Página 1 dos resultados de 2696 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

‣ O ABC do cosmopolitismo: Kant e a educação; The abc of cosmpolitanism: Kant and education

Polla, Caue Cardoso
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 20/09/2013 Português
Relevância na Pesquisa
371.5659%
O estudo que apresentamos tem como finalidade investigar a ideia kantiana de uma educação cosmopolita. Compreendendo o contexto maior no qual se inserem as reflexões de Kant acerca da educação, a saber, a Ilustração do Século XVIII, procuramos diferenciar a proposta kantiana de educação por seu caráter cosmopolita. Em um primeiro momento, traçamos, baseados na noção de clima de opinião, um breve panorama da Ilustração e sua estreita relação com a questão da educação. Em um segundo momento, refletimos acerca da relação entre Rousseau e Kant no que se refere à educação, mostrando as convergências divergências existentes. Nos apoiando da distinção entre educação privada e pública, intentamos mostrar como Kant se opõe à Rousseau ao defender a educação pública, e como esta defesa nos ajuda a compreender a opção de Kant por uma educação com viés cosmopolita. Em um terceiro momento, apresentamos de um ponto de vista geral a concepção de educação kantiana, analisando sua relação com a filosofia da história, uma vez mais com a intenção de realçar a característica cosmopolita. Por último, apresentamos um quadro dos cosmopolitismos kantianos e debatemos como a educação cosmopolita pode ser vista como uma necessidade para Kant.; Our study aims at carrying out an investigation of the Kantian idea of a cosmopolitan education. Contextualizing Kants proposal of a cosmopolitan education within the broader scenario of the Enlightenment movement...

‣ A educação para a autonomia em Immanuel Kant e Paulo Freire

Zatti, Vicente
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
371.5659%
O conceito iluminista de autonomia, que adquire centralidade em Kant, foi essencial para o desenvolvimento da sociedade e da educação desde a modernidade. Kant propôs uma educação a partir da metafísica da subjetividade como uma ética aplicada, formulou tal sentido por meio de uma fundamentação filosófica racionalizada de autodeterminação e autonomia. Para ele, o homem guiado pela sua razão universal, agindo por dever, segundo o imperativo categórico, é auto-responsável e autônomo, enquanto o homem sensível que recebe influências externas à razão é o homem em condição de heteronomia. Em Paulo Freire a autonomia ganha um sentido sócio-político-pedagógico, cabe à educação formar o homem consciente e crítico, capaz de transformar as estruturas opressoras e alienantes, capaz de transformar as condições concretas de heteronomia. Para Freire, autonomia se dá a partir da práxis que leva à libertação. Esse trabalho tematiza, a partir de Kant e Freire, aspectos de uma educação que vise superar as heteronomias do nosso tempo e formar para a autonomia. Para tal, analisamos a concepção de autonomia de cada autor, as heteronomias contra as quais se voltam, as confluências e dissonâncias entre ambos os autores...

‣ O território do conceito : lógica e estrutura conceitual na filosofia crítica de Kant

Fonseca, Renato Duarte
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
372.8671%
A concepção kantiana da lógica é marcada pela distinção entre dois níveis de reflexão: à lógica geral concernem as regras que governam o pensamento como tal, em abstração da origem e do conteúdo de nossos conceitos e juízos, e atendo-se exclusivamente às formas de suas relações recíprocas; à lógica transcendental, por sua vez, concernem as condições sob as quais seria possível uma cognição de objetos independentemente da experiência. Não obstante, a despeito de seus escopos distintos, os princípios da lógica geral e da lógica transcendental devem, por óbvio, ser mutuamente compatíveis. A pre-sente tese parte desse truísmo para investigar qual concepção da estrutura da representa-ção conceitual é capaz de satisfazê-lo. Em outras palavras, ela pretende elucidar que tipo de caracterização das dimensões próprias a qualquer conceito – sua extensão e seu conteúdo – pode adequar-se a uma imagem coerente do projeto de Kant, que abranja sua compreensão da forma lógica do juízo e seu tratamento da possibilidade de juízos sinté-ticos a priori. O primeiro capítulo examina a visão kantiana das funções lógicas do juí-zo como funções de subordinação extensional de conceitos e, com base nisso...

