Página 1 dos resultados de 130 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

‣ Denominal Verbs in Brazilian Portuguese: distinguishing between diachronic and synchronic structures within Distributed Morphology approach; Verbos denominais no português brasileiro: diferenciando estruturas diacrônicas e sincrônicas com uma abordagem em Morfologia Distribuída

Bassani, Indaiá de Santana
Fonte: Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Publicador: Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
47.833%
Recent work on argument structure has shown that there must be a synchronic relation between nouns and derived verbs that can be treated in structural terms. However, a simple phonological/morphological identity or diachronic derivation between a verb and a noun cannot guarantee that there is a denominal structure in a synchronic approach. In this paper we observe the phenomenon of Denominal Verbs in Brazilian Portuguese and argue for a distinction between etymological and synchronic morphological derivation. The objectives of this paper are 1) to identify synchronic and formal criteria to define which diachronic Denominal Verbs can also be considered denominal under a synchronic analysis; and 2) to detect in which cases the label "denominal" can be justifiably abandoned. Based on results of argument structure tests submitted to the judgments of native speakers, it was possible to classify the supposed homogenous Denominal Verbs class into three major groups: Real Denominal Verbs, Root-derived Verbs, and Ambiguous Verbs. In a Distributed Morphology approach, it was possible to explain the distinction between these groups based on the ideia of phases in words and the locality of restriction in the interpretation of roots.

‣ A relação entre caso e definitude no hebraico: o construct state e a marcação diferencial de objeto; The relation between case and definiteness in Hebrew: the construct state and differential object marking

Minussi, Rafael Dias
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 01/07/2008 Português
Relevância na Pesquisa
47.833%
O objetivo principal deste trabalho é refletir sobre como é construída a relação entre definitude e Caso no hebraico por meio da análise do Construct State e do fenômeno da Marcação Diferencial de Objeto. Dessa forma, pretendemos com essa pesquisa suscitar reflexões sobre o fenômeno da Definitude Espraiada, sobre a Teoria do Caso, sobre a formação do Construct State e dos compounds na sintaxe e sobre a semântica do et. Utilizamos para a análise dos dados o arcabouço teórico da Morfologia Distribuída (Cf. HALLE; MARANTZ (1993), HALLE (1997) e MARANTZ (1997)), além das últimas observações feitas acerca do Programa Minimalista (Cf. CHOMSKY (1998, 2001)), ambos desenvolvimentos recentes da Teoria Gerativa. Assim sendo, de modo diferente de outras análises do Construct State, que não levam em consideração os compostos, nossa análise proporciona uma explicação para a formação, tanto do Construct State, quanto dos compounds, na sintaxe, focalizando a estrutura de cada uma dessas construções: o primeiro possuindo uma estrutura composta de duas raízes abstratas e o segundo constituído apenas por uma raiz. A estrutura dos compounds procura refletir a não composicionalidade entre os dois nomes que o formam. Já a estrutura do Construct State privilegia a composicionalidade dos membros do construto...

‣ As construções médias do português do Brasil sob a perspectiva teórica da morfologia distribuída; Middle constructions of the Brazilian Portuguese under the theoretical view of the distributed morfology

Pacheco, Juliana da Costa
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 01/07/2008 Português
Relevância na Pesquisa
68.48677%
O propósito deste estudo é descrever e analisar o comportamento de sentenças médias no português do Brasil (PB), tais como Dissertação de mestrado não se escreve fácil e Cachecol tricota rápido. Muito têm-se discutido a respeito das construções médias, em diversas línguas, visto que elas agregam em si uma complexa relação entre a sintaxe, a semântica e, para alguns, o léxico. Foi a extensa bibliografia e a sempre presente discordância entre autores a respeito dessas construções que despertou nosso interesse em trabalhar com esse tema. Entretanto, descrever as construções médias do português Brasileiro revelou-se uma tarefa das mais árduas. Explica-se: há dois fatores de grande importância para a descrição dessas sentenças que estão em aparente mudança nesse idioma. O primeiro desses fenômenos é a mudança no uso dos clíticos que, de modo geral, está diminuindo em nossa língua (Tarallo (1983), Nunes (1990, 1995), Cyrino (1992, 2003), Fernandes (2000). O segundo fenômeno é o fato de o português do Brasil estar passando por um processo generalizado de mudança na classe dos verbos de alternância transitiva, já apontado na literatura (Whitaker-Franchi (1989), Chagas (2000), Viotti & Negrão (2006)). Tendo como perspectiva teórica a Morfologia Distribuída...

