Últimos itens adicionados do Acervo: Centro Hospitalar do Porto

O CHP é um hospital central e universitário pela sua associação ao Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto.

Página 19 dos resultados de 1327 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

‣ Avaliação das necessidades energéticas no doente crítico

Marinho, A.; Pinho, J.; Cansado, L.; Oliveira, M.; Marinho, R.; Martins, F.
Fonte: Associação Portuguesa de Nutrição Entérica e Parentérica Publicador: Associação Portuguesa de Nutrição Entérica e Parentérica
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /07/2012 Português
Introdução: Os doentes críticos são um grupo de do- entes francamente hipermetabólicos que necessitam de um suporte nutricional adequado às suas necessidades. Objectivos: Verificar o melhor método para determinar as neces- sidades energéticas de doentes críticos. Material e métodos: Estudo transversal analítico no qual foram recolhidos dados demográficos, determinado o consumo energético quer por calorimetria indirecta, quer pela fórmula de Harris-Benedict e além disso calculado o fator de stress de pacientes internados entre 2004 e 2009. Resultados: Incluíram- se neste estudo 139 doentes (33% feminino, 67% masculino). Foram efetuadas 298 medidas pela calorimetria indireta, com tempo útil médio de 9 horas, que foram compa- radas às necessidades energéticas calculadas a partir da equação de Harris-Benedict. Encontraram-se diferenças significativas entre os resultados obtidos. O consumo energético mensurado foi 27,9 Kcal/kg (mediana), e quando comparado à equação de Harris-Benedict, evidenciou-se um valor subestimado em 25% (7 Kcal/kg). A mediana do fator de stress encontrado para a correção da fórmula de Harris- Benedict foi de 1,31. Discussão e conclusão: Embora exista uma variabilidade do consumo energético nesses doentes...

‣ Effectiveness of Aprepitant in Patients with Refractory Pruritus Secondary to Sézary Syndrome

Fernandes, I.; Torres, T.; Selores, M.; Alves, R.; Lima, M.
Fonte: OMICS Publishing Group Publicador: OMICS Publishing Group
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2012 Português
Background: In advanced stages, patients with Sézary Syndrome (SS) commonly report an ill-defined, severe and diffuse pruritus. Recently, it has been reported that Aprepitant, an oral neurokinin-1-receptor (NK1) antagonist, may have an important role in relief of refractory pruritus in patients with SS. Material and methods: A prospective study which included four patients with SS, in whom pruritus is the main symptom, was performed. Our purpose was to assess efficacy of Aprepitant for treatment of refractory pruritus, secondary to SS. Patients were treated with Aprepitant 80 mg/d during 10 days and then the dosage was reduced to alternate days. The length of treatment ranged between 4 and 23 weeks. Improvement was assessed by the Dermatology Life Quality Index (DLQI) questionnaire, which ranges from 0 to 30, with high scores indicating worse outcome and by Visual Analogue Scale (VAS) which varies from 0 to 10, with higher scores meaning severe pruritus. Results: Prior to treatment, subjects had severe pruritus with mean DLQI score of 21.5 (SD ± 2.4) and mean VAS score of 9.0 (SD ± 0.8). At the end of the treatment, a statistically significant reduction in both indexes (p<0.05) was evident. In all patients, an improvement of pruritus was rapidly observed after the first week of therapy. No side effects were reported. Conclusion: The study confirms the effectiveness and safety of Aprepitant as an antipruritic agent in patients with refractory pruritus secondary to SS.

