Página 1 dos resultados de 63 itens digitais encontrados em 0.009 segundos

‣ Geocronologia, geoquímica isotópica e litoquímica do plutonismo diorítico-granítico entre Lavras e Conselheiro Lafaiete: implicações para a evolução paleoproterozóica da parte central do Cinturão Mineiro; Geocronology, isotopic geochemistry and geochemical of the dioritic-granitic plutonism between Lavras and Conselheiro Lafaiete: implicatins to paleoproterozoic evolution of Mineiro Belt central part

Nunes, Luciana Cabral
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 19/10/2007 Português
Relevância na Pesquisa
70.77677%
A área de estudo localiza-se na borda sul do Cráton São Francisco, no Cinturão Mineiro, este é porção integrante da Província Sul Mineira. Neste contexto ocorre um mosaico de terrenos arqueanos e paleoproterozóicos de alto a médio grau metamórfico e associações granitogreenstone. Os corpos plutônicos, estudados neste trabalho, fazem parte do abundante plutonismo paleoproterozóico intrusivo nos greenstone belts Nazareno (Arqueano) e Rio das Mortes (Proterozóico). Dentro deste contexto ocorre a zona de Cisalhamento do Lenheiro (ZCL), que delimita estes greenstones belts: Nazareno (ao sul da falha) e Rio das Mortes (ao norte da falha); assim como plutons paleoproterozóicos. Os plutons escolhidos para este trabalho foram: Gnaisse Granítico Fé, Granito Mama Rosa, Tonalito/Trondhjemito Cassiterita, Granito Ritápolis, Diorito Brumado e Quartzo Monzodiorito Glória, localizados ao norte da ZCL; e: Granitóide do Lajedo, Granitóide Gentio, Quartzo Diorito Dores do Campo, Quartzo Diorito do Brito, Granodiorito Brumado de Baixo e Granodiorito Brumado de Cima, localizados ao sul da ZCL. Os estudos petrográficos indicam as seguintes características para os corpos: Gnaisse Granítico Fé (monzogranito a sienogranito), Granito Mama Rosa (monzogranito)...

‣ Caracterização geoquímica-isotópica e geocronologia do enxame de diques de Manaíra-Princesa Isabel (PB) - Província Borborema; Geochemical-isotopic characterization and geocronology of the dike swarm of Manaíra-Princesa Isabel region (PB) - Borborema Province

Pelaez Mejia, Carolina
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/04/2008 Português
Relevância na Pesquisa
61.704214%
O enxame de diques ácidos da região de Manaíra-Princesa Isabel aflora no na porção mais centro-ocidental do estado da Paraíba, geograficamente limitada pelas cidades de Manaíra, Princesa Isabel e Tavares. Geologicamente, intrude um substrato composto por rochas granitóides neoproterozóicas representadas pelos batólito de Triunfo e os plútons de Princesa Isabel e Tavares. Os diques estão distribuídos em um trend NNE-SSW, a sul dos milonitos verticais da Zona de Cisalhamento de Juru-Belém, compreendendo nefelina sienitos a sienitos supersaturados em sílica, com afinidade peralcalina a sub-metaluminosa, potássica a ultrapotássica. Um conjunto menor de diques é ainda representado por álcali-granitos, com afinidade peraluminosa. A assinatuura geoquímica-isotópica dos diques mostra forte enriquecimento em elementos incompatíveis (Rb, Ba, K, Th, U, Sr), depleção pronunciada em Nb, e razões 87Sr/86Sr e 143Nd/144Nd (= ?Nd negativos) muito radiogênicas. A combinação desses aspectos sugere uma fonte comum, provavelmente um manto litosférico enriquecido. Um componente de subducção, sugerido pelas anomalias negativas em Nb, seria o provável responsável pela modificação geoquímica desse manto. Ao contrário, razões 206...

‣ O Grupo Carrancas e a frente da Nappe Andrelândia na borda sul do Cráton do São Francisco: Proveniência sedimentar e implicações tectônicas; The Carrancas Group and the Andrelandia Nappe front in the southern portion of the São Francisco Craton: sedimentary provenance and tectonic implications