‣ Formação e interpretação dos verbos denominais do português do Brasil; Training and interpretation of the denominal verbs of the portuguese of Brazil

Bassani, Indaiá de Santana
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 01/07/2009 Português
Relevância na Pesquisa
37.408435%
Em uma visão etimológica, o Verbo Denominal (VD) é aquele verbo que surgiu historicamente a partir de uma base nominal. Os dicionários consideram que um verbo é denominal quando sua forma nominal cognata tem uma datação anterior nos registros da língua. Há, dessa forma, duas maneiras de tratar a relação entre nome e verbo: em uma perspectiva sincrônica ou diacrônica. Como há certa mistura no tratamento do fenômeno, faz-se necessária uma distinção entre critérios etimológicos e sincrônicos para a determinação do que é um verbo denominal. No presente trabalho, buscamos encontrar critérios formais e sincrônicos para saber quais verbos diacronicamente considerados como denominais podem também ser assim considerados em uma análise sincrônica de formação das palavras e em quais casos há razões comprovadas para propor o abandono do rótulo denominal. Partimos de uma amostra de 4.548 verbos etimologicamente denominais do português, retirados do Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, e a restringimos por critérios de frequência a 95 verbos, que constituíram de fato o objeto de análise do estudo. Submetemos todos os verbos a testes estruturais de formação de sentenças sugeridos por Kyparsky (1987)...

‣ Os verbos de transferência/movimento no PB e a expressão do objeto indireto. Revisitando a noção de estrutura argumental à luz da morfologia distribuída; Verbs of transfer/movement in the brazilian portuguese and the expression of indirect object. Revisiting the concept of argument structure in the light of distributed morphology

Moretti, Fabiana Cristina Baldim Lopes
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/02/2011 Português
Relevância na Pesquisa
47.833%
Os verbos que expressam eventos de transferência/movimento no PB são formados a partir de Raízes que envolvem, em sua semântica, um agente, um elemento transferido/movido e um recebedor/alvo. Geralmente, esses verbos formam construções sintáticas ditransitivas, em que o agente é expresso por meio do sujeito, o elemento transferido/movido por meio de um objeto direto e o recebedor/alvo por meio de um objeto indireto. Nesses contextos sintáticos, o objeto indireto tem suscitado, na literatura pertinente, algumas discussões sobre sua natureza, como: argumento ou adjunto, e, ainda, complemento dativo ou complemento oblíquo. Essas discussões demonstram a indefinição do estatuto sintático-semântico desse elemento para as teorias linguísticas. Entendemos que essas discussões estão ligadas à concepção de estrutura da gramática assumida pelos diferentes pesquisadores e, também, ao modo como estes entendem que as noções de estrutura argumental e de estrutura sintática interagem dentro dessa concepção. Em outras palavras, o debate surge, pois, na caracterização da relação gramatical do objeto indireto com o verbo, é fundamental que o pesquisador disponha de uma teoria da estrutura argumental que lhe permita estabelecer o mapeamento e o licenciamento dos argumentos na sintaxe. Assumimos...

‣ Os sabores do nome: um estudo sobre a seleção de argumentos e as nominalizações do hebraico; The flavors of the noun: a study of Hebrew argument selection and nominalizations