‣ NUTRIÇÃO ARTIFICIAL NO DOENTE CRÍTICO

Marinho, A.; Cançado, L.; Castelões, P.; Castro, H.; Lafuente, E.; Afonso, O.; Camara, M.; Marinho, R.
Fonte: Associação Portuguesa de Nutrição Entérica e Parentérica Publicador: Associação Portuguesa de Nutrição Entérica e Parentérica
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /07/2012 Português
Introdução: O suporte nutricional tem papel importan- te no tratamento dos doentes internados em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI). O objetivo deste trabalho foi avaliar a carga calórica fornecida aos doentes críticos, con- siderando o impacto da carga calórica “secundária” (não nutricional) e a teoria da “Subnutrição permissiva”. Obje- tivos: Avaliar a carga calórica fornecida aos doentes inter- nados em Unidades de Cuidados Intensivos. Material e métodos: Estudo transversal analítico realizado em 6 dife- rentes Unidades de Cuidados Intensivos em doentes inter- nados mais de 5 dias. Resultados: 153 doentes, idade 58,18 ± 18,47 anos, sendo do foro médico (22,88%), cirúrgico (21,56%), neurocirúrgico (28,76%) e trauma (26,80%). Internados durante 14,54 ± 9,05 dias, com SOFA de 6,95 ± 3.23 e IMC de 24,57 ± 3,84. A mortalidade foi de 32,03%. Foram fornecidos 12,3 ± 8,4 kcal/kg/dia, com evolução gradativa nos 10 primeiros dias. A carga calórica secundária decresceu, apresentando impacto no valor calórico global somente até ao 2o dia de internamento. Os doentes do foro médico atingiram mais precocemente os objetivos nutricio- nais. A carga calórica secundária teve maior impacto nos pacientes cirúrgicos. Numa fase imediata e intermediária os doentes receberam um aporte calórico significativamente superior ao modelo de Wilmore...

‣ Biomarkers in Kidney Transplantation: Translating to clinical practice

Fonseca, I.
Fonte: Sociedade Portuguesa de Nefrologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Nefrologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2013 Português
Improving long-term graft survival is a major challenge in kidney transplantation. Ischaemia-reperfusion injury is a critical early allograft insult that enhances the risk of delayed graft function, which is common in deceased-donor transplantation. Delayed graft function complicates the post-transplant management and has a negative impact on both short and long-term outcomes. The development of effective interventions to prevent and attenuate the injury caused by ischaemia-reperfusion is constricted by the limited ability of early detection of kidney damage. In recent years, clinical and translational research has focused on improvements in the diagnosis of acute kidney injury and provided prognostic information that is helpful in the post-transplant care. Numerous biomarkers in kidney transplantation have been evaluated in the past decade, but, so far, evidence to support their use in routine practice is limited. The purpose of this review is to examine the current status of three biomarkers for early diagnosis and prognosis of delayed graft function, namely urinary neutrophil gelatinase-associated lipocalin, oxidative stress and cystatin C. In addition, the concept of a biomarker is addressed, as well as the existing challenges and perspectives for developing a biomarker. This review discusses current literature and reflects the author’s own interpretation and experience.

‣ A experência da criança no perioperatório de cirurgia programada

Teixeira, E.; Figueiredo, M.
Fonte: Unidade de Investigação em Ciências da Saúde - Enfermagem Publicador: Unidade de Investigação em Ciências da Saúde - Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /03/2009 Português
A experiência da criança submetida a cirurgia programada é sempre uma vivência individual, não descorando o binómio criança/família. A ansiedade, o medo, o choro, e outras reacções são conhecidas da nossa prática como manifestações à separação familiar e ao ambiente hospitalar. Numa tentativa de compreender a experiência da criança, em idade escolar, no perioperatório de cirurgia programada, levamos a cabo um estudo qualitativo de intervenção. A amostra incluiu 30 crianças admitidas no Serviço de Cirurgia da Instituição. O primeiro grupo (A), seguiu os procedimentos habituais da instituição. O segundo grupo (B), foi submetido a uma intervenção de enfermagem no pré-operatório, realizada na véspera do acto cirúrgico. Após análise das entrevistas, constatou-se a existência de oito categorias: experiência hospitalar, experiência cirúrgica, experiência de aprendizagem, experiência no bloco operatório, sensações, resultados da experiência, papel do enfermeiro e hospital pediátrico. Estas categorias foram alvo de análise de conteúdo para compreensão das mensagens das crianças. As conclusões deste estudo, revelam-nos que as crianças submetidas a intervenção de enfermagem pré-operatória...

