Página 1 dos resultados de 494 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

‣ Ensinar biologia e geologia nos jardins e praças de Coimbra

Palrinhas, Maria Fernanda Marques
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
48.721387%
O trabalho de campo é uma actividade de ensino realizada no exterior, decorrendo nos locais onde é possível aplicar e aprofundar os conhecimentos construídos na sala de aula. Embora as actividades de exterior sejam sugeridas nas orientações programáticas como estratégia a utilizar na disciplina de Biologia e Geologia, verifica-se que, frequentemente, os professores que leccionam a disciplina evitam realizá-las, apontando dificuldades organizacionais e logísticas como factores desmotivadores da sua implementação. Neste trabalho pretendeu-se avaliar a importância das actividades de exterior como estratégia facilitadora da aprendizagem de temas de Biologia e de Geologia. O estudo foi efectuado numa escola pública localizada junto ao centro histórico de uma cidade da região centro do país e participaram 35 alunos de duas turmas do 11º ano de escolaridade, do curso científico – humanístico de Ciências e Tecnologias. Durante a leccionação dos temas “Sistemática dos vivos” e “Rochas sedimentares” realizaram-se aulas de campo, planificadas com base num modelo construtivista. A avaliação do trabalho de campo fez-se com base em dados qualitativos obtidos a partir de diversos instrumentos de avaliação: testes diagnósticos e sumativos...

‣ Estudo de propriedades petrofísicas de rochas sedimentares por Ressonância Magnética Nuclear; Petrophysical properties study of sedimentary rocks by Nuclear Magnetic Resonance

Souza, André Alves de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 28/05/2012 Português
Relevância na Pesquisa
68.94596%
A Ressonância Magnética Nuclear (RMN) é uma das técnicas mais versáteis de investigação científica experimental, com destaque para o estudo da dinâmica, estrutura e conformação de materiais. Em particular, sua utilização na ciência do petróleo é uma de suas primeiras aplicações rotineiras. Metodologias desenvolvidas especificamente para atender esta comunidade científica mostraram-se desde cedo muito úteis, sendo o estudo da interação rocha/fluido uma de suas vertentes mais bem sucedidas. Desde então, importantes propriedades petrofísicas de reservatórios de óleo e gás têm sido determinadas e entendidas, tanto em laboratório quanto in-situ, nas próprias formações geológicas que armazenam esses fluidos. Entre estas propriedades, a permeabilidade, porosidade e molhabilidade de um reservatório figuram dentre as mais importantes informações estimadas. Com essa finalidade, a determinação e correlação dos possíveis efeitos que a interação rocha/fluido pode causar nos fenômenos de relaxação magnética e difusão molecular, tais como influência da susceptibilidade magnética e geometria do espaço poroso, foram estudados em onze rochas sedimentares retiradas de afloramentos, que possuem propriedades petrofísicas similares àquelas apresentadas por rochas reservatório de petróleo. Os resultados mostraram que os tipos de interação rocha/fluido...

‣ Utilização da RMN no estudo de rochas reservatório siliciclásticas; Utilization of NMR in the study of siliciclastic reservoir rocks

Silva, Rodrigo de Oliveira
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 17/10/2014 Português
Relevância na Pesquisa
48.410576%
Este trabalho foi desenvolvido utilizando-se rochas reservatório siliciclásticas provenientes de afloramentos brasileiros, pertencentes ao Grupo Guaritas (Caçapava do Sul e Pinheiro Machado - RS) e à Formação Pirambóia (Rio Claro - SP), com o objetivo de se obter suas características petrofísicas. As amostras são provenientes de diferentes fácies eólicas e pluviais, com características semelhantes a reservatórios de água e hidrocarbonetos. Foram utilizados experimentos de Ressonância Magnética Nuclear (RMN), intrusão de mercúrio, susceptibilidade magnética, análise de lâmina petrográfica e Espectroscopia de Fluorescência de Energia Dispersiva de Raios-X (EDX) para a análise das amostras. Apesar de serem provenientes de sistemas deposicionais similares, a correlação entre os resultados demonstrou que a diagênese tem importante papel no desenvolvimento dos reservatórios, influenciando na porosidade e permeabilidade das amostras. Foi demonstrado que a susceptibilidade magnética possui correlação com as quantidades de Fe 203, Al 203 e SiO2, onde o Al 203 está relacionado com a quantidade de argila das amostras (aluminossilicatos). Através dos resultados de RMN foi possível estimar a susceptibilidade magnética das amostras através da largura de linha espectral em baixo campo. As estimativas de porosidade e tamanhos de poros via RMN demonstraram compatibilidade com as análises das lâminas e experimentos de intrusão de mercúrio. Com os experimentos de RMN bidimensionais T1xT2...