Minussi, Rafael Dias
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 22/08/2012 Português
Relevância na Pesquisa
48.258423%
O objetivo maior deste trabalho é argumentar em favor de que a informação sobre a estrutura argumental das nominalizações está codificada em núcleos funcionais, os quais podem possuir sabores diferentes, isto é, propriedades diversas como causatividade, eventividade, reflexividade etc., em vez de tal informação estar codificada nas raízes abstratas como assumem autores como: Marantz (1997), Embick (2004), Harley (2008), entre outros. O objetivo específico deste trabalho, por sua vez, é analisar como é formado um grupo de padrões do hebraico, o qual forma nomes de ações (cf. GLINERT, 1989), e mostrar que nem todas as nominalizações são formadas por uma camada verbal, contra Hazout (1995) e Shlonsky (2004). Utilizamos como arcabouço teórico do presente trabalho a Morfologia Distribuída (cf. HALLE; MARANTZ, 1993; MARANTZ, 1997; SIDDIQI, 2009), uma teoria não-lexicalista, a qual propõe que tanto palavras, quanto sentenças são formadas pelas mesmas operações durante a derivação sintática. De modo especial, utilizamos a noção de fase dentro de palavras (cf. MARANTZ, 2001 e ARAD, 2003), para explicar que alguns nominais possuem padrões vocálicos que não são atômicos (contra ARAD, 2005), mas são formados em duas fases: uma fase verbal e outra nominal...

‣ Uma abordagem localista para morfologia e estrutura argumental dos verbos complexos (parassintéticos) do português brasileiro; A localist approch to morphology and argument structure of complex verbs (parasynthetic) of Brazilian Portuguese

Bassani, Indaiá de Santana
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 06/12/2013 Português
Relevância na Pesquisa
47.70296%
O objeto empírico desta tese é um subgrupo de verbos complexos do português brasileiro. Os dados estudados são formações sincronicamente transparentes e composicionais com prefixos a-, eN- e eS- e sufixos -ec-, -iz-, -e- e -ej-, incluindo os chamados verbos parassintéticos, e formações originalmente complexas, porém duvidosas quanto à complexidade atualmente. O corpus contém 380 verbos selecionados a partir de dicionário e organizados por critérios de frequência. O objetivo geral descritivo enfoca questões relativas às propriedades e ao comportamento dos afixos, das raízes e das vogais temáticas. A discussão é organizada em torno dos níveis de estrutura morfológica, morfofonológica, argumental e eventual. O objetivo geral teórico do trabalho consiste em discutir as propostas da Semântica Lexical, da Sintaxe Lexical e da Morfologia Distribuída. Como resultados, o estudo oferece uma primeira classificação em verbos parcialmente transparentes e totalmente transparentes. Aqueles são analisados como fruto de um processo de reanálise histórica comparado ao desaparecimento de preverbos. O estudo mostra que existe um continuum entre formações completamente fossilizadas, reanalisadas como simples, em processo de mudança e completamente transparentes e composicionais. Uma segunda classificação se refere a formações com significado composicional e não-composicional. Os dados não-composicionais são estruturalmente analisados através de uma releitura da restrição de localidade na interpretação das raízes e do uso da noção de polissemia das raízes. Os verbos totalmente transparentes e composicionais são descritivamente classificados em verbos de mudança de estado...

‣ Tópicos em composição: estrutura, formação e acento; Topics in Compounding: Structure, Formation and Stress

Nobrega, Vitor Augusto
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/06/2014 Português
Relevância na Pesquisa
47.833%
O objetivo geral desta dissertação é fornecer um quadro amplo da formação dos compostos nas línguas naturais, deflagrando o que deve ser visto como universal em sua formação e o que deve ser visto como particular às línguas. Partindo de uma língua específica, o português brasileiro, demonstramos como a composição se estabelece em um sistema particular, e, no contraste entre as propriedades de seus dados e as propriedades atestadas nesse processo em trabalhos taxonômicos e tipológicos, delineamos as fronteiras entre o geral e o específico. Admitimos que sejam duas as propriedades universais da composição que devem ser abarcadas em um sistema gerativo: (i) o estabelecimento de uma relação gramatical entre os membros de um composto, a saber, uma relação de subordinação, atribuição ou coordenação fato bem comprovado translinguisticamente nos trabalhos de Bisetto e Scalise (2005), Guevara e Scalise (2009), e Scalise e Bisetto (2009) , e (ii) a criação de um domínio categorial acima de dois núcleos complexos conectados em determinada relação gramatical, o qual garante que uma estrutura complexa quase-sentencial seja interpretada como uma única unidade sintática. O particular nesse processo de formação de palavras reside no modo como as línguas naturais emolduram morfologicamente seus compostos...