‣ Ashy Dermatosis - Tratamento com Clofazimina

Pinto-Almeida, T.; Caetano, M.; Alves, R.; Selores, M.
Fonte: Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2012 Português
A Ashy dermatosis, ou erythema dyscromicum perstans, é uma dermatose rara de etiologia desconhecida. Os autores descrevem o caso de um homem de 46 anos saudável, com história de lesões cutâneas cinzentas assintomáticas no tronco com 1 ano de evolução. A constelação dos achados clínicos, histológicos e laboratoriais permitiu efectuar o diagnóstico de Ashy dermatosis. O doente iniciou tratamento com clofazimina oral, verificando-se resolução completa do quadro clínico e mantendo-se sem lesões cutâneas ao fim de 6 meses de vigilância. Estão descritas inúmeras opções terapêuticas para a Ashy dermatosis, no entanto nenhuma eficaz de forma consistente. O tratamento com clofazimina tem sido defendido devido ao seu efeito cosmético e a uma possível acção anti-inflamatória e imunomoduladora. Este caso documenta a eficácia terapêutica da clofazimina num doente com Ashy dermatosis

‣ Tratamento com inibidores do tnf-alfa em doentes com infecção prévia por vírus da hepatite b – estarão estes doentes em risco de reactivar a doença?

Torres, T.; Nery, F.; Selores, M.
Fonte: Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2013 Português
Estima-se que cerca de 2 mil milhões de pessoas estejam infectados pelo vírus da hepatite B (VHB) e que mais de 350 milhões sejam portadores crónicos. Os doentes que apresentam anticorpos para o antigénio core (Ac anti-HBc) com negatividade para antigénio de superfície (AgHBs), não têm hepatite crónica, mas contactaram com o vírus no passado. Este estado serológico corresponde, na maioria das vezes, a uma eliminação vírica completa. Contudo, um subgrupo de doentes poderá apresentar ADN-VHB hepático detectável, definindo um estado de por- tador oculto. A reactivação do VHB é uma complicação descrita desde há vários anos em doentes submetidos a transplantes de medula óssea e quimioterapia para tratamento de neoplasias. Esta reactivação ocorre principalmente em doentes com hepatite B crónica (AgHBs+), mas foi igualmente descrita em doentes previamente infectados pelo VHB, que aparentemente teriam eliminado o vírus. Este risco de reactivação da replicação do VHB em doentes com hepatite B crónica (AgHBs+) submetidos a terapêutica anti-TNF-α está igualmente bem estabelecido, contudo, a informa- ção relativamente ao uso destes fármacos em doentes Ac anti-HBc+/AgHBS- é muito mais escassa. Recentemente...

‣ Tumores dos anexos cutâneos – Revisão de 10 anos

Rosmaninho, A.; Pinto-Almeida, T.; Vilaça, S.; Amorim, I.; Alves, R.; Selores, M.
Fonte: Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2012 Português
Introdução: Os tumores dos anexos cutâneos representam um grupo heterogéneo de neoplasias benignas e malignas com diferentes diferenciações morfológicas. Material e Métodos: Foi efectuado o estudo retrospectivo dos tumores dos anexos cutâneos diagnosticados na consulta externa do Serviço de Dermatologia do Centro Hospitalar do Porto, EPE-HSA entre 2000 a 2009. Resultados: Foram diagnosticados 404 tumores dos anexos cutâneos. Apenas 3% dos tumores eram malignos. A maioria apresentou uma diferenciação (62,6 %) folicular. Discussão: A revisão da literatura mostrou uma escassez de dados relativos a estudos retrospectivos dos tumores dos anexos cutâneos. Mais estudos são necessários para uma melhor caracterização epidemiológica destas entidades.

‣ Tratamento da psoríase com agentes biológicos: para além dos inibidores do tnf α – O presente e o futuro

Carvalho, S.; Torres, T.; Selores, M.
Fonte: Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2012 Português
A psoríase é uma doença inflamatória crónica multissistémica, mediada por células T, com elevado grau de morbilidade. A investigação na área da psoríase tem sido intensa, resultando num conhecimento mais porme- norizado da sua patogenia, e consequente desenvolvimento de novas terapêuticas biológicas. Esta revisão focará o presente e o futuro dos agentes biológicos moduladores de citoquinas que não pertencem à classe dos inibidores do factor de necrose tumoral-α (TNF-α).

