. Resultante da aplicação da escala de Borg...

‣ Livro Verde da Actividade Física

Baptista, Fátima; Silva, Analiza; Santos, Diana; Mota, Jorge; Santos, Rute; Vale, Susana; Ferreira, José; Raimundo, Armando; Moreira, Helena
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Livro
Português
Relevância na Pesquisa
68.48891%
Tendo em vista a concepção e a implantação de estratégias de promoção da actividade física e consequentemente da saúde e da capacidade funcional, o Observatório Nacional da Actividade Física e do Desporto procedeu à avaliação de 6299 portugueses de 10 ou mais anos de idade com funcionamento físico independente, de ambos os sexos, em 18 distritos de 5 zonas de Portugal Continental (NUTS II), entre 2006 e 2009. A actividade física foi avaliada através de acelerometria e expressa através de diferentes variáveis, donde se destaca o tempo médio total e por períodos iguais ou superiores a 10 minutos de actividade física diária de intensidade moderada e vigorosa, por constituir a principal medida de comparação com as recomendações da actividade física para a saúde (health-enhancing physical activity-HEPA). Os acelerómetros foram utilizados durante 4 dias consecutivos e foram considerados válidos os registos de actividade física efectuados em pelo menos 3 dias, dos quais 2 dias de semana e 1 dia de fim- -de-semana, com pelo menos 10 horas de registo por dia. Considerando estas condições, foram incluídos os registos de 5231 participantes. De acordo com as recomendações para a prática de actividade física publicadas por diversas entidades...

‣ Influência do género e da actividade física na motivação para a prática da actividade física

Varela, Rafael Pardal
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
68.34166%
Objectivo: Estudar a influência do género e da actividade física na motivação para a prática da actividade física. Amostra: Os participantes do estudo foram 64 alunos, 34 do género feminino e 30 do género masculino, de dois estabelecimentos de ensino (um privado e um público), com idades compreendidas entre os 12 e os 15 anos de idade frequentando o 7º, 8º e 9º ano de escolaridade. Metodologia: Foram utilizados dois instrumentos de medida. O questionário BREQ-2 (Behavioural Regulation in Exercise Questionnaire-2), para a medição das diferentes dimensões do continuum motivacional e do índice de autodeterminação (IAD), e o acelerómetro uniaxial GT1M da MTI Actigraph para avaliar a prática da actividade física (min) durante 3 dias. Conclusões: O género não é um factor explicativo da variação da motivação para a prática da actividade física. Existe uma associação positiva entre a actividade física e a motivação para a prática da actividade física (IAD, regulação intrínseca e regulação identificada). O género masculino tem maior actividade relativamente ao género feminino, o que resulta numa maior motivação para a prática da actividade física; ABSTRACT: Objective: To study the effect of gender and physical activity in the motivation for physical activity. Sample: Study participants were 64 students...

‣ Níveis de actividade física habitual em crianças obesas sujeitas a um programa de exercício

Aires, L.; Santos, P.; Ribeiro, J.; Rego, C.; Mota, J.
Fonte: Revista Nacer e Crescer Publicador: Revista Nacer e Crescer
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2004 Português
Relevância na Pesquisa
68.37146%
RESUMO Este estudo tem como objectivo analisar as diferenças nos níveis de actividade física: 1) em dias úteis com sessões de actividade física orientada; 2) dias úteis sem sessões de actividade física orientada e 3) fim-de-semana. A amostra é constituída por 35 crianças e adolescentes (18 rapazes e 17 raparigas) com excesso de peso e obesidade, com idades compreendidas entre os 6 e os 14 anos, recrutadas de um grupo de atendimento hospitalar e participantes no Projecto ACORDA. O Acelerómetros foi utilizado como medida objectiva da actividade física habitual, durante 7 dias consecutivos. Os resultados mostram que os dias úteis com aula têm um volume superior e estatisticamente significativo (p≤0,05) de actividade (counts.min-1) em relação aos dias úteis sem aula e fim-desemana. A percentagem de tempo despendido em actividades moderadas, vigorosas e muito vigorosas (MVMV) nos dias úteis com aulas é superior à dos dias úteis sem aulas e ao fim de semana sem, contudo, apresentar diferenças estatisticamente significativas. Verifica- -se ainda uma homogeneidade dos padrões de actividade nos dias úteis com e sem intervenção e no fim-de-semana, com um pico de intensidade entre as 17h e às 19h no momento de actividade programada. Os resultados sugerem que um programa de actividade física pode ajudar a aumentar os níveis de actividade física em crianças obesas...