‣ Morfologia e hidrodinâmica em rios multicanais (anabranching): exemplo do alto rio Paraná

Gon, Priscila Panzarini
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 69 f. : il., tabs.
Português
Relevância na Pesquisa
37.590762%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Geociências e Meio Ambiente - IGCE; A dinâmica do escoamento fluvial é importante para a compreensão das forças atuantes no funcionamento dos processos morfogenéticos fluviais, seja na fase de erosão, de transporte ou de sedimentação. Os rios classificados como multicanais (anabranching) apresentam um diversificado grupo de rios aluviais abrangendo canais múltiplos e interconectados separados por ilhas aluviais grandes e estáveis, que dividem o fluxo. O estudo de parâmetros hidráulicos assim como o transporte e deposição de sedimentos em rios classificados como multicanais torna-se importante uma vez que esse tipo de padrão é o mais frequente nos sistemas fluviais de grande porte. O presente trabalho visa estudar a distribuição de energia, e da carga de fundo bem como a morfologia em um trecho multicanal do alto rio Paraná. A bacia do rio Paraná é a segunda maior bacia hidrográfica da América do Sul, com uma área 3,1milhões de km², cuja drenagem principal (rio Paraná e o seu formador rio Grande) tem cerca de 3.965 km. O trecho de estudo compreende uma extensão de 53 km delimitada por dois pontos em que o rio escoa através de um único canal: a montante Porto São José e a jusante Porto 18...

‣ Hierarquia de pessoa em Avá Guarani : considerações a partir da morfologia distribuída; Person hierarchy in Avá Guarani : a study of distributed morphology

Maria Luisa de Andrade Freitas
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 31/03/2011 Português
Relevância na Pesquisa
58.42592%
Esta dissertação descreve e analisa processos morfológicos e sintáticos relacionados ao fenômeno da hierarquia de pessoa presente na língua Avá Guarani (Família Tupi-Guarani / Tronco Tupi), a partir do quadro teórico da Gramática Gerativa e, em especial, a partir da Morfologia Distribuída (HALLE; MARANTZ, 1993; HALLE, 1997 e MARANTZ, 1997). Hierarquia de pessoa é um padrão morfossintático encontrado em diversas línguas do mundo, no qual a categoria de pessoa (se primeira, segunda ou terceira) dos argumentos nucleares interage com fenômenos morfológicos e sintáticos. Neste estudo, atestaremos que o Avá é uma língua que exibe um padrão de hierarquia de pessoa (1 > 2 > 3), que afeta o sistema de concordância da língua, ou seja, a seleção do argumento que será marcado nos verbos transitivos está condicionada à pessoa que figura na posição de sujeito e de objeto. Esta relação entre a hierarquia de pessoa e o sistema de concordância é tradicionalmente descrita para as línguas Tupi-Guarani. Este trabalho evidencia, contudo, que o fenômeno da hierarquia de pessoa apresenta implicações também na ordem sintática da língua Avá Guarani. Tendo em vista uma interface entre a Sintaxe e a Morfologia, esta dissertação apresenta dois principais momentos de análise: com relação aos aspectos sintáticos...

‣ Aspectos da derivação prefixal e sufixal no português do Brasil

Oliveira, Solange Mendes
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 252 p.| il.
Português
Relevância na Pesquisa
37.590762%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão, Programa de Pós-Graduação em Linguística, Florianópolis, 2009.; Esta tese descreve e analisa, sob uma perspectiva sincrônica, alguns processos de formação de palavras por derivação por meio da interação entre a morfologia e a sintaxe, a semântica e a fonologia, com o intuito de estabelecer formalmente alguns dos princípios que pautam a derivação de um modo geral e as eventualidades que as formações derivadas denotam. O estudo aborda as derivações com os afixos des-, re-, -nte, -dor/-tor/-sor, -ec(er)/-esc(er) e -iz(ar), usando para descrição e análise o arcabouço teórico da Morfologia Distribuída, proposta inicialmente por Halle e Marantz (1993, 1994) e Marantz (1996, 1997). O trabalho divide-se em três partes. A Parte I trata do quadro teórico no qual a tese se baseia e que dará suporte ao estudo da derivação. A Parte II aborda a teoria de representação sintática da estrutura de evento proposta por Marantz (2005a, 2005b; 2006a; 2007a; 2007b) e por Medeiros (2008) e apresenta a relação e definição dos traços aspectuais que marcam os afixos, assim como uma proposta de classificação para as raízes...