‣ Aplicação de métodos radiométricos (Rb-Sr e Sm-Nd) na análise de bacias sedimentares o exemplo da Bacia do Paraná

Silva, Diogo Rodrigues Andrade da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
59.62614%
Os métodos radiométricos (Rb-Sr e Sm-Nd) têm sido aplicados, com sucesso, em rochas sedimentares visando a obtenção de idades deposicionais e informações sobre proveniência. Em muitos casos, apesar dos resultados geologicamente significativos, ainda persistem dúvidas em relação a extensão e interpretação dos dados obtidos. Isto ocorre porque as rochas sedimentares resultam da mistura de fragmentos detríticos de diversas proveniências com diferentes sistemas isotópicos, conseqüentemente, já contendo um registro isotópico da rocha fonte. No caso do método Rb-Sr, aplicado em rochas sedimentares de granulometria fina, pode-se obter idades absolutas para o evento deposicional. Isto é viável desde que este registro isotópico proveniente das rochas fonte seja apagado no momento da deposição, ou seja, deve ocorrer a homogeneização isotópica do Sr no ambiente sedimentar. Para tanto, devem ser observados alguns pré-requisitos em relação a amostragem, granulometria, ambiente deposicional e composição mineralógica das amostras, entre outros. No entanto, ainda existem questionamentos em relação a esta metodologia especialmente quanto à ocorrência e à extensão do processo de homogeneização isotópica do Sr em ambiente sedimentar.(Continua0 O método Sm-Nd...

‣ Aplicação de métodos radiométricos em minerais diagenéticos de rochas sedimentares siliciclásticas

Maraschin, Anderson José
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
48.85527%
O objetivo principal desta tese foi a avaliação de métodos radiométricos aplicados em minerais diagenéticos potássicos. Procurou-se verificar a sua viabilidade na obtenção de idades referentes a eventos deposicionais e diagenéticos em rochas sedimentares siliciclásticas. O método 40K-40Ar foi aplicado em ilitas diagenéticas presentes nos arenitos fluviais da Formação Guaritas (Bacia do Camaquã, RS). As ilitas diagenéticas foram identificadas por técnicas analíticas convencionais, como petrografia, difração de raios X e microscopia eletrônica de varredura e transmissão, permitindo a separação de diferentes frações granulométricas para datação. As frações maiores (2-6 μm) contendo ilita resultaram em idades mais antigas (ente 521 e 489 Ma), o que pode indicar uma sútil contaminação por minerais detríticos potássicos, derivados dos granitóides sin-tectônicos adjacentes, potencial área-fonte dos arenitos da Formação Guaritas. As frações mais finas (0,1, 0,4 e < 2 μm), provavelmente desprovidas de contaminação, revelaram idades entre 490 e 470 Ma, representativas do processo de ilitização nos arenitos. Estas idades ficaram muito próximas à idade ordoviciana previamente inferida para esta unidade sedimentar. O outro método utilizado foi o 40Ar-39Ar em overgrowths de K-feldspato que ocorrem em abundância nos arenitos-reservatório da Formação Açu (Bacia Potiguar...