‣ Kant e o fim da modernidade pré-crítica: os sonhos de um visionário

Girotti, Márcio Tadeu
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 165 f.
Português
Relevância na Pesquisa
370.72395%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Filosofia - FFC; A pesquisa pretende abordar os escritos da década de 1760, da filosofia kantiana, com o intuito de apontar quais os elementos de cunho crítico presentes nesses escritos, que desembocam na obra Sonhos de um visionário explicados por sonhos da metafísica (1766). No ano de 1763, com o Único argumento possível para uma demonstração da prova da existência de Deus e com o Ensaio para introduzir a noção de grandezas negativas em filosofia, Kant aponta para o papel da experiência na existência do simples possível e para o papel da oposição real para os acontecimentos da ordem fenomenal. Tem-se, por parte de Kant, uma preocupação com o estatuto da metafísica tradicional que se apoia em provas não concretas e busca, por meio de inferência e pelo princípio de contradição, mostrar a ordem do mundo e a existência do real. Nesse sentido, Kant começa a engendrar uma crítica ao racionalismo de cunho dogmático, em especial à escola Leibniz-wolffiana, tendo como influências as inovações da ciência newtoniana e o ceticismo de David Hume. Assim, é possível encontrar nos Sonhos de um visionário pistas que conduzem à interpretação da obra como um fechamento da filosofia pré-crítica de Kant...

‣ Sobre respeito e autonomia em Kant

Fernandes, Paulo Cézar
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 147 f.
Português
Relevância na Pesquisa
370.72395%
Pós-graduação em Filosofia - FFC; Este trabalho tem por objetivo apresentar alguns conceitos chave da filosofia prática de Kant, especialmente respeito e autonomia, bem como o caminho percorrido pelo filósofo para formulação de uma possibilidade para a liberdade prática. Esse percurso será investigado principalmente junto de duas obras, a saber, Fundamentação da metafísica dos costumes e Crítica da razão prática. Nelas Kant apresenta o respeito como um sentimento que é produzido pela consciência da lei moral, a única lei capaz de mostrar a liberdade como autonomia da vontade. Ao lado do respeito Kant apresenta um outro sentimento prático, a saber, a humilhação. Defenderei a tese de que ambos os conceitos, respeito e humilhação funcionam como duas forças do ânimo que são exercidas pela vontade diante da lei. A análise dos mesmos dar-se-á como sendo duas forças do ânimo descobertas por Kant em analogia com o conceito de força física da mecânica newtoniana, e em conformidade com o próprio conceito kantiano de analogia; This work aims to present some key concepts of the practical philosophy of Kant, especially respect and autonomy, and the path traveled by the philosopher to formulate a possibility for the practical freedon. This kantian`s path will be investigated mainly from two of most important works...

‣ O lugar e a especificidade da educação na filosofia prática de Kant

Andrade, Renata Cristina Lopes; Carvalho, Alonso Bezerra de
Fonte: Universidade Estadual Paulista Publicador: Universidade Estadual Paulista
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 85-102
Português
Relevância na Pesquisa
374.2165%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); We point out the practical philosophy of Kant constituted and sustained, appropriately, of two parts: i) a pure part (not empirical), in which the moral principle is searched and fixed, ii) empirical part, which consists of the verification of the possibility of effectiveness of the supreme principle of morality, at that time, taking into account the condition and characteristics of human nature. The Education, as conceived by Kant, composes one of the parts of his practical philosophy, the empirical one (or the second part of morality), which treats morality applied to humans - the action usually with moral value, in this case, through education. We believe that effective moral education pathway through a possible moral formation (formation and character development) can be better understood when shown and located the unique place that education occupies within the Kantian moral thinking, and when we set its peculiarities. In other words, when we reflect on some issues, such as education, according to Kant, can achieve moral action? Can effect the morality? Or, according to Kant, ethics can be taught? Weigh that in locating the proper place that education occupies in his practical philosophy...