‣ Rituximab no tratamento de pênfigo vulgar refractário

Fernandes, I.; Sanches, M.; Velho, G.; Selores, M.
Fonte: Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2012 Português
O pênfigo vulgar é uma doença bolhosa auto-imune rara, que atinge a pele e as mucosas. Geralmente tem um curso clínico severo, sendo necessário o recurso a terapêutica prolongada com corticóides sistémicos e outros fármacos imunossupressores, que podem conduzir a efeitos adversos graves. O rituximab é um anticorpo monoclo- nal quimérico dirigido ao antigénio CD20, expresso pelos linfócitos B. Recentemente, têm surgido alguns estudos que documentam o seu sucesso terapêutico no tratamento de pênfigo refractário. Os autores descrevem dois casos clínicos de pênfigo vulgar refractários às terapêuticas convencionais, que foram tratados com rituximab, tendo atin- gido a remissão completa da doença. A experiência bem sucedida em relação a estes dois casos clínicos reforça que o rituximab constitui uma opção valiosa e segura na abordagem terapêutica do pênfigo vulgar severo e refractário.

‣ Atypical haemolytic-uraemic syndrome caused by factor H mutation: case report and new management strategies in children

Araújo, L.; Faria, M.; Rocha, L.; Costa, T.; Barbot, J.; Mota, C.
Fonte: Sociedade Portuguesa de Nefrologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Nefrologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2012 Português
Atypical haemolytic uraemic syndrome is causedby alternative complement pathway dysregulation. It has recently been recognised that most cases are due to genetic factors and a growing list of mutations has been described. Atypical haemolytic uraemic syndrome is associated with a dismal prognosis, a relapsing course, high acute mortality and frequent progression to end-stage renal disease. We describe a five-year-old boy admitted with a first recurrence of atypical haemolytic uraemic syndrome. The primary onset of the disease was at 15 months of age, following which there was complete recovery of haematological and renal parameters. His family history was significant in that his mother had died at the age of only 23 years of a stroke with associated thrombotic microangiopathy, suggesting a familial form of the disease. Sequencing of the gene encoding complement factor H revealed a heterozygous SCR20 mutation (3644G>T, Arg1215Leu), confirming the diagnosis. The patient was successfully treated with fresh frozen plasma infusions that induced disease remission. We also review currently evolving concepts about atypical haemolytic uraemic syndrome caused by factor H mutation, its diagnosis, the role of genetic testing and management strategies in children.

‣ Pericardial and pleural effusions associated with sirolimus and discussion of possible mechanisms

Rocha, S.; Pedroso, S.; Almeida, M.; Dias, L.; Martins, L.; Castro-Henriques, A.; Cabrita, A.
Fonte: Sociedade Portuguesa de Nefrologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Nefrologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2012 Português
Sirolimus, a mammalian target of rapamycin inhibitor, is an increasingly used immunosuppressant in solid-organ transplantation. There are an increasing number of reports of unusual oedematous adverse effects associated with this drug, including lymphoedema, ascites and pleural effusions, and a few reports of pericardial effusions. No pathophysiological explanation for these phenomena has been disclosed. We report a 33-year-old sirolimus-treated kidney transplant recipient with chronic pericardial and pleural effusions identified nine years after transplantation. He was initially treated for a presumed tuberculous pericarditis, even though cultures for Mycobacterium tuberculosis were negative. After 12 months of antitubercular therapy, visceral effusions persisted. Pericardial effusion was drained and stabilised. After exclusion of other causes, sirolimus toxicity was considered the most likely cause. Two months after discontinuation of sirolimus, visceraleffusions disappeared. Interaction of mammalian target of rapamycin inhibitors with mediators of lymphangiogenesis may be a common link in oedematous states associated with sirolimus.