‣ Proveniência de rochas sedimentares detríticas do gráben de piranhas e comparação com a Formação Vila Maria do Siluriano da Bacia do Paraná

Gezatt, Julia Neri
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
58.69835%
O gráben de Piranhas é formado por sedimentos detríticos tendo início nos conglomerados polimíticos basais, gradando para arcóseos microconglomeráticos, arcóseos e argilitos em direção ao topo, os quais compõem a Formação Piranhas. Localiza-se na região sudoeste de Goiás, em uma faixa limitada por falhas, circundada pelas rochas ígneas e metaígneas do Arco Magmático de Goiás do Neoproterozóico. As rochas basais da Formação Piranhas apresentam populações de zircões detríticos com idades predominantes entre 760 e 600 Ma, compatíveis com as idades de algumas das sequências metavulcanossedimentares do Arco Magmático de Goiás, porém, sem registro de idades mais antigas relativas aos ortognaisses, rochas metavulcânicas e granitos miloníticos típicos do arco (ca. 900 a 800 Ma). Estão ausentes também idades mais jovens que 600 Ma, que representariam a erosão dos granitóides pós-tectônicos (de idades entre ca. 590 a 500 Ma). Da mesma forma, as idades de proveniência encontradas para os arenitos do topo da Fm. Vila Maria indicam fontes também de idades neoproterozóicas, mas contêm componentes com idades entre ca. 900-760 Ma, demonstrando erosão mais profunda do Arco Magmático. Populações com idades meso e paleoproterozóicas podem estar relacionadas aos eventos da aglutinação do supercontinente Rodínia e a zircões detríticos dos metassedimentos da própria Faixa Brasília...

‣ Aplicação do método radiométrico Rb/Sr em rochas sedimentares : implificações na definição de idades deposicionais

Silva, Diogo Rodrigues Andrade da; Mizusaki, Ana Maria Pimentel; Conceição, Rommulo Vieira
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
48.721387%

‣ Contribuição do desenvolvimento de uma ontologia para a sistematização dos aspectos descritivos macroscópicos das rochas carbonátics e evaporíticas.; Contribution of development of an ontology for the systematization of the macroscopic descriptive aspects of carbonate and evaporite rocks

Bernardes, Ariane Kravczyk
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
48.908887%
As rochas carbonáticas e evaporíticas têm enorme importância econômica, paleogeográfica e paleoambiental. Entretanto, essas rochas sedimentares carecem em muitos casos de terminologias descritivas padronizadas, que as caracterizem de maneira objetiva e eficiente. Esse fato prejudica a descrição sistemática e conseqüentemente interfere no processo de interpretação da gênese e da evolução dessas rochas, sendo esses conhecimentos altamente relevantes para sua exploração geoeconômica e estudo científico. Este trabalho pretende sistematizar a terminologia utilizada na descrição macroscópica das rochas carbonáticas e evaporíticas. Essa terminologia consiste essencialmente nos aspectos estruturais, texturais e composicionais usados para descrever essas rochas. Com isso, o trabalho objetiva melhorar a qualidade das descrições por meio de uma sistemática de descrição e por meio de vocabulário padronizado. A sistematização do conhecimento será realizada por meio das metodologias baseadas na pesquisa bibliográfica, compilação de dados disponíveis na literatura e por meio das técnicas utilizadas para construção de ontologias. E, como etapa final, será realizada a validação da nomenclatura proposta para que ela possa ser consolidada e testada Os aspectos descritivos selecionados neste trabalho serão validados com base em estudos desenvolvidos sobre essas rochas em diversas bacias sedimentares do mundo. Em uma etapa futura...

‣ Caracterização metamórfica das rochas do grupo Araxá na região de São Sebastião do Paraíso, Sudoeste de Minas Gerais