‣ M Schott(org) Feminist Interpretations of Immanuel Kant

Henriques, Fernanda
Fonte: Kant-Studien Publicador: Kant-Studien
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
461.6568%
Trata-se de uma recensão que dá conta da exploração feminista do pensamento de Kant.

‣ A fundamentação da moral no limite da razão em Kant

Dejeanne, Solange de Moraes
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
372.8671%
A tese da fundamentação da moral no “limite da razão” em Kant apóia-se principalmente em três argumentos: na concepção dos noumena como conceito-limite e respectiva determinação dos limites da razão pelo uso especulativo-regulativo das idéias transcendentais; na defesa da liberdade prática; e na doutrina kantiana do Facto da Razão. Para o desenvolvimento da argumentação, exploram-se conceitos presentes no pensamento crítico que aparentemente não são submetidos a qualquer crítica, mas que, segundo Kant, constituem a própria “natureza” da razão humana, tais como o de “necessidade” e “interesse” da razão. Defende-se a integração destes elementos “dinâmicos” da razão na discussão de argumentos centrais do pensamento kantiano não só no intuito de contribuir para uma melhor compreensão da proposta kantiana de uma fundamentação racional da moralidade, mas, principalmente, para chegar a um “bom termo” acerca da “unidade da razão”, tendo em vista que a justificação de um princípio moral puro exige tal unidade. Enfatiza-se a posição de Kant de que a determinação dos limites do conhecimento só pode realizar-se por algo externo ao próprio campo da experiência possível, isto é...

‣ Paz e república mundial: de Kant a Höffe

Grossmann, Elias
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
372.26984%
A tese, Paz e República Mundial: de Kant a Höffe, como o próprio título já denuncia, está centrada no estudo do modelo kantiano de paz mundial e que serve de base para o projeto de uma República Mundial, elaborado pelo filósofo alemão contemporâneo Otfried Höffe. Na concepção kantiana, a paz perpétua repousa no campo do direito e é, conseqüentemente, uma missão jurídica. Os homens têm o dever de abandonar o estado de natureza e ingressar num estado civil marcado pelo direito e capaz de garantir a paz e a segurança entre eles. Uma vez ingresso no estado civil, Kant reclama dos Estados uma constituição republicana por compreendê-la como a que melhor atende ao preceito de se alcançar a paz entre os homens. Assim, a primeira parte do trabalho tem como escopo analisar a teoria contratualista kantiana, os argumentos apresentados na defesa de um Estado republicano e na sua representação para uma efetiva e eficaz promoção da paz. Sustentamos que os princípios republicanos, que hodiernamente podem ser traduzidos como democráticos, permanecem defensáveis. De forma análoga aos indivíduos, Kant também exige que os Estados regulem suas ações pelo direito e sugere a união dos mesmos em torno de uma federação de Estados livres. Defendemos...

‣ Natureza humana e moralidade: sobre o lugar e o papel da antropologia na filosofia moral de Kant

Gaboardi, Jociéli Jorge
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
374.2165%
O presente estudo tem como objetivo compreender qual o lugar e que papel exerce a antropologia dentro do pensamento moral de Kant. Toma-se como ponto de partida a afirmação do filósofo na sua Lógica (1800), onde se lê que a resposta à pergunta “que é o homem?” responde também a outras perguntas, tanto de natureza metafísica e religiosa, quanto moral. (1992, p. 42, Ak 25). Com tal afirmação, Kant atribui à antropologia grande responsabilidade, pois a coloca como ponto indispensável por onde passaria o conhecimento daqueles três saberes. Todavia, a exigência do modelo kantiano de fundamentação a priori da moralidade parece apresentar-se como uma barreira ao desenvolvimento do conhecimento que ofereceria respostas àquela última dimensão. A partir dessa dificuldade, busca-se compreender, em primeiro lugar, por que Kant elevou a antropologia a tal status, haja vista a prescrição da Fundamentação da metafísica dos costumes (1785), que exige a não-adição de quaisquer elementos empíricos, inclusive antropológicos, para levar a cabo os seus esforços. Para isso, investiga-se, em segundo lugar, o tipo de relação que a antropologia estabelece com a filosofia moral e mostra-se a especificidade do método da antropologia kantiana...