‣ Tacrolimus, a forgotten agent in kidney transplant leukopenia

Azevedo, P.; Freitas, C.; Silva, H.; Aguiar, P.; Santos, T.; Cabral, J.; Rocha, G.; Almeida, M.; Pedroso, S.; Martins, L.; Dias, L.; Castro-Henriques, A.; Cabrita, A.
Fonte: Sociedade Portuguesa de Nefrologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Nefrologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2013 Português
Leukopenia in kidney transplant patients is frequent, it causes potentially life-threatening complications, but it is often poorly characterized. Opportunistic infections, immunologic disturbances and drug-related toxicity are principal causes of single or multilineage cytopenias. Tacrolimus-induced leukopenia is a less recognized but frequent complication. We describe one patient with leukopenia developing within seven months after renal transplant. After excluding other potential causes, tacrolimus was switched to cyclosporine, with recovery of white blood cell count. Based on the clinical report, the authors reviewed causes of post-transplant leukopenia, focusing on the diagnostic investigation. Early diagnosis and interventions are fundamental to improve prognosis.

‣ Pancreas-Kidney Transplantation: Analysis of 150 patients from one Centre in Portugal

Martins, L.; Fonseca, I.; Aguiar, P.; Rocha, A.; Costa, R.; Santos, C.; Malheiro, J.; Pedroso, S.; Almeida, M.; Dias, L.; Castro-Henriques, A.; Cabrita, A.; Davide, J.
Fonte: Sociedade Portuguesa de Nefrologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Nefrologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2013 Português
Introduction: Simultaneous pancreas-kidney transplantation (SPKT) outcomes are conditioned in the short-term mostly by post-operative complications. In the long-term, cardiovascular (CV) disease and immunological loss are the main limitations to transplant survival. Aims: To analyse retrospectively the results from 150 SPKT performed at our centre. Patients and Methods: The 81 females and 69 males had a mean age of 35±6 years; they were diabetic for 24±6 years and had been on dialysis for 30±21months (except 5 preemptive). Anti-lymphocyte globulin, tacrolimus, mycophenolate and steroids were used as immunosuppressive therapy. Deceased-donor mean age was 28±11 years. In 28.7% the transplant was performed with 6 HLA-mismatches. Results: Acute rejection’s incidence was 16%. Ten SPKT patients died; infection was the leading cause of death (five cases), followed by Cardiovascular/cerebrovascular disease (three cases). In 21 patients the pancreas failed, mainly due to thrombosis or bleeding (11 cases), and infection (five cases); in two it was due to late acute rejection. In four patients only the kidney failed, due to chronic rejection. Five patients lost both grafts, from late acute rejection in four and thrombosis in one. We analyzed the 110 SPKT patients (73.3%) with both grafts functioning. Their mean serum creatinine was 1.2±0.4mg/dl; creatinineclearance was 76±24 ml/min; fasting glycaemia was 81±10mg/dl; and HbA1c was 5.3±0.4%. Hypertension has been treated in 47.2% of patients...

‣ Neutrophil gelatinase-associated lipocalin in kidney transplantation is an early marker of graft dysfunction and is associated with one-year renal function

Fonseca, I.; Oliveira, J.; Almeida, M.; Cruz, M.; Malho, A.; Martins, L.; Dias, L.; Pedroso, S.; Santos, J.; Lobato, L.; Castro-Henriques, A.; Mendonça, D.
Fonte: Hindawi Publishing Corporation Publicador: Hindawi Publishing Corporation
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2013 Português
Urinary neutrophil gelatinase-associated lipocalin (uNGAL) has been suggested as potential early marker of delayed graft function (DGF) following kidney transplantation (KTx). We conducted a prospective study in 40 consecutive KTx recipients to evaluate serial changes of uNGAL within the first week after KTx and assess its performance in predicting DGF (dialysis requirement during initial posttransplant week) and graft function throughout first year. Urine samples were collected on post-KTx days 0, 1, 2, 4, and 7. Linear mixed and multivariable regression models, receiver-operating characteristic (ROC), and areas under ROC curves were used. At all-time points, mean uNGAL levels were significantly higher in patients developing DGF (n = 18). Shortly after KTx (3-6 h), uNGAL values were higher in DGF recipients (on average +242 ng/mL, considering mean dialysis time of 4.1 years) and rose further in following days, contrasting with prompt function recipients. Day-1 uNGAL levels accurately predicted DGF (AUC-ROC = 0.93), with a performance higher than serum creatinine (AUC-ROC = 0.76), and similar to cystatin C (AUC-ROC = 0.95). Multivariable analyses revealed that uNGAL levels at days 4 and 7 were strongly associated with one-year serum creatinine. Urinary NGAL is an early marker of graft injury and is independently associated with dialysis requirement within one week after KTx and one-year graft function.