‣ Caracterização e Determinantes da Prática de Actividade Física Durante a Gravidez e Pós-Parto

Rodrigues, Diana
Fonte: Escola Superior de Desporto de Rio Maior Publicador: Escola Superior de Desporto de Rio Maior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 30/12/2010 Português
Relevância na Pesquisa
68.336562%
Dissertação para a obtenção do grau de Mestre em Desporto, especialização em Condição Física e Saúde, por Diana Raquel Gouveia Rodrigues. Orientadora:Professora Doutora Rita Alexandra Prior Falhas Santos Rocha; Com o presente estudo pretendeu-se observar o padrão de actividade física na mulher antes, durante e depois da gravidez, e os determinantes que levam à prática. A amostra foi constituída por 46 mulheres entre os e os 24 e os 39 anos, que se encontravam entre o 2.º e o 6.º mês do pós-parto. Foi aplicado um questionário de modo a avaliar o padrão de actividade física das mulheres durante a gravidez e no pós-parto, e as determinantes para a prática de actividade física. A maioria das mulheres reportou a realização de algum tipo de actividade física em todos os períodos, no entanto verifica-se um decréscimo no índice de actividade física durante a gravidez, particularmente nas modalidades que envolvem maior intensidade e impacto, como a corrida na rua e passadeira. A marcha na rua no entanto ocupa a maior média de realização de actividade física no terceiro trimestre com 38% de referências. A dor lombar foi o sintoma mais indicado pelas participantes ao longo de todas a gestação. As mulheres que eram activas antes da gravidez...

‣ Actividade física e qualidade de vida na gravidez

Tendais, Iva; Figueiredo, Bárbara; Mota, Jorge
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2007 Português
Relevância na Pesquisa
68.355454%
Pouco se conhece acerca da actividade física e qualidade de vida da mulher na gravidez. Este estudo teve como objectivos 1) comparar os padrões de actividade física antes e durante a gravidez, 2) avaliar a percepção da qualidade de vida relacionada com a saúde durante os primeiros seis meses de gestação, e 3) comparar a percepção da qualidade de vida nas mulheres activas e insuficientemente activas considerando as recomendações de saúde pública. Método: Estudo longitudinal com 59 grávidas seleccionadas em consultórios médicos privados. Às 10-15 semanas foi recolhida informação socio-demográfica e médica, bem como informação sobre a actividade física três meses antes da concepção. Medidas de auto-relato foram administradas entre as 10-15 semanas e as 19-24 semanas de gestação para avaliar o tempo de actividade física (QAFG) (no trabalho, lazer, deslocações) e a qualidade de vida (SF-36). Resultados: A prevalência de actividade física recomendada é menor durante do que antes da gravidez (16.7% e 17.5% nos 1.º e 2.º trimestres, respectivamente vs. 47.4% antes da gravidez). Com a gravidez, não se verificaram alterações no tempo médio em diferentes tipos de actividade física, mas a actividade física no lazer registou uma diminuição significativa no 1.º trimestre face ao período anterior à concepção. Em comparação com uma amostra normativa de mulheres portuguesas...

‣ Caracterização da actividade física nos idosos e a sua relação com a capacidade física, em pessoas com mais de 75 anos

Romão, Mónica Sofia Venâncio Alves
Fonte: Faculdade de Ciências Médicas. UNL Publicador: Faculdade de Ciências Médicas. UNL
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
68.48254%
RESUMO: Objectivo: O presente estudo tem como objectivo caracterizar os níveis de actividade física das pessoas com mais de 75 anos e analisar a sua relação com as diferentes componentes da aptidão física. Enquadramento: A actividade física é indispensável para todos mas, os idosos é quem mais beneficia (Fischer, 2005). Actua na prevenção e na reabilitação, fortalecendo a aptidão física, e a autonomia do idoso, permitindo manter, por mais tempo, a capacidade de execução das actividades de vida diárias (Shephard, 2003). A prática de actividade física contribui por exemplo, para a prevenção de quedas, reforçando a aptidão física e o equilíbrio postural. Por outro lado, o baixo nível de aptidão física repercute-se no aumento da actividade sedentária. Os homens têm uma adesão à actividade física de 45% e as mulheres de 28% (Melo et. al., 2007). Métodos: Este é um estudo observacional, correlacional e transversal. Foram avaliados 66 participantes (média de idade de 80,11 ± 3,83 anos), não institucionalizados. O processo de amostragem foi não probabilístico acidental por conveniência. Todos os idosos deram o seu consentimento informado. A actividade física foi avaliada através do questionário do Yale Physical Activity Survey...