‣ As Formas verbais regulares e simples do português brasileiro

Teixeira, Gabriel Sanches
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 90 p.| il.
Português
Relevância na Pesquisa
37.590762%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão. Programa de Pós-Graduação em Linguística; trabalho trata as formas verbais regulares simples do sistema verbal do português brasileiro sob uma perspectiva formalista: a da morfologia distribuída. O ponto de partida é a ideia de Oltra Massuet (1999) de que não só os radicais são estendidos por índices temáticos, mas que os morfemas modo-temporais também o são. Essa condição de boa formação é atingida através da aplicação de uma regra sobre todos os núcleos sintático-funcionais na morfologia, que gera nós adjacentes àqueles, ideias que também foram discutidas e aprofundadas nos trabalhos de Arregi (2000) e Pomino (2008). No entanto, em alguns casos a satisfação dessa regra leva a problemas de adjacência entre nós, de modo que não há como aplicar outras regras, como a de fusão, devido à interveniência desses novos nós. Isso levou à adaptação da proposta de Oltra Massuet em um ponto decisivo: somente os radicais podem ser estendidos por índices temáticos. A partir dessa mudança, todo o aparato foi reconstruído a fim de possibilitar a geração das formas regulares, por meio de três listas de vocabulário principais: uma para os índices temáticos...

‣ Considerações sobre o prefixo re-

Medeiros,Alessandro Boechat de
Fonte: Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Publicador: Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2012 Português
Relevância na Pesquisa
47.833%
O presente trabalho investiga as propriedades morfossintáticas, morfológicas e semânticas do prefixo re- do português brasileiro assumindo o arcabouço teórico da Morfologia Distribuída. Busca-se, assim, estabelecer sua distribuição e sua contribuição semântica nos contextos em que ocorre. O artigo apresenta evidências de que o prefixo em questão modifica (repete) estados que tipicamente decorrem de eventos incluídos nas denotações dos verbos, nos quais a prefixação é licenciada. Assumindo estruturas de evento sintaticamente representadas, é possível entender a distribuição do prefixo e explica-se a interpretação do verbo prefixado, usando a ideia de escopo do prefixo na estrutura de evento associada ao verbo de base: na proposta, o prefixo terá escopo sobre a parte da estrutura que denota o estado atingido. O prefixo não será encontrado em verbos que não estejam associados a estruturas de evento que incluam um estado em sua denotação. Uma vez que estados nas estruturas de evento podem ser veiculados por adjetivos, raízes puras e certos tipos de sintagmas preposicionais, e que o prefixo é licenciado pela presença dessas estruturas, a aposta será de que o prefixo não faz seleção categorial.

‣ Aquisição de sujeitos e objetos pronominais no português brasileiro: um estudo longitudinal dos nulos, pessoais e seus casos na perspectiva da morfologia distribuída

Bulla, Julieane Pohlmann
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
58.01532%
Esta tese trata da aquisição dos pronomes pessoais no português brasileiro (PB) na perspectiva da Morfologia Distribuída. Com base em um corpus composto por falas de três crianças gravadas de forma naturalística e longitudinal entre 1 ano e 7 meses e 3 anos de idade, a investigação apresenta dados quantitativos e qualitativos da produção de pronomes pessoais nas posições de sujeito e objeto, bem como da expressão de sujeitos e objetos plenos e nulos. Por meio de análises morfossintáticas de contextos de 1ª pessoa, verificou-se que as crianças do corpus passam por um Estágio de Pessoa Opcional, em que alternam entre verbos flexionados e com flexão default, igual à de 3ª pessoa. Na exploração do caso morfológico, constataram-se apenas dois casos na aquisição do PB: o acusativo, responsável pela inserção dos clíticos me e te; e o oblíquo, inserindo as formas tônicas mim e ti. Propôs-se que o Merger Morfológico Descendente (EMBICK & NOYER, 1999; 2005) determina o caso acusativo para pronomes de 1ª e 2ª pessoas em posição interna a sintagmas verbais (VP) e caso oblíquo para pronomes de 1ª e 2ª pessoas internos a sintagmas preposicionais (PP).Após a inserção de itens acusativos, há ainda a atuação do Merger Morfológico de Deslocamento Local...