‣ Medicina filosófica: as relações entre medicina e filosofia na Grécia antiga e em Kant

Soares, Sônia
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Filosofia; Metafísica Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Filosofia; Metafísica
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
371.5659%
This work deals with the relationship between medicine and philosophy, which has existed since Antiquity, and will also be discussed here from Kant s perspective. It presents the historical context formed by reciprocal influences of common notions regarding health/disease, balance/justice, and just measure, which are present in the medical discourse as much as in the philosophical one. It considers that Hippocratic medicine emerges from concerns about dietetics, thus creating the link between philosophy and medicine, which is important for our analysis on Kant s contributions to Hippocratic legacy. Taking into account these considerations, the work distinguishes between two aspects which are associated within the dietetics presented by Kant in his work The conflict of the faculties, studied here in the light of his Doctrine of virtue, particularly the duties to oneself in regard the care of one s body and the teleological conception. In this sense, the work indicates the role of Kantian thinking not only to enrich medical dietetics, by lending to it moral value, but also to enrich philosophy by highlighting its therapeutic effects; Este trabalho trata da relação entre medicina e filosofia que se estabeleceu desde a Antiguidade, e será aqui discutida também no pensamento de Immanuel Kant. Apresenta o contexto histórico de influências recíprocas em que noções comuns sobre saúde/doença...

‣ Immanuel Kant e a construção contemporânea da paz perpétua; Immanuel Kant and the contemporary construction of perpetual peace

VIEIRA, Patrick Di Almeida
Fonte: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em Filosofia; Ciências Humanas Publicador: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em Filosofia; Ciências Humanas
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
372.8671%
In this present work, it will be attempted an inquirement on the theorization of a world federative system idealized by the german philosopher Immanuel Kant. Within this frame, will be investigate the solution accomplished for the coexistence issue of a myriad of states and its disagreement. Kant developed a philosophy of history witch predicts a steady evolution of companionship founded by the use of reason. And it, on one hand, would warrant the expectation of a peaceful resolution of conflicts were philosophycly possible throughout the development of a federative organism capable to mediate conflicts. This work is focused on Kant s ideas contained in the text: Perpetual Peace . For the german philosopher, the so-called perpetual peace lies on the edge of time or yet an objective to be followed by the states due to a disposition for the progress that leads to the accomplishment of a so-called higher political virtue. It is intended to assess the weight of Kant s ideas for contemporary liberal democracy and the present debate on human rights within current liberal democracies. It is brought forward yet that Kant is still relevant for contemporary liberal democracy in the sense of developing solutions for political tension that arises on the horizon of a newly born century.; No presente trabalho...