‣ Modelling competing risks in nephrology research: an example in peritoneal dialysis

Teixeira, L.; Rodrigues, A.; Carvalho, M.; Cabrita, A.; Mendonça, D.
Fonte: BioMed Central Publicador: BioMed Central
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2013 Português
BACKGROUND: Modelling competing risks is an essential issue in Nephrology Research. In peritoneal dialysis studies, sometimes inappropriate methods (i.e. Kaplan-Meier method) have been used to estimate probabilities for an event of interest in the presence of competing risks. In this situation a competing risk analysis should be preferable. The objectives of this study are to describe the bias resulting from the application of standard survival analysis to estimate peritonitis-free patient survival and to provide alternative statistical approaches taking competing risks into account. METHODS: The sample comprises patients included in a university hospital peritoneal dialysis program between October 1985 and June 2011 (n = 449). Cumulative incidence function and competing risk regression models based on cause-specific and subdistribution hazards were discussed. RESULTS: The probability of occurrence of the first peritonitis is wrongly overestimated using Kaplan-Meier method. The cause-specific hazard model showed that factors associated with shorter time to first peritonitis were age (>=55 years) and previous treatment (haemodialysis). Taking competing risks into account in the subdistribution hazard model, age remained significant while gender (female) but not previous treatment was identified as a factor associated with a higher probability of first peritonitis event. CONCLUSIONS: In the presence of competing risks outcomes...

‣ Antenatal detection of single umbilical artery: what does it mean?

Ferreira, V.; Vaz, I.; Reis, A.; Mendes, M.J.; Rodrigues, M.C.
Fonte: Nascer e Crescer Publicador: Nascer e Crescer
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /09/2013 Português
ABSTRACT Introduction: The presence of a single umbilical artery (SUA) is recognised as a soft marker for congenital anomalies, aneuploidy, earlier delivery and intra-uterine growth restriction and/or low birth weight. The aim of this study was to assess the incidence of SUA in a selected population. And secondly, to examine the clinical significance of this soft marker. Material and methods: A retrospective analysis, over a 36-month period, of all cases of pregnancy interruption due to medical causes, up to 16 weeks of gestation, with prenatal diagnosis of SUA; cases of live born with a prenatal diagnosis of SUA or after delivery, at the routine examination of the placenta. Fetal growth and the risk of preterm labor are also to consider in the surveillance of these pregnancies. Results: Thirty nine cases of SUA were identified during the study period. Incidence of SUA in live born was 0.32% (n=30) and in pregnancy interruption due to medical causes was 12.9% (n=9). The antenatal detection rate was 77%. This ecographic soft marker was an isolated finding in 27 live born (90%). In live born with SUA and associated malformations (13.3%), urinary abnormalities were identiÞ ed in three cases (75%), and a skeletal with esophageal malformation was identified in one case (25%). Preterm birth occurred in seven cases (23.3%) and birth weight below 10th percentile in four cases (13.3%). Discussion and conclusions: The presence of SUA in antenatal period should alert the sonographer and clinician for the need of a detailed examination of the fetus to exclude other anomalies. Fetal growth and the risk of preterm labor are also to consider in the surveillance of these pregnancies.; RESUMO Introdução: A presença de artéria umbilical única (AUU) é um marcador ecográfico associado a malformações...

‣ Depressão nos adolescentes – mito ou realidade?