‣ Actividade física e qualidade de vida na gravidez

Tendais, Iva; Universidade Lusíada do Porto; Figueiredo, Bárbara; Universidade do Minho; Mota, Jorge; Universidade do Porto
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 23/11/2012 Português
Relevância na Pesquisa
68.355454%
Pouco se conhece acerca da actividade física e qualidade de vida da mulher na gravidez. Este estudo teve como objectivos 1) comparar os padrões de actividade física antes e durante a gravidez, 2) avaliar a percepção da qualidade de vida relacionada com a saúde durante os primeiros seis meses de gestação, e 3) comparar a percepção da qualidade de vida nas mulheres activas e insuficientemente activas considerando as recomendações de saúde pública. Método: Estudo longitudinal com 59 grávidas selecionadas em consultórios médicos privados. Às 10-15 semanas foi recolhida informação socio-demográfica e médica, bem como informação sobre a actividade física três meses antes da concepção. Medidas de auto-relato foram administradas entre as 10-15 semanas e as 19-24 semanas de gestação para avaliar o tempo de actividade física (QAFG) (no trabalho, lazer, deslocações) e a qualidade de vida (SF-36). Resultados: A prevalência de actividade física recomendada é menor durante do que antes da gravidez (16.7% e 17.5% nos 1.º e 2.º trimestres, respectivamente vs.47.4% antes da gravidez). Com a gravidez, não se verificaram alterações no tempo médio em diferentes tipos de actividade física, mas a actividade física no lazer registou uma diminuição significativa no 1.º trimestre face ao período anterior à concepção. Em comparação com uma amostra normativa de mulheres portuguesas...

‣ Actividade física e envelhecimento activo : o incremento da prática de actividade física através de consultoria

Soares, Isabel Pedrosa
Fonte: Faculdade de Ciências Médicas. Universidade Nova de Lisboa Publicador: Faculdade de Ciências Médicas. Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
68.38319%
RESUMO: Num quadro de profundas transformações demográficas, o envelhecimento populacional coloca muitas questões à sociedade. A promoção da saúde e de comportamentos saudáveis desempenha um papel importante numa perspectiva de Envelhecimento Activo. Hoje em dia existem inúmeras evidências científicas de que a Actividade Física regular tem importantes benefícios, tanto a nível físico como psicológico, com um impacto significativo no bem-estar e na qualidade de vida das pessoas em todas as idades. Para fomentar a prática de Actividade Física há um envolvimento cada vez maior dos profissionais de saúde, visto serem figuras de referência para os pacientes. Desta forma, foi objectivo do nosso estudo verificar a existência de uma associação positiva entre a prática de Actividade Física e a Consultoria em Actividade Física, baseado nas seguintes variáveis: análise sócio-demográfica dos indivíduos; percepções e práticas de Actividade Física. Para tal estudámos uma amostra de conveniência, seleccionada a partir dos utentes de ambulatório das Unidades de Saúde Familiar de Benfica e Carnide, constituída por 5 pessoas, todas do sexo feminino, com idades compreendidas entre os 50 e os 65 anos...

‣ Physical activity in children and youngsters; Actividade física nas crianças e jovens

Lopes, Vítor Pires; Departamento de Ciências do Desporto e Educação Física/ Instituto Politécni; Maia, José Antônio Ribeiro; Prof. Catedrático/ Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da U
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC. Brasil Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC. Brasil
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; "Avaliado por Pares","Artigo Solicitado"; "Avaliado por Pares", "Artigo Solicitado"; Bibliográfica Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 20/06/2006 Português
Relevância na Pesquisa
78.020273%
Physical activity (PA) is a preventive factor for diseases associated with inactivity. Childhood and adolescence are golden ages to promote PA habits for life. The purpose of this review study is to characterize PA levels of children and adolescents. We analyzed the studies of PA tracking and studies which attempted to identify the PA levels of children and youngsters. Longitudinal studies show that PA declines along age and that it has low stability. The decline of PA is steeper in the transition between childhood and adolescence and within adolescence. According to the analyzed studies children and adolescents do not accomplish the PA guidelines that were recommended for them.; A actividade física (AF) é um factor de prevenção de uma série de doenças associadas à inactividade física. A infância e a juventude são consideradas idades fundamentais para a promoção de hábitos de AF que perdurem para toda a vida. Este estudo de revisão tem como objectivo caracterizar os níveis de AF das crianças e jovens. Faz-se uma análise aos estudos do tracking da AF e a pesquisas que procuraram identificar os níveis de AF de crianças e adolescentes. Os estudos longitudinais mostram que a AF é um comportamento com pouca estabilidade...