‣ L'interdiction du mensonge chez Kant

Barry, Amadousadjo
Fonte: Université de Montréal Publicador: Université de Montréal
Tipo: Thèse ou Mémoire numérique / Electronic Thesis or Dissertation
Português
Relevância na Pesquisa
374.2165%
Ce mémoire est consacré à l’analyse du mensonge chez Kant. Or, comme la Métaphysique des moeurs est subdivisée en deux volets, le premier portant sur le droit et le second sur la moralité proprement dite, nous nous sommes proposé d’envisager le mensonge selon ces deux points de vue, en commençant par le second. En nous appuyant sur les textes de Kant qui envisagent le mensonge comme faute morale, les Leçons d’éthique, la Fondation de la Métaphysique des Moeurs, la Doctrine de la Vertu, nous montrons que Kant condamne moralement le mensonge parce qu’en lui-même, le mensonge constitue la plus grave violation du devoir de l’homme envers lui-même : la sincérité. L’homme qui n’est pas sincère, c’est-à-dire qui dit délibérément le contraire de ce qu’il pense non seulement va à l’encontre de la finalité inhérente à la communication, mais aussi, par le mensonge, l’homme renonce à sa personnalité. En renonçant ainsi à sa personnalité, l’homme cesse d’être un homme véritable, c’est-à-dire celui en qui la pensée et le dit coïncident, il devient un semblant d’homme, c’est-à-dire celui qui délibérément dit le contraire de ce qu’il pense. En s’appuyant sur le texte de Kant qui envisage le mensonge au point de vue du droit...

‣ Intuição e conceito: a transformação do pensamento matemático de Kant a Bolzano; Intuition and concept: the transformation of the mathematical thinking from Kant to Bolzano

Clímaco, Humberto de Assis
Fonte: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Educação (FE); Faculdade de Educação - FE (RG) Publicador: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Educação (FE); Faculdade de Educação - FE (RG)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
372.26984%
Taking part of the research line Grounds of the Educational Process of Post-graduate program in education of Universidade Federal de Goiás, this thesis reflects, in an original way, on the core issues the fundamentals of core issues of the today‘s mathematical education, opening new horizons for this area of knowledge. It discusses the transformation of the relationship between intuition and concept in the philosophy of mathematics occurred in the early nineteenth century, when the nature of mathematical knowledge has undergone such profound changes that mathematics came to be called Pure Mathematics, a subject that is relevant to understand the contradiction between simplicity and clarity sought by the creators of Pure Mathematics to make it a language, and the difficulty and lack of meaning with which it is often seen in schools. The way of conceiving knowledge was profoundly changed by this transformation, and in particular changed the meaning of intuition. Kant's work has been discussed in this thesis due to the constructive role that the philosopher attributed, in its critical period, to the intuition of the knower subject; with the work of Kant...

‣ Kant e os fundamentos epistemológicos da teoria geográfica da paisagem: possibilidades e limitações; Kant and the epistemological foundations of the geographical landscape theory: possibilities and limitations

Pacheco, Rodrigo da Cunha
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 25/08/2015 Português
Relevância na Pesquisa
371.5659%
Esta pesquisa busca analisar a filosofia crítica kantiana com dois objetivos básicos: identificar sua articulação com a visão de geografia promovida por Kant através do seu curso de geografia física e determinar os aspectos positivos e negativos que ela oferece para a fundamentação epistemológica do atual paradigma geográfico da paisagem. A hipótese inicial foi que a filosofia crítica poderia embasar a discussão a respeito da fundamentação epistemológica de uma teoria geográfica da paisagem. Ela encontrou que o filósofo teve um intenso relacionamento com o conhecimento geográfico do seu tempo, o qual contribuiu para a formulação de sua filosofia crítica, já que forneceu a fundamentação empírica para suas reflexões. O debate filosófico intenso que Kant provocou, todavia, não se repetiu no campo geográfico. Sua leitura geográfica da paisagem procurava relacionar os elementos no espaço, como as características dos habitantes e seus climas. Não obstante, ela era cheia de limitações devido a sua preferência por uma abordagem universalista e normativa das sociedades, como os pesquisadores fazem no campo das ciências naturais. Sua concepção histórica da sociedade não era suficiente. Esta pesquisa defende que o resultado do método de abordagem geográfica de Kant era falho em alguns aspectos. Ele ignorava o contexto histórico no qual as pessoas viviam e fornecia uma educação geográfica falha...

‣ Crítica em Kant e Michel Foucault : semântica transcendental e semântica transcendental-histórica (sobre produção de Filosofia); Critique in the Foucault's and Kant works : transcendental semantics and transcendental-historical semantics (about the production the Philosophy)

Suze de Oliveira Piza
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 18/06/2014 Português
Relevância na Pesquisa
376.6176%
Esse texto se insere no debate contemporâneo sobre as aproximações entre Kant e Foucault. A relação entre essas duas Filosofias é, ao mesmo tempo, de ruptura e continuidade. Por um lado, o método arqueologia-genealogia levará a resultados que se opõem a muitas teses de Kant sobre o ser humano, o conhecimento e a história. Por outro lado, Foucault não abandona em nenhum momento as fôrmas kantianas de fazer Filosofia e seu método está mergulhado no modelo kantiano e na atitude crítica. Foucault nega o a priori formal, mas afirma um a priori histórico; nega o sujeito transcendental e, consequentemente o idealismo transcendental, mas afirma analogamente um transcendental histórico; inverte categorias kantianas fundamentais e produz algumas de suas principais teses acerca do sujeito moderno. Foucault inverte categorias kantianas, assim como ao longo da história da Filosofia, grandes pensadores subverteram seus mestres criativamente. Foucault assume a atitude crítica, adota o modelo da Filosofia transcendental, usando, portanto, as fôrmas de Kant, contudo, troca o seu conteúdo. Nossa tese caracteriza o que o próprio Michel Foucault indicou como sendo sua filiação kantiana; isto é, se este se inscreve de alguma forma na tradição filosófica...

‣ A fundamentação moral do direito na filosofia de Kant

Helfenstein, Mara Juliane Woiciechoski
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
373.8259%
Esta tese tem o objetivo de investigar o estatuto dos princípios fundamentais do direito, apresentados por Kant na Doutrina do direito, parte constitutiva da obra Metafísica dos costumes, a fim de mostrar como Kant fundamenta a sua teoria do direito racional. A questão fundamental no que concerne à teoria do direito de Kant, e que há muitos anos suscita o debate entre os intérpretes, diz respeito à possibilidade ou não do direito encontrar os fundamentos de seus conceitos e princípios fundamentais na teoria moral elaborada por ele na Fundamentação da metafísica dos costumes e na Crítica da razão prática. Recentemente pode-se observar um crescente número de estudiosos que afirmam a independência da Doutrina do direito da teoria moral kantiana e, consequentemente, a independência dos princípios a priori do direito do imperativo moral. Contrariamente a essa posição, esta tese procura mostrar que Kant fundamenta o direito em sua teoria moral - o direito pressupõe a teoria moral e seu princípio fundamental, o imperativo moral, - e que essa é a única maneira de interpretarmos a Doutrina do direito se não quisermos fazer afirmações que entrem em contradição com o pensamento do próprio autor. A tese que afirma a fundamentação moral do direito se baseia em duas afirmações...

‣ A discreta antinomia da razão pura prática de Kant na Metafísica dos costumes; The discrete antinomy of Kant´s Pure Practical Reason in the Metaphysics of Morals

Klemme, Heiner
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 14/06/2008 Português
Relevância na Pesquisa
372.26984%
Na primeira parte do presente artigo, começo por um esboço sobre a relação entre liberdade, moral e mundo em Kant. Na segunda parte, discuto os exemplos de Christian Wolff e Christian August Crusius como duas versões modernas do indifferentismus moral. Na terceira parte, proponho a ideia de que a concepção de dever moral, explicitada por Kant nos anos de 1780 e 90, pressupõe a liberdade humana de poder escolher entre uma ação por dever, uma ação conforme ao dever e uma contrária ao dever. Na quarta e última parte, por fim, tentarei mostrar que a crítica de Kant à concepção de Libertas indifferentiae na Metafísica dos Costumes não está em contradição com sua ideia de que, do ponto de vista moral, o homem pode e tem de se determinar livremente à ação. Certamente essa interpretação conduz a algo como uma discreta antinomia da razão pura prática, embora esta não seja uma denominação do próprio Kant. ; IN THE FIRST PART OF THIS PAPER I PRESENT AN OUTLINE OF THE RELATION BETWEEN FREEDOM, MORALS, AND WORLD IN KANT. IN THE SECOND PART I DISCUSS THE EXAMPLES OF CHRISTIAN WOLFF AND CHRISTIAN AUGUST CRUSIUS AS TWO MODERN VERSIONS OF MORAL INDIFFERENTISMUS. IN THE THIRD PART I ADVANCE THE IDEA THAT THE MORAL DUTY CONCEPTION MADE EXPLICIT BY KANT IN THE 1780S AND 1790S PRESUPPOSES HUMAN FREEDOM TO CHOOSE AMONG AN ACTION FROM DUTY...

‣ Kant e o estatuto dos milagres

Bonaccini, Juan A.; Universidade Federal de Pernambuco
Fonte: SFL – Seminário Filosofia da Linguagem Publicador: SFL – Seminário Filosofia da Linguagem
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/08/2013 Português
Relevância na Pesquisa
375.6168%
Sabe-se que o estatuto e a crença em "milagres" têm sido objeto de disputas e controvérsias na história da filosofia moderna, mas geralmente se ignora que Kant elaborou uma teoria bastante idiossincrática acerca dos milagres.As poucas menções que se encontram na literatura evidenciam um status quaestionis que ora equipara e assimila a posição de Kant à de Hume, com base numa análise que privilegia certa interpretação da sua epistemologia (Peddicord, 2001), ora reconhece algumas diferenças entre ambas as posições, mas tomando como base apenas a crítica kantiana da religião (Nuyen, 2002). Nesse contexto, meu objetivo central é apresentar, discutir e avaliar a viabilidade da teoria kantiana dos milagres. Em primeiro lugar,argumento que tanto aqueles que defendem que Kant acreditava em milagres (ou teria defendido a crença em milagres), como Nuyen (2002), quanto os que sustentam que para Kant milagres são impossíveis, como Peddicord (2001), devem enfrentar evidência textual contrária a sua posição. Em segundo lugar, destaco e analiso algumas passagens naReligião para mostrar (contra Nuyen) que quando Kant fala sobre os milagres é claramente negativo quanto a sua credibilidade;  e (contra Peddicord), que nem por isso quer dar a entender que milagres seriam impossíveis em si mesmos. Na terceira e última parte do estudo proponho analisar e discutir algumas passagens pouco conhecidas das Preleções de Metafísica para mostrar que Kant sustenta uma concepção não-humeana acerca dos milagres...

‣ The figures of friendship in Kant and their relation to Moral, Law and Politics; As figuras da amizade em Kant e suas relações com a Moral, o Direito e a Política

Travessoni Gomes, Alexandre; Universidade Federal de Minas Gerais
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 26/09/2011 Português
Relevância na Pesquisa
372.26984%
This essay deals with Kant’s concept of friendship and tries to relate itto Kantian moral, legal and political theories. As a way to present an introductionto the topic, the text begins by bringing Aristotle’s concept and forms of friendship.After that, the concept and forms of friendship Kant presented both in hisDoctrine of Virtue (The Metaphysic of Morals) and Lectures on Ethics are handled.Then the text approaches the problems and the advantages of Kant’s concept offriendship and, last but not least, under the inspiration of Aristotle, it tries tobring Kant’s theory of friendship closer to his moral, legal and political theories.; Este ensaio aborda o conceito de amizade em Kant, e procura relacioná-lo com amoral, o direito e a política kantianos. Como forma de introduzir a temática, começa otexto com uma abordagem do conceito e dos tipos de amizade apresentados por Aristóteles.Após isso, aborda o conceito e os tipos de amizade apresentados por Kant, tanto naDoutrina da Virtude (A Metafísica dos Costumes) quanto nas Preleções sobre Ética. O textotrata então dos problemas e das vantagens que o conceito kantiano de amizade representa...