Teixeira, Alice Westin
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 21/06/2011 Português
Relevância na Pesquisa
62.12128%
O Sistema de Nappes Carrancas compõe um sistema de nappes que circunda ao sul o Cráton do São Francisco e é formado pela Unidade Biotita Xisto e pelas formações Campestre e São Tomé das Letras do Grupo Carrancas. A Unidade Biotita Xisto contém veios de quartzo e xistosidade anastomosada e é formada por quartzo, biotita, muscovita, clorita e, localmente plagioclásio, carbonato e granada. A Formação Campestre é formada por quartzitos intercalados a filitos/xistos que variam de cloritóide filitos grafitosos, com muscovita, quartzo e turmalina e, localmente, granada a xistos com granada, estaurolita e cianita. A investigação da Unidade Biotita Xisto como autóctone em relação ao Cráton do São Francisco, seu potencial agrupamento com o Grupo Carrancas em uma megassequência deposicional, bem como sua comparação com a unidadealóctone Xisto Santo Antônio (Nappe Andrelândia) constituem parte dos objetivos deste estudo. Para tal, foram feitas análises químicas e isotópicas (Sr e Nd) em rocha total e geocronologia U-Pb em cristais de zircão detríticos, tanto na Unidade Biotita Xisto como na Formação Campestre, com intuito de elucidar a relação entre as mesmas e compará-las com dados da literatura disponíveis para o Xisto Santo Antônio. A Unidade Biotita Xisto apresenta características químicas compatíveis com sedimentos que sofreram intemperismo químico de intensidade e período de tempo moderados...

‣ Geologia Isotópica do Plutonismo Neoproterozóico da Faixa Araçuaí, Região Nordeste de Minas Gerais

Martins, Veridiana Teixeira de Souza
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 19/09/2000 Português
Relevância na Pesquisa
61.834243%
A presente dissertação objetivou caracterizar, em termos isotópicos, as diferentes suítes graníticas da Faixa Araçuaí, tanto trazendo novos dados isotópicos, como fazendo um amplo levantamento dos dados existentes na literatura. O intuito é se fazer considerações sobre as possíveis rochas fontes dos granitos, entre as várias unidades do embasamento da Faixa, bem como sobre o ambiente tectônico envolvido. As amostras obtidas, tanto dos granitos, como do embasamento foram submetidas à análises Rb-Sr, Sm-Nd, Pb-Pb e K-Ar. Os parâmetros ''épsilon' IND. Nd', ''épsilon' IND. Sr', razão inicial de 'Sr ANTPOT. 86'/'Sr ANTPOT. 87' e idades modelo Sm-Nd ('T IND. DM'), assim como descrições petrográficas, também foram empregados para se alcançar os objetivos desse trabalho. Os resultados obtidos permitiram dividir os granitos em seis suítes de características diferentes. A suíte G-1, possui granitos tipo-I, metaluminosos, de idades entre 630 a 580 Ma, idades modelo Sm-Nd ('T IND. DM') de 2,0 a 1,7 Ga e valores de ''épsilon' IND. Nd' entre -9,3 a -8,3. A suíte G-2 é composta por granitos peraluminosos, tipo-S, de idades entre 590 a 575 Ma, com idades modelo ('T IND. DM') entre 1,7 e 1,85 Ga e valores de ''épsilon' IND. Nd' entre -7...

‣ Aplicação de isótopos radiogênicos na mineralização de ouro da mina Cuiabá, greenstone belt Rio das Velhas (MG)

Silva, Cintia Maria Gaia da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 23/02/2006 Português
Relevância na Pesquisa
61.67727%
A mina Cuiabá localiza-se na porção norte do Quadrilátero Ferrífero (MG) e é a principal produtora de ouro da região. Os corpos de minério dispõem-se ao longo de uma camada de formação ferrífera bandada, associada à seqüência metavulcano-sedimentar arqueana do Grupo Nova Lima, porção inferior do greenstone belt Rio das Velha, sudeste do Cráton São Francisco. As rochas metavulcânicas máficas adjacentes a FFB mineralizada apresentam forte alteração hidrotermal, com zonas concêntricas de cloritização, carbonatização e sericitização. Análises isotópicas Pb-Pb nas rochas máficas hidrotermalizadas e menos alteradas forneceram uma idade de 2592 '+OU-' 39 Ma, admitida como a idade do evento hidrotermal associado a mineralização. Os resultados Rb-Sr nestas mesmas rochas evidenciaram desequilíbrio isotópico provocado por eventos posteriores a 2,6 Ga, enquanto os dados Sm-Nd indicaram uma idade mais antiga para a colocação desta seqüência máfica, em torno de 2,97 Ga. As assinaturas de Pb, Sr e Nd nas rochas encaixantes da mineralização indicam que houve entrada de fluidos estranhos às rochas analisadas do greenstone belt na área da mina Cuiabá, provenientes de reservatórios da crosta inferior e superior. Se houve contribuição de Pb...

‣ Composição isotópica e processos hidrotermais associados aos veios auríferos do Maciço Granítico Passa Três, Campo Largo, PR; Not available.

Picanço, Jefferson de Lima
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 29/09/2000 Português
Relevância na Pesquisa
61.92846%
Este trabalho se propôs a discutir a idade e os processos formadores das jazidas auríferas relacionadas com o Maciço Granítico Passa Três, em Campo Largo (Pr), do ponto de vista da Geologia Isotópica e da Geocronologia. O Maciço Granítico PassaTrês é um pequeno corpo tarditectônico, pouco diferenciado, de natureza mesozonal, não sienogranítica, intrusivo em metassedimentos das formações Agua Clara e Votuverava, pertencentes ao grupo Açungui. O Maciço sofreu intensiva alteraçãohidrotermal, com alteração de máficos, sericitização e carbonatização. Comportou-se rigidamente às zonas de cisalhamento, em condições rupteis-ducteis. Estes episódios termais registrados por muscovitas de pegmatitos mostram idades de 604 Ma. Ofracionamento tardi-magmático da fluorita, com a idade de 616'+OU-'36 Ma, reflete a idade final de colocação do corpo. Dados de geoquímica e de ETR para amostras mostraram interação entre fontes na crustais e mantélicas na geração do magmagranítico. Os depósitos auríferos na região ocorrem no interior de veios e zonas de cisalhamento associadas ao maciço granitóide Passa Três. O maior destes depósitos está situado na faixa do Barreiro, composto pelas Minas do Morro e do Polaco...

‣ Aplicações dos sistemas Rb-Sr, Pb-Pb e Sm-Nd no depósito polimetálico do Salobo 3A, Província Mineral de Carajás, Pará; Not available.

Mellito, Kátia Maria
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 18/06/1998 Português
Relevância na Pesquisa
71.655713%
O depósito polimetálico de Cu (Au-Mo-Ag) de Salobo 3A, localizado na parte norte da Província Mineral de Crajás, Pará, é constituído por uma seqüência metavulcano-sedimentar representada por Formação ferrífera, anfibolito, xisto e quartzito do Grupo Igarapé Salobo. Esta sequencia sobrepõe-se ao embasamento gnáissico do Complexo Xingu. A mineralização de cobre hospedada na formação ferrífera, consiste de disseminações de bornita-calsosina e bornita-calcopirita associada à magnetita. Os dados geocronológicos determinados através da aplicação dos métodos Rb-Sr, Sm-Nd e Pb-Pb contribuem para caracterizar a complexa evolução do ambiente geológico e da mineralização cuprífera do depósito de Salobo. O intervalo de tempo entre 3,11 e 2,92 Ga ('T IND. DM', Sm-Nd, rocha total) representa a idade do protólito ígneo dos gnaisses. Os valores de ''epsilon' IND. Nd' calculados para a idade da formação do gnaisse (2859 Ma), variam entre +1,02 e -1,08 e indicam que o evento entre a época de diferenciação manto-crosta e a formação do gnaisse foi muito curto. Além disso, o parâmetro ''épsilon IND. Nd' sugere uma fonte mantélica com possível contaminação crustal posterior. A aplicação da técnica de lixiviação permite uma extração graudal de Pb a cada etapa de lixiviação e ela foi aplicada em calcosina e magnetita. As idades de 2762 '+ OU -' 180 Ma e 2776 ' OU -' 240 Ma...

‣ Estudos geoquimicos e isotopicos das mineralizações auriferas e rochas associadas da Região de Pontes e Lacerda (MT)

Mauro Cesar Geraldes
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 17/05/1996 Português
Relevância na Pesquisa
72.223613%
Foram realizados estudos geoquímicos e isotópicos das mineralizações auríferas e de suas encaixantes da região de Pontes e Lacerda (SW do estado de M.T.) localizadas na porção no SW do Cráton Amazônico, onde afioram rochas do cinturão Rondoniense e do cinturão Aguapeí. Na área estudada ocorrem rochas da Sequência Metawlcano-sedimentar Pontes e Lacerda (SMVSPL), Granito-Gnaisse Santa Helena (GGSH), Granito Maraboa (GM), Grupo Aguapeí (GA) e Tonalito Nene (TN). A SMVSPL é constituída por metabasaltos cuja assinatura isotópica Nd e Sr indica fonte mantélica empobrecida em Sr e enriquecida em Nd e geração em ambiente de crosta oceânica (N-Morb). As idade SmlNd de 1910 :t 387 Ma (isocrônica), e de 1.200 Ma (idade modelo) não são conclusivas devido aos limites do método de datação. A geoquímica do GGSH indica composição sub-alcalina e a foliação gnáissica sugere que a idade isocrônica Rb/Sr de 1318 :t 24 Ma representa a rehomogeneização isotópica a partir de um protólito granítico (Granito Alvorada ?). A razão inicial 87Sr;86Sr de 0,711 indica origem crustal. O GM foi desmenbrado do GGSH por apresentar isotropia e idade isocrônica Rb/Sr de 1257 :t 125 Ma., além dos contatos indicarem caráter intrusivo no GGSH e SMVSPL. A razão inicial 87Sr/86Sr de 0...

‣ Dados preliminares de geoquímica isotópica Rb-Sr e Sm-Nd de sedimentos do Ediacariano e Câmbrico Inferior da Zona de Ossa-Morena (Portugal).

PEREIRA, M.F.; MEDINA, J.; CHICHORRO, M.; LINNEMANN, U.
Fonte: Sociedade Geológica de Portugal Publicador: Sociedade Geológica de Portugal
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Português
Relevância na Pesquisa
62.160586%
Neste trabalho são apresentados dados preliminares de geoquímica isotópica Rb-Sr e Sm-Nd em amostras de rochas detríticas das bacias do Ediacariano-Câmbrico Inferior da Zona de Ossa-Morena. As amostras analisadas mostram valores baixos da razão 147Sm/144Nd (0.105-0.119) e negativos de εNd(T) (-3.9 to -12.4), sugerindo uma proveniência típica da crusta continental. Estes resultados obtidos para as rochas do Ediacariano-Câmbrico Inferior da Zona de Ossa-Morena são similares aos registados para rochas correlacionáveis da Zona Saxo-Thuringia (Alemanha).; This work presents preliminary Rb-Sr and Sm-Nd isotope geochemistry results from samples of detrital rocks from the Ossa-Morena Zone Ediacaran-Early Cambrian basins. The analysed samples present low 147Sm/144Nd values (0.105-0.119) and negative εNd(T) values (-3.9 to -12.4), which suggest a typical upper continental crust provenance. These results of Ediacaran-Early Cambrian Ossa-Morena Zone rocks are close to those obtained for the Saxo-Thuringian Zone (Germany) correlatives.

‣ Contribuição dos sistemas isotópicos Sm-Nd e Rb-Sr para o estudo petrogenético do maciço granítico peraluminoso de duas micas da cidade do Porto (NW Portugal)

Almeida, A.; Santos, J. F.; Noronha, F.
Fonte: Faculdade de Ciências da Universidade do Porto Publicador: Faculdade de Ciências da Universidade do Porto
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Português
Relevância na Pesquisa
71.613887%
O Granito do Porto corresponde a um granito hercínico, leucocrata, de duas micas, fortemente peraluminoso. No presente trabalho foram realizadas análises para os sistemas isotópicos Rb-Sr e Sm-Nd, em cinco amostras frescas do granito em estudo. Obteve-se uma isócrona Rb-Sr de 306±7 Ma (MSWD=0,71; 87Sr/86Sr inicial=0,7128), que dentro da margem de erro, deverá refletir a instalação magmática. Em termos de geoquímica isotópica, as razões isotópicas iniciais de Sr e Nd, calculadas de acordo com aquela isócrona, testemunham um claro enriquecimento em Sr radiogénico e um ligeiro empobrecimento em Nd radiogénico, típico de granitos tipo S. Os valores ligeiramente negativos de εNd inicial (entre -1,9 e -3,6) apontam para que a fonte do magma granítico sejam litologias metapelíticas.; The Oporto Granite is a Variscan, highly peraluminous, leucocratic, two-mica granite. In this work, information resulting from isotopic Rb-Sr and Sm-Nd analyses on five fresh samples of the Oporto granite is presented. Rb-Sr data give a 306±7 Ma isochron (MSWD=0.72, 87Sr/86Sr=0.7128), which, within error, should reflect the emplacement age. Geochemically, initial isotopic Sr and Nd ratios, calculated according to that isochron, show a strong enrichment in radiogenic Sr and a slight depletion in radiogenic Nd...

‣ Contribuição dos sistemas isotópicos Sm-Nd e Rb-Sr para o estudo petrogenético do maciço granítico peraluminoso de duas micas da cidade do Porto (NW Portugal); Contribution of Sm-Nd and Rb-Sr isotope systems to the petrogenetic study of the peraluminous two-mica granite pluton in Oporto town (NW Portugal)

Almeida, A.; Santos, J. F.; Noronha, F.
Fonte: LNEG – Laboratório Nacional de Energia e Geologia Publicador: LNEG – Laboratório Nacional de Energia e Geologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
81.662554%
O Granito do Porto corresponde a um granito hercínico, leucocrata, de duas micas, fortemente peraluminoso. No presente trabalho foram realizadas análises para os sistemas isotópicos Rb-Sr e Sm-Nd, em cinco amostras frescas do granito em estudo. Obteve -se uma isócrona Rb-Sr de 306±7 Ma (MSWD=0,71; 87Sr/86Sr inicial=0,7128), que dentro da margem de erro, deverá refletir a instalação magmática. Em termos de geoquímica isotópica, as razões isotópicas iniciais de Sr e Nd, calculadas de acordo com aquela isócrona, testemunham um claro enriquecimento em Sr radiogénico e um ligeiro empobrecimento em Nd radiogénico, típico de granitos de tipo S. Os valores ligeiramente negativos de εNd inicial (entre -1,9 e -3,6) apontam para que a fonte do magma granítico sejam litologias metapelíticas.; The Oporto Granite is a Variscan, highly peraluminous, leucocratic, two-mica granite. In this work, information resulting from isotopic Rb-Sr and Sm-Nd analyses on five fresh samples of the Oporto granite is presented. Rb-Sr data give a 306±7 Ma isochron(MSWD=0.72,87Sr/86Sr=0.7128), which, within error, should reflect the emplacement age. Geochemically, initial isotopic Sr and Nd ratios, calculated according to that isochron...

‣ Geocronologia e geoquímica isotópica de granitoides e metassedimentos da área de São Pedro das Águias (concessão para a prospeção de W de Tabuaço); Geochronology and isotope geochemistry of granitoids and metasediments of São Pedro das Águias area (Tabuaço W project)

Cerejo, T.; Santos, J. F.; Sousa, J. C.; Castanho, N.; Sérgio, G.; Ribeiro, S.
Fonte: LNEG – Laboratório Nacional de Energia e Geologia Publicador: LNEG – Laboratório Nacional de Energia e Geologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
61.912188%
As litologias identificadas na área da Quinta de São Pedro das Águias correspondem a: xistos biotíticos, xistos negros, mármores, rochas calcossilicatadas s.s. e skarns da sequência metassedimentar da Formação de Bateiras, pertencente ao Grupo do Douro do CXG;granito de Paredes da Beira-Tabuaço; vários corpos aplíticos e pegmatíticos. Para as litologias granitoides, foi obtida uma isócrona Rb-Sr de 311±7 Ma (MSWD=1,7; 87Sr/86Sr inicial = 0,7146), a qual é aqui interpretada como datando a sua instalação durante uma etapa tardia da D3 varisca. O granito revela caraterísticas do tipo S, nomeadamente por ser moscovítico e peraluminoso (A/CNK médio = 1,28), e ter assinatura isotópica claramente compatível com crosta metassedimentar (-8,9≤εNd311≤-7,8; +129≤εSr311≤+192). A sobreposição da assinatura isotópica do granito com a dos metapelitos encaixantes indica que o magma parental foi provavelmente gerado por anatexia de metassedimentos do Grupo do Douro. Os metapelitos estudados são, do ponto de vista isotópico, em particular por apresentarem valores mais baixos de εNd311, claramente distintos dos metassedimentos do CXG do Grupo das Beiras, assemelhando-se, em contrapartida, a outras unidades metassedimentares do Maciço Ibérico.; In the area of Quinta de São Pedro das Águias...

‣ Mineralogia, petrologia e geoquímica de granitos e filões aplito-pegmatíticos da região de Guarda - Sabugal

Silva, Paulo José Alves Bravo de Almeida e
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
82.48201%
Tese de Doutoramento em Geologia; A região situada entre Guarda e Sabugal localiza-se na Zona Centro-Ibérica e é dominantemente formada por granitos de tipo S, instalados durante a etapa pós-colisional da orogénese Varisca. Estes granitos são intrusivos em formações metassedimentares do Complexo Xisto-Grauváquico (Grupo das Beiras), de idade Neoproterozóica – Câmbrica Inferior. A implantação dos granitos produziu uma auréola de metamorfismo de contacto com 1 a 7 km de largura, constituída por xistos mosqueados e corneanas pelíticas. As relações de campo, aliadas às características mineralógicas e texturais dos granitos, permitem individualizar a ocorrência de sete intrusões distintas na região: (1) granito de grão médio, porfiróide, biotítico > moscovítico, de Rendo – Barrocal; (2) granito de grão muito grosseiro, porfiróide, biotítico > moscovítico, da Guarda; (3) granito de grão médio, moscovítico > biotítico, de Rochoso; (4) granito de grão médio, ligeiramente porfiróide, com quantidades idênticas de biotite e moscovite, de Ruvina; (5) granito de grão fino a médio, porfiróide, biotítico > moscovítico, de Vila Fernando – Monte Margarida; (6) granito de grão grosseiro...

‣ Estudo Geológico, Geoquímico e Isotópico da Região Compreendida entre Fagundes e Itatuba (PB), Terreno Alto Moxotó, Nordeste do Brasil

Carmona, Luis Christian de Montreuil; Souza Neto, João Adauto de (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
Português
Relevância na Pesquisa
71.340967%
A área investigada situa-se entre as cidades de Fagundes e Itatuba (PB), no Terreno Alto Moxotó, Província Borborema, Nordeste do Brasil. Nesta área ocorre um conjunto de corpos tabulares, lenticulares e sub-elípticos, de uma suíte de rochas graníticas e metamáfico-ultramáficas com lentes de rochas metacarbonáticas associadas, além de skarns, encaixados em um embasamento gnáissico-migmatítico equivalente ao Complexo Floresta. Foram identificadas duas fases de deformação dúctil na área: Dn (tectônica contracional) registrada apenas no embasamento e nas metamáfico-ultramáficas, e Dn+1 (transcorrente), registrada em todos os litotipos da área, esta última fase tendo gerado antiformes e sinformes com planos axiais verticalizados, e expressivas zonas de cisalhamento. Há registros reliquiares de uma fase Dn-1 nos anfibólio-gabros. Pesquisou-se a origem das rochas metacarbonáticas, objeto de suspeita devido à aparente ausência de litotipos paraderivados na área e à ocorrência de feições de campo peculiares nestas rochas, como a sua forma em lentes semi-circulares concêntricas, brechação e texturas fluidais. Realizou-se o mapeamento geológico na escala 1:50.000 (semi-detalhe) de uma área de 240 Km2...

‣ Caracterização geológica e petrogenética do batólito granítico Três Córregos (PR-SP) |b geoquímica isotópica (Nd-Sr-Pb), idades (ID-TIMS/SHRIMP) e 'delta POT.18'O em zircão; Not available.

Prazeres Filho, Helcio José dos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 22/12/2005 Português
Relevância na Pesquisa
92.48248%
O Ciclo Brasiliano-Pan Africano foi responsável pela geração de grande volume de rochas graníticas na porção sul do Cinturão Ribeira (CR). Batólito Três Córregos (BTC), representa a maior unidade granítica do Domínio Apiaí sendo constituído por monzo a sienogranitos, granodioritos, quartzo-monzonitos, raros tonalitos e dioritos, deformados ou não, metaluminosos a fracamente peraluminosos, cálcio-alcalinos de alto a médio K, da tipologia granítica I. Comparações geológicas com o Batólito Cunhaporanga (BCP), unidade geológica situada a NW do BTC e separada pela Faixa Itaiacoca (Grupo Itaiacoca) são efetuadas visando proporcionar uma melhor compreensão dos estágios evolutivos do CR na região. Este trabalho inclui dados de mapeamentos geológicos, petrografia, litogeoquímica, geocronologia ID-TIMS/SHRIMP e geoquímica isotópica 'delta POT.18'O (zircão) e Nd-Sr-Pb (rocha total) dos principais componentes graníticos do BTC. Estudos semelhantes foram estendidos às unidades graníticas pertencentes ao BCP, além dos Stocks Graníticos inseridos nos domínios dos dois batólitos, como Carambeí, Sguário, Correas, Capão Bonito, Rio das Almas. Estudos litoquímicos e isotópicos revelaram a existência de tipos graníticos distintos entre os dois batólitos e internamente aos mesmos. A principal diferença entre os dois batólitos está no comportamento dos álcalis com o BCP...

‣ Petrogênese e geocronologia U-Pb do magmatismo granítico tardi- a pós-orogênico no batólito Agudos Grandes (SP); not available

Leite, Renato Jordan
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 28/03/2003 Português
Relevância na Pesquisa
62.36796%
O presente trabalho integra mapeamento faciológico, petrografia, geoquímica, isotopia Rb-Sr e Sm-Nd, e geocronologia U-Pb no estudo de magmatismo tardi- a pós orogênico do batólito granítico Agudos Grandes, uma extensa unidade Neoproterozóica intrusiva no Complexo Embu, porção central da Faixa Ribeira. Os principais corpos tardi-orogênicos do batólito ocorrem como uma sucessão de intrusões elipsoidais complexamente zonadas que, em direção a oeste, têm caráter progressivamente mais félsico e são mais afetadas por processos hidrotermais. Todos os plútons foram datados pelo método U-PB em monazita, e têm idades indistinguíveis, de \'DA ORDEM DE\'600 Ma. Os termos menos diferenciados são constituintes principais do granito Piedade; peculiar é a linhagem peraluminosa (muscovita-biotita granitos) de borda, que deve ter se gerado por forte contaminação de magmas básicos por material metassedimentar, e contrasta com a linhagem metaluminosa central (biotita granitos portadores de titanita) por exibir menor Mg#, maior Al, padrões de ETR mais fracionados, \'ANTIND. \'épsilon\' N\'\'d IND. T\' mais negativo (-14 a -15 versus -12 a -14) e maior \'ANTIPOT. 87 Sr\'/\' ANTIPOT. 86 S\'\'r IND. T\' (0,712-0,713 versus 0...

‣ Caracterizações isotópicas e percentuais de material particulado respirável e de materiais fontes afins da cidade de Santiago do Chile usando Pb, Sr e Nd como traçadores naturais; Not available.

Díaz Vergara, Mercedes
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 28/09/2001 Português
Relevância na Pesquisa
73.25348%
Este estudo aborda o tema da contaminação atmosférica sob o ponto de vista da Geologia Ambiental. Envolve a aplicação de metodologias usadas normalmente na pesquisa geoquímica e geoquímica isotópica na caracterização do material particulado respirável urbano de Santiago do Chile. Santiago é uma das cidades de maior nível de contaminação do ar devido às condições geográficas e climáticas peculiares, sendo bastante acentuada nos meses de outono e inverno. Estudadas, por gravimetria, as frações finas (menor que 2,5 \'mü\'m) e grossas (2,5 \'mü\'m - 10 \'mü\'m) dos aerossóis da cidade de Santiago nas diferentes estações do ano, observou-se que a fração fina aumenta de forma significativa no inverno, principalmente no centro da cidade. As condições de pouca ventilação favorecem o acúmulo dos contaminantes. O estudo mineralógico por difração de raios X em amostras obtidas pela técnica de amostragem Hi-vol em diferentes pontos da cidade, evidenciam a heterogeneidade da composição mineralógica dos aerossóis aguçada pela falta de sistemas meteorológicos de grande escala nos fluxos de ar. Foi constatada a presença de sericita, anfibólio, gesso, quartzo, feldspato potássico, micas plagioclásio...

‣ Características isotópicas (Nd e Sr) do plutonismo intrusivo no extremo NW do Cráton Amazônico, Venezuela, e implicações para a evolução paleoproterozóica

Teixeira, Wilson; Tassinari, Colombro Celso G.; Mondin, M.
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Geociências Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Geociências
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2002 Português
Relevância na Pesquisa
122.65802%
Rochas granitóides intrusivas em terrenos arqueanos e paleoproterozóicos contíguos, em território venezuelano, foram estudadas em termos da geoquímica isotópica de Nd e Sr, para fins de caracterização petrogenética. Tais plútons estão associados à evolução tectônica das províncias paleoproterozóicas Maroni-Itacaiúnas e Ventuari-Tapajós da parte setentrional do Cráton Amazônico. A suíte Encrucijada (2187 ± 94 Ma), intrusiva no Complexo Imataca, originou-se predominantemente da fusão parcial do substrato arqueano, conforme evidenciam parâmetros negativos de µNd(2, 1Ga) (-2,2 a -4,9) e idades T DM entre 2,82 e 2,49 Ga. Por outro lado, os plútons do Complexo Supamo (2230 - 2050 Ma) e do Grupo Cuchivero (1980 - 1830 Ma), que ocorrem nas províncias crustais adjacentes, são caracteristicamente juvenis (derivados de protólitos paleoproterozóicos). Suas idades T DM concentram-se entre 2,13 e 2,22 Ga, e os valores de µNd(2, 1Ga)são sistematicamente positivos, entre +0,74 e +3,05. Interpretação tectônica em diagramas de correlação isotópica (143Nd/144Nd vs. 147Sm/144Nd e 143Nd/144Nd vs. idade) comparando os dados das rochas plutônicas e do Complexo Imataca, tendo em consideração o acervo geocronológico e geológico da extremidade NW do Cráton Amazônico...

‣ Nd-Sr isotopic geochemistry and U-Pb geochronology of the Fé granitic gneiss and Lajedo granodiorite: implications for paleoproterozoic evolution of the mineiro belt, southern São Francisco Craton, Brazil

Teixeira, Wilson; Ávila, Ciro Alexandre; Nunes, Luciana Cabral
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Geociências Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Geociências
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/04/2008 Português
Relevância na Pesquisa
70.920015%
O gnaisse granítico Fé e o granodiorito do Lajedo são plutons félsicos associados à evolução paleoproterozóica do Cinturão Mineiro na porção sul do Craton São Francisco. O pluton Fé está localizado ao norte da zona de cisalhamento do Lenheiro - importante feição estrutural associada a falhas compartimentando regionalmente o cinturão Mineiro. Esta intrusão possui xenólitos de gnaisse e anfibolito do greenstone belt Rio das Mortes e de rochas máficas de corpos piroxeníticos - gabróicos que afloram nas proximidades. O granodiorito do Lajedo está localizado ao sul da zona de cisalhamento do Lenheiro, possui xenólitos de anfibolito do greenstone belt Nazareno e é intrusivo nas rochas metamáficas do corpo peridotítico - piroxenítico Forro e em rochas anfibolíticas do greenstone belt Nazareno. A composição modal do gnaisse granítico Fé é variável, de monzogranito a sienogranito; o pluton é peraluminoso e apresenta conteúdos de K2O compatíveis com tendências cálcio-alcalina médio K e cálcio-alcalina alto K, enquanto o pluton do Lajedo varia de granodiorítico a tonalítico, é peraluminoso e tem natureza cálcio-alcalina. O gnaisse granítico Fé possui idade U/Pb em zircão de 2191 ± 9 Ma e o granodiorito do Lajedo 2208 ± 26 Ma. Os isótopos de Nd e Sr dos dois corpos revelam que componentes crustais participaram da gênese dos protólitos em ambiente de arco plutônico...

‣ Características Isotópicas (Nd e Sr), Geoquímicas e Petrográficas da Intrusão Alcalina do Morro de São João: Implicações Geodinâmicas e Sobre a Composição do Manto Sublitosférico; Nd and Sr Isotopic, Geochemical and Petrographic Characteristics of the Morro de São João Alkaline Intrusion: Geodynamic Implications and the Composition of the Sub-lithosperical Mantle

Mota, Carlos Eduardo Miranda; Geraldes, Mauro Cesar; Almeida, Julio Cesar Horta de; Vargas, Thaís; Souza, Débora Marinho de; Loureiro, Renata de Oliveira; Silva, Aline Pimentel da
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Geociências Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Geociências
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2009 Português
Relevância na Pesquisa
91.50459%
O Complexo Alcalino do Morro de São João está localizado a NE do Estado do Rio de Janeiro e se destaca pelo desnível acentuado do relevo, sendo composto por dois tipos de rochas: sienitos félsicos de granulometria grossa (K-feldspato, nefelina, hornblenda e titanita, além de pseudoleucita) e melassienitos (com K-feldspato, anfibólio e piroxênio). Dados litogeoquímicos sugerem uma suíte bimodal e observações de campo indicam texturas de misturas de magmas e mingling locais, sugerindo que ambos foram contemporâneos. Os resultados isotópicos de Nd e Sr indicam valores próximos do EMI (Enriched Mantle I - Manto Enriquecido tipo I), sugerindo que a origem destas rochas ocorreu no manto sublitosférico a partir de um reservatório enriquecido com baixos valores 87Sr/86Sr (entre 0,7049 e 0,7061) e 143Nd/144Nd (entre 0,512361 e 0,512428). Os valores de εNd entre -4,03 e -5,54 indicam uma fonte mantélica anâmala e enriquecida, o que é corroborado pelos valores de T DM entre 730 - 830 Ma, discordantes com idades de resfriamento K-Ar, que possuem valores entre 72 - 56 Ma. A comparação das assinaturas isotópicas de Sr e Nd das rochas do Morro de São João com ilhas vulcânicas (Trindade, Santa Helena e Tristão da Cunha) indicam que elas possuem similaridades com Tristão da Cunha e certa discrepância em relação à s assinaturas de Trindade e Santa Helena.; The Morro de São João Alkaline Complex (MSJ) is located in the NE part of Rio de Janeiro State and shows pronounced topography...