‣ O que não esta la? : um estudo sobre morfologia flexional em elipses

Cynthia Levart Zocca
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/05/2003 Português
Relevância na Pesquisa
47.70296%
Esta dissertação trata da relação entre sintaxe e morfologia que pode ser observada através de sentenças contendo elipses. A análise proposta tem como base o arcabouço teórico do Programa Minimalista de Chomsky (1995, 1999, 2000) e a Morfologia Distribuída de Halle e Marantz (1993). A principal questão levantada diz respeito à necessidade de identidade entre o elemento elidido e seu antecedente. Em primeiro lugar faço a distinção entre dois processos anafóricos descritos por Hankamer e Sag (1976): anáforas profundas, que não têm conteúdo sintático, e anáforas superficiais, que têm conteúdo sintático. Aponto que um dos critérios para identificar anáforas superficiais, identidade estrita entre o antecedente e a elipse, nem sempre parece se aplicar. Mostro que a falta de identidade entre o antecedente e a elipse é apenas aparente, pois existe um ponto da derivação sintática em que são idênticos, sendo que nos dois locais o que existe é um radical e afixos de Caso, tempo ou concordância. Tais afixos são valorados através da operação Agree de Chomsky (1999,2000). Dentro do Programa Minimalista, existem duas formas de eliminar traços não-interpretáveis: através do movimento coberto de traços, Move F (Chomsky 1995) ou de concordância local sem movimento...

‣ Para todos saber(em) : um caso particular de concordância variável em português europeu; Para todos saber(em) : a particular case of variable agreement in European Portuguese

Oliveira, Telma Raquel Freire
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 Português
Relevância na Pesquisa
47.833%
Dissertação de mestrado em Ciências da Linguagem; A concordância verbal enquanto regra variável tem sido objeto de estudo no quadro da Sociolinguística Variacionista especialmente no português do Brasil (PB) (Scherre, l994; Scherre & Naro, l998; Rodrigues, 2004). No caso do português europeu (PE), estudos recentes (Mota & Vieira, 2008; Cardoso, Carrilho & Pereira, 2012) centraram-se na alternância entre a terceira pessoa do plural e do singular em coocorrência com um sujeito plural. Partindo desta noção de regra variável e dos estudos já realizados tanto em PB como em PE, na presente dissertação, investiga-se um caso de variação na concordância verbal em PE que tem uma distribuição e propriedades particulares e, tanto quanto se sabe, não foi descrita anteriormente: os falantes omitem os traços da concordância verbal em contextos de infinitivo flexionado e de futuro do conjuntivo, na presença de sujeito lexical. Este tipo de concordância não padrão é atestado em falantes da zona do Vale do Sousa e do Vale do Ave. Aplicou-se aos falantes do grupo em estudo, numa primeira fase, dois tipos de testes, um offline e um online, respetivamente, um teste de juízos de gramaticalidade com base numa escala de Likert bipolar e um teste de leitura automonitorizada. Posteriormente...

‣ O sincretismo passivo-reflexivo: um estudo translinguístico; The passive-reflexive syncretism: a crosslinguistic study.

Cyrino, João Paulo Lazzarini
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 25/08/2015 Português
Relevância na Pesquisa
38.127522%
Por sincretismo passivo-reflexivo pode-se compreender a ocorrência de uma mesma marca morfológica em construções reflexivas, passivas e anticausativas. O fenômeno, bastante comum entre as línguas, tem sido tratado pela Teoria Gerativa, principalmente, de duas formas diferentes: por um lado, diz-se que o sincretismo passivo-reflexivo é consequência de uma propriedade sintática em comum compartilhada pelos contextos de inserção e, por outro, que - na verdade - os contextos em que o morfema se insere compartilham de uma mesma representação semântica. Do que se tem visto, ambas as formas de abordar o fenômeno são problemáticas: as explicações que fornecem, além de apresentarem alguns problemas teóricos, não se aplicam a tantas línguas quanto o esperado. Essas abordagens também tem levado pouco em conta importantes observações da linguística comparativa, que vem lidando com fenômenos dessa natureza desde o final dos anos 60. Esta tese investiga o sincretismo em questão em um grupo abrangente de línguas e une suas observações com conclusões da tipologia linguística e teoria gerativa, buscando desvendar duas questões, fundamentalmente: (i) por que o fenômeno é tão comum entre as línguas e (ii) qual o estatuto da marca compartilhada. Essas perguntas puderam ser respondidas levando em conta contribuições clássicas da linguística como a primeira definição de verbos anticausativos (Nedjalkov & Silnickij...