‣ Actividade física e qualidade de vida na gravidez

Tendais,Iva; Figueiredo,Bárbara; Mota,Jorge
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2007 Português
Relevância na Pesquisa
68.355454%
Pouco se conhece acerca da actividade física e qualidade de vida da mulher na gravidez. Este estudo teve como objectivos 1) comparar os padrões de actividade física antes e durante a gravidez, 2) avaliar a percepção da qualidade de vida relacionada com a saúde durante os primeiros seis meses de gestação, e 3) comparar a percepção da qualidade de vida nas mulheres activas e insuficientemente activas considerando as recomendações de saúde pública. Método: Estudo longitudinal com 59 grávidas seleccionadas em consultórios médicos privados. Às 10-15 semanas foi recolhida informação socio-demográfica e médica, bem como informação sobre a actividade física três meses antes da concepção. Medidas de auto-relato foram administradas entre as 10-15 semanas e as 19-24 semanas de gestação para avaliar o tempo de actividade física (QAFG) (no trabalho, lazer, deslocações) e a qualidade de vida (SF-36). Resultados: A prevalência de actividade física recomendada é menor durante do que antes da gravidez (16.7% e 17.5% nos 1.º e 2.º trimestres, respectivamente vs. 47.4% antes da gravidez). Com a gravidez, não se verificaram alterações no tempo médio em diferentes tipos de actividade física, mas a actividade física no lazer registou uma diminuição significativa no 1.º trimestre face ao período anterior à concepção. Em comparação com uma amostra normativa de mulheres portuguesas...

‣ A actividade física e o internamento por exacerbação da DPOC

Pitta,F; Troosters,T; Probst,VS; Spruit,MA; Decramer,M; Gosselink,R
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pneumologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Pneumologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2006 Português
Relevância na Pesquisa
68.35769%
As exacerbações são eventos com um impacto negativo na qualidade de vida relacionada com a saúde, na função pulmonar, na utilização dos recursos de saúde e na sobrevida dos doentes com DPOC. Contudo, ainda não é conhecido o impacto dos internamentos por exacerbação na actividade física dos doentes. O presente estudo teve como objectivos: 1. Investigar o grau de inactividade dos doentes com DPOC durante e após um internamento por exacerbação, através da utilização de um monitor de actividade de elevada precisão; 2. Pesquisar se os doentes com internamentos no último ano por exacerbação da DPOC revelam uma recuperação mais lenta da sua actividade física quando comparados com doentes que não foram internados no último ano; 3. Investigar se os doentes com baixo nível de actividade física durante ou após o internamento por exacerbação têm maior probabilidade de serem reinternados no ano seguinte. Os autores avaliaram a actividade física através de um monitor de actividade que mediu de forma precisa o tempo que os doentes despendem na marcha, a andar de bicicleta, de pé, sentados e deitados. Estas medições foram efectuadas no 2º e 7º dias de internamento, bem como um mês após a alta. Foram ainda avaliadas a função pulmonar...

‣ Contribuição das bebidas para a hidratação, antes, durante e depois da actividade física em estudantes universitários

Ferreira,Carla Andreia Lima; Santos,José Augusto Rodrigues dos; Kent-Smith,Luiza; Salcedo,Inês Sofia Morales
Fonte: Edições Desafio Singular Publicador: Edições Desafio Singular
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2008 Português
Relevância na Pesquisa
68.336562%
Introdução: O consumo de líquidos antes, durante e depois da actividade física tem efeito benéfico na hidratação corporal de indivíduos fisicamente activos. Previne a desidratação e aumenta a capacidade de desempenho físico. Objectivos: Avaliar os conhecimentos, contributos e o consumo de bebidas antes, durante e depois da actividade física em universitários fisicamente activos, e a composição corporal, actividade física e gasto energético. Metodologia: Foram avaliados 348 alunos, 140 do sexo feminino e 208 do masculino que frequentam do 1º ao 4º ano da Licenciatura de Ciências do Desporto e Educação Física da Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (FCDEF-UP). Foi utilizado um inquérito específico e parâmetros antropométricos. O tratamento estatístico foi feito pelo programa SPSS, versão 13.0 para o Windows e Microsoft Excel 2003 com p < 0,05. Resultados: Verificou-se que os alunos do 1º e 2º ano praticam e gastam mais calorias com actividade física numa semana típica. Cerca de 95% dos alunos considera necessário o consumo de bebidas antes, durante e depois da actividade física. Discussão: A hidratação é justificativa da necessidade do consumo de bebidas antes, durante e depois da actividade física. Cerca de 85% consomem bebidas em pelo menos uma das modalidades desportivas praticadas...