Luvizotto, George Luiz
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: xvi, 185 f. : il., gráfs., tabs. + 6 mapas e 1 CD-ROM
Português
Relevância na Pesquisa
48.340654%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Pós-graduação em Geologia Regional - IGCE; A área de estudo do presente trabalho está localizada no sudoeste do Estado de Minas Gerais e abrange a Folha Topográfica São Sebastião do Paraíso (SF-23-V-A-Vl-3). Geologicamente, encontra-se inserida na porção meridional da Faixa Brasília. As rochas presentes na área de estudo associam-se aos domínios Cratônico e Interno da Faixa Brasília. Excluem-se desta divisão as rochas sedimentares Fanerozóicas, também presentes na área. Apresenta-se aqui um novo mapa geológico para a Folha São Sebastião do Paraíso, com maior nível de detalhe que o anterior. O mapa destaca a divisão do Grupo Araxá em 7 unidades, denominadas da base para o topo de A a H. O presente trabalho tem como objetivo principal estudar as rochas do Domínio Interno (Grupo Araxá), representado na região pela Nappe de Passos uma unidade alóctone, caracterizada por seqüência essencialmente metassedimentar, com pequena contribuição de rochas metabásicas/metaultrabásicas. A partir do desenvolvimento do trabalho foi possível confirmar o gradiente metamórfico inverso presente nas rochas da Nappe de Passos, descrito anteriormente por vários autores. Os valores de P e T aqui obtidos são superiores aos apresentados na literatura que caracterizaram um gradiente metamórfico inverso variando de 450ºC e 6 Kbar na base a 750º 11kbar no topo. Vários dados obtidos no presente trabalho sugerem temperaturas superiores a 750ºC...

‣ Diagênese e alteração hidrotermal em rochas sedimentares da formação Corumbataí, Permiano Superior, Mina Granusso, Cordeirópolis/SP

Costa, Marcos Natal de Souza
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: x, 140 f. : il., mapas, gráfs., tabs.
Português
Relevância na Pesquisa
58.607656%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Geologia Regional - IGCE; A Mina Granusso está situada nas proximidades de Cordeirópolis/SP e constitui uma fonte importante de matéria-prima para o Pólo Cerâmico de Santa Getrudes. No local aflora uma sucessão de rochas da Formação Corumbataí (Permiano Superior) constituída na base por lamitos maciços que gradam para ritmitos siltosos, passando para um horizonte psamo-pelítico e culminando em uma seqüência de ritmitos siltoarenosos. Uma feição particular é a presença de zonas de alteração hidrotermal, associadas a veios quartzo-carbonáticos e fraturas, que impuseram às rochas alterações químicas, mineralógicas e texturais. Estudos petrográficos, químicos e de DRX indicam que após a compactação mecânica houve injeção de fluidos diagenéticos em um sistema de fraturas originando veios de quartzo de baixa cristalinidade e enriquecimento de sílica de horizontes silto-arenosos. Uma nova injeção fluidal impulsionada pela ação do magmatismo basáltico acelerou a formação de albitas e deu origem a veios com calcita, quartzo, clorita e pirita. Os dados de d18O e d13C mostram que os carbonatos se precipitaram de um fluido isotopicamente homogêneo sem variações drásticas de temperatura. Valores de d13C entre -8...

‣ Propriedades químico-mineralógicas e cerâmicas de rochas da formação Corumbataí: aplicação na diversificação de produtos

Rocha, Rogers Raphael da
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 203 f. : il., tabs.
Português
Relevância na Pesquisa
58.473774%
Pós-graduação em Geologia Regional - IGCE; Este estudo procurou encontrar subsídios para fomentar inovações e melhorias de produtos cerâmicos com a utilização das rochas sedimentares de diversos estratos da Formação Corumbataí, localizados na região do pólo cerâmico de Santa Gertrudes, mediante estudos químico-mineralógicos associados às propriedades cerâmicas. A qualidade especial dessa matéria-prima conduziu a um grande crescimento produtivo na fabricação de uma única tipologia de revestimentos cerâmicos através da moagem via seca, tendo como consequências: a aceleração da atividade minerária, o aumento da oferta destes produtos no mercado e a diminuição das margens de lucro. A necessidade de se pensar na diversificação e inovação dos produtos cerâmicos é devido ao aumento da competitividade entre as empresas situadas no pólo, e também, com suas concorrentes nacionais e internacionais (China). Outros materiais, como a madeira, o cimento e polímeros, também concorrem com as vendas dos produtos cerâmicos, sendo que as cerâmicas são superiores nas propriedades de inércia química e limpeza, porém perdem na questão da instalação e do peso. A busca por um crescimento sustentável para a fabricação de produtos cerâmicos é muito importante para o pólo de Santa Gertrudes...

‣ Natureza composicional e perspectivas metalogeneticas de rochas metassedimentares intercaladas em basaltos komatiiticos do greenstones Belt de Piumhi, Minas Gerais

Claudia Valeria de Lima
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 03/05/1996 Português
Relevância na Pesquisa
59.283286%
As rochas do Maciço de Piumhi (MG) estão reunidas nos Grupos Ribeirão Araras, Paciência e Lavapés. O Grupo Ribeirão Araras é um greenstone belt arqueano e consiste de uma Unidade Tholeiítica Inferior, uma Komatiítica e uma Tholeiítica Superior. Rochas sedimentares ocorrem, da base para o topo, como (i) rochas silicificadas entre um derrame maciço e um almofadado da Unidade Tholeiítica Inferior; (ii) uma seqüência homogênea de metargilitos, sílticos ou não, turbidíticos, entre o topo da Unidade Tholeiítica Inferior e a base da KomatHtica, e (iii) metaturbiditos e filitos carbonosos intercalados em derrames da Unidade Komatiítica. As intercalações sedimentares presentes na Unidade Komatiítica formam a base desta pesquisa. As rochas metassedimentares da Unidade Komatiítica estão agrupadas em três litotipos: Metaturbiditos Máficos, Metaturbiditos Máficos Carbonosos e Filitos Carbonosos. Estes foram analisados para Metais Nobres (Au, Pd, Pt, Ag), Elementos de Transição (Cr, Ni, Co) e Elementos Calcófilos (Cu, Zn, Pb). Pirita, subordinadamente calcopirita, blenda e galena ocorrem como disseminações ou em lâminas e camadas milimétricas em todas as rochas. Os teores de Metais Nobres são baixos « 120 ppb)...

‣ Proveniência de rochas metassedimentares do Greenstone Belt do Rio Itapicuru, Bahia; Provenance of metassedimentary rocks from Rio Itapicuru Greenstone Belt, Bahia

Maria Fernanda Pereira Grisolia
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/03/2010 Português
Relevância na Pesquisa
59.30888%
A área em estudo localiza-se entre o embasamento mesoarqueano do Núcleo Serrinha e o Greenstone Belt do Rio Itapicuru (BA). O Núcleo Serrinha é constituído pelo Complexo Santa Luz, caracterizado por rochas metamórficas gnáissico-migmatíticas (Mascarenhas 1979), cobertas pelas vulcânicas do Grupo Capim (Winge 1984, apud. Cruz Filho et al. 2003) e pelas seqüências vulcano-sedimentares do Greenstone Belt do Rio Itapicuru (Brito Neves et al. 1980), intrudidas por granitóides diversos e recobertas por unidades fanerozóicas. Embora vários estudos tenham sido feitos, ou estão em desenvolvimento no GBRI, pouco se conhece sobre as rochas sedimentares do mesmo e quase nada sobre as relações de contato do GBRI e o embasamento. Por este motivo, foi planejado um projeto de cartografia geológica da transição embasamento-greenstone que resultou em um mapa geológico de uma área com cerca de 700 km2 entre as cidades de Nordestina, Queimadas e Santa Luz, a oeste da exposição principal do greenstone belt do Rio Itapicuru. Nesta região foi mapeada uma sequência de rochas sedimentares clásticas metamorfisadas denominada Sequência Metassedimentar Monteiro por Grisolia (2007) e Moreto (2007) em seus trabalhos de conclusão de curso de Geologia. Estudos de proveniência de sedimentos...

‣ Análise da condutividade térmica em rochas sedimentares

Nunes, Eurides de Souza
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 97 p.| il., grafs., tabs.
Português
Relevância na Pesquisa
69.283286%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico, Programa de Pós-graduação em Ciência e Engenharia de Materiais, Florianópolis, 2013.; Uma das áreas de pesquisa em materiais é a de materiais porosos, tendo como uma das aplicações o estudo da condutividade térmica em rochas porosas. Neste trabalho, utilizou-se o método transiente da sonda térmica, por meio do qual foi determinada experimentalmente a condutividade térmica efetiva de seis amostras testemunhos: uma de argamassa, uma de gel e quatro de rochas sedimentares. Inicialmente determinou-se a condutividade térmica efetiva da argamassa seca, por meio do método transiente da sonda térmica e do método fluximétrico, em seguida a condutividade térmica efetiva da argamassa saturada com água deionizada e das quatro amostras de rochas nas condições de rochas secas e saturadas com água deionizada e, por último, de uma amostra de gel. As porosidades das amostras porosas foram obtidas utilizando o método baseado na densidade. Aproximadamente, a porosidade da argamassa determinada foi de 26%, das rochas SDO 335 e SDO 342 de 10%, e das rochas WLO 307, WLO 342 de 15%. Finalmente, utilizando a equação de Maxwell modificada e os modelos estruturais básicos: modelo paralelo...

‣ Estudo petrográfico e geoquímico das rochas vulcânicas aflorantes no embasamento (proterozóico superior-paleozóico inferior) da Cordilheira Oriental, Noroeste Argentino

Hauser, Natalia
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
48.53658%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Geociências, 2007.; O embasamento da Cordilheira Andina no noroeste de Argentina registra pelo menos duas orogenias paleozóicas: a Orogênese Pampeana (~520 Ma) e a Orogênese Famatiniana (~ 460 Ma). A orogênese Pampeana foi registrada mais extensivamente na parte noroeste das Sierras Pampeanas, na Cordilheira Oriental e no altiplano da Puna. Nas Sierras Pampeanas, a orogênese foi caracterizada pela formação de um arco magmático relacionado à subducção de litosfera oceânica durante o Cambriano Inferior, seguida de colisão continental (535-520 Ma) de um terreno semiautoctone (bloco Pampia ou o Craton Arequipa-Belen-Antofalla). O Ciclo orogenético Famatianiano, ocorrido desde 490 ate 400 Ma, foi documentado no Sistema de Famatina, na Cordilheira Oriental e no altiplano da Puna. Registra a subducção de litosfera oceânica durante o Paleozóico Inferior com a acreção de um terreno exótico, a Precordilheira, aos 460 Ma aproximadamente. No noroeste argentino a orogênese Pampeana é documentada na Cordilheira Oriental e no setor leste do Altiplano da Puna como uma seqüência turbidítica de margem passiva denominada Formação Puncoviscana. Rochas plutônicas...

‣ Upper palaeozoic stratigraphy and palynology of OMZ, NW and SW Portugal; Palinologia e estratigrafia do PZ superior da ZOM, NW e SW de Portugal

Machado, Gil Monteiro Jacinto
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
48.473774%
Neste trabalho descreve-se e interpreta-se a estratigrafia e palinologia de rochas sedimentares e metassedimentos de idade devónica e carbónica aflorantes ao longo da zona de cisalhamento Porto-Tomar, a Sul na Bacia de Santa Susana e em vários locais onde afloram os Calcários de Odivelas. Existe um registo de sedimentação descontínuo possivelmente associado a esta zona de cisalhamento desde o Devónico Superior até ao Pennsylvaniano. Desde o Devónico Superior até ao Mississippiano esta sedimentação é marinha, de carácter essencialmente turbiditico com uma tendência geral para se tornar mais proximal. A maturação térmica atingida por estas rochas (Unidade de Albergaria-a-Velha) é alta e a unidade é considerada pós-madura em termos de potencial gerador de hidrocarbonetos. O metamorfismo incipiente é acompanhado por intensa deformação. A bacia do Buçaco é inteiramente terrestre e tem a sua idade restrita ao Gjeliano (Pennsylvaniano superior). O controlo da sedimentação pela actividade da zona de cisalhamento Porto-Tomar é evidente. A sua maturação térmica é relativamente baixa (dentro da catagénese) e a deformação menos intensa, contrastando com a Unidade de Albergaria-a-Velha com a qual parece ter uma relação geométrica complexa...

‣ Evaporitos como recursos minerais

Silva,Maria A. M. da; Schreiber,B. Charlotte; Santos,Carla L. dos
Fonte: Sociedade Brasileira de Geofísica Publicador: Sociedade Brasileira de