Resende, C.; Santos, E.; Santos, P.; Ferrão, A.
Fonte: Nascer e Crescer Publicador: Nascer e Crescer
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /09/2013 Português
RESUMO Introdução: A adolescência é um período de grandes mudanças a nível biopsicossocial, o que torna esta fase mais vulnerável a alterações psicológicas. A depressão surge como uma entidade clínica cada vez mais prevalente, podendo ser precursora de psicopatologia no adulto. Objetivos: Avaliar a prevalência e caracterizar a população de adolescentes com síndrome depressivo na consulta de adolescência. Material e métodos: Estudo retrospetivo e analítico, com base nos dados obtidos dos 91 processos clínicos dos doentes seguidos na consulta de adolescência com o diagnóstico de distúrbio depressivo, no período de janeiro de 2003 a dezembro de 2011. Resultados: O diagnóstico de distúrbio depressivo foi feito a 91 adolescentes (N=91). Verificou-se um predomínio do sexo feminino. A idade média do diagnóstico foi de 14,8 anos. Os adolescentes foram referenciados principalmente dos Cuidados de Saúde Primários e da Urgência Pediátrica (26,4 e 22%, respetivamente). Os principais sintomas à apresentação foram a tristeza/ labilidade emocional/choro fácil (61,5%). Os sintomas psicossomáticos estiveram presentes em 30,4% dos adolescentes. Em 64,8% dos casos foi identificado um contexto desfavorável...

‣ Grande queimado numa Unidade de Cuidados Intensivos Pediátricos – experiência de 20 anos

Francisco, T.; Nóbrega, S.; Valente, R.; Santos, M.; Pereira, G.; Estrada, J.; Serafim, Z.; Ventura, L.
Fonte: Nascer e Crescer Publicador: Nascer e Crescer
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /09/2013 Português
Introdução: A abordagem inicial do grande queimado até à sua estabilização hemodinâmica e hidroeletrolítica é fundamental para diminuir a morbimortalidade. Material e Métodos: Estudo retrospetivo, descritivo e analítico, de todos os internamentos por queimadura numa Unidade de Cuidados Intensivos Pediátricos durante o período de 20 anos (Abril/1991 a Dezembro/2010). Avaliaram-se parâmetros nosodemográficos, agente causal, gravidade e extensão da queimadura, procedimentos, terapêutica, complicações e resultados. Resultados: Ocorreram 137 internamentos por queimadura correspondentes a 123 doentes e a 1,8% do total de internamentos na UCIP. A mediana de idade foi 3,6 anos e 62,4% era do sexo masculino. Verificou-se maior incidência em Agosto (13,0%). Foram agentes da queimadura: líquido fervente (38,1%), fogo (38,1%) e eletricidade (23,9%). A mediana da superfície corporal queimada foi de 30% (0,5-92,0%), com queimaduras do terceiro grau em 59,0% dos doentes. Necessitaram de ventilação mecânica 45,5% e de cateter venoso central 64,2% dos doentes. As complicações incluíram: sépsis (29,2%), falência respiratória (21,1%), falência cardiovascular (16,5%) e falência multiorgânica (18,8%). Verificou-se melhoria em 88...

‣ Celulite Periorbitária e Orbitária: casuística de 11 anos

Monteiro, G.; Dias, A.; Teixeira, E.; Pereira, J.; Santos, E.
Fonte: Nascer e Crescer Publicador: Nascer e Crescer
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /09/2013 Português
RESUMO Introdução: As celulites da região orbitária são uma patologia relativamente comum, em idade pediátrica, com um potencial de gravidade estimável. Objetivos: A presente casuística tem como objetivo a revisão da epidemiologia, etiologia e abordagem terapêutica dos casos de celulite da região orbitária internados no Serviço de Pediatria do Centro Hospitalar Tondela-Viseu (CHTV), no período de 11 anos. Material e Métodos: Estudo retrospetivo dos processos clínicos de crianças internadas entre Janeiro de 2000 e Dezembro de 2010. Resultados: Das 93 crianças internadas, 94% foram celulites periorbitárias (CPO) e 6% celulites orbitárias (CO). A média de idades foi de seis anos e o sexo masculino predominante (61%). O traumatismo foi a causa conhecida mais comum (12 %). O cefuroxime foi o antibiótico de primeira linha em 84% dos casos que, na sua maioria, evoluíram favoravelmente. Verificaram-se complicações em cinco dos seis doentes com CO (83%). Não se verificaram óbitos. A maioria foi orientada para o médico de família. Conclusões: Destaca-se a importância do reconhecimento de uma CPO vs CO pela necessidade de diferentes abordagens clínicas e maior incidência de complicações nas últimas.; ABSTRACT Introduction: Cellulitis of the orbital region are a common pediatric illness...