‣ O tratamento da morfologia não-concatenativa pela morfologia distribuída: o caso dos blends fonológicos

Nóbrega, Vitor Augusto; USP; Minussi, Rafael Dias; UNIFESP
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 22/05/2015 Português
Relevância na Pesquisa
58.258423%
Neste artigo, discutimos alguns aspectos da morfologia não-concatenativa do português brasileiro, concentrando-nos nas propriedades morfossintáticas e semânticas dos blends. Tratamos, mais especificamente, dos blends fonológicos, nos quais há a sobreposição de segmentos idênticos das palavras-fontes que o constituem (e.g., roubodízio < roubo + rodízio). Demonstramos que, mesmo nos blends formados através de sobreposição de segmentos fonológicos idênticos, o input imediato para a mesclagem decorre de fatores semânticos, e não fonológicos, sendo esses últimos epifenomenais, tal como sugerido em Minussi e Nóbrega (2014)

‣ A Morfologia Distribuída no Brasil: duas décadas de existência

Lemle, Miriam; Scher, Ana Paula; Silva, Maria Cristina Figueiredo; Medeiros, Alessandro Boechat de
Fonte: Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais Publicador: Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Avaliado pelos pares Formato: application/pdf
Publicado em 31/12/2012 Português
Relevância na Pesquisa
68.617666%
Este artigo é um conjunto de quatro testemunhos de pesquisadoresbrasleiros que se apaixonaram pela Morfologia Distribuída desdea publicação do artigo inaugural de autoria de Morris Halle eAlec Marantz, “Distributed morphology and the pieces ofinflection”, em 1993. Essa teoria propõe uma nova arquitetura degramática que tem muito em comum com a sintaxe e pouco a vercom a morfologia tradicional – por exemplo, o antigo léxico édecomposto em três diferentes listas. Cada um dos contribuidoresfoi convidado a responder as seguintes questões: (i) Qual foi acaracterística da Morfologia Distribuída que levou você a gostarmais dessa versão da gramática gerativa?; (ii) Qual foi o primeirotema que você mesma/mesmo explorou com base nessa teoria?;(iii) Por que razão esse modelo parece a você mais vantajoso doque o modelo gerativo tradicional de morfologia?; (iv) Que outrostemas você incentivou e vem incentivando alunos seus a explorar, e que interfaces do modelo ganham foco em cada caso?; (v) Emque novas questões você tem vontade de trabalhar a curto prazo?

‣ Traços de tempo e aspecto e subespecificação morfológica do auxiliar “ir” em construções no futuro do presente e no futuro do pretérito

Rodrigues, Alex de Britto
Fonte: Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais Publicador: Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Avaliado pelos pares Formato: application/pdf
Publicado em 31/12/2011 Português
Relevância na Pesquisa
47.833%
Tendo por base teórica a Morfologia Distribuída, este trabalhoinvestiga os traços de tempo e aspecto relacionados ao verbo “ir”auxiliar, considerando que esse auxiliar e o verbo pleno “ir”compartilham o mesmo item de vocabulário. Primeiramente, sãolevantados os tipos de ocorrência em que o verbo “ir” aparece seguidode infinitivo. Posteriormente, são selecionadas dessas ocorrênciasapenas as que apresentam o verbo “ir” auxiliar, a fim de pesquisar ascondições para seu funcionamento e descrever quais traços relacionadosao sistema temporal (traços de tempo e aspecto) são contidos nele.Para guiar as interpretações relacionadas ao sistema temporal doportuguês, foi usado o sistema temporal proposto por Klein (1994),que contribuiu para os traços de tempo e aspecto serem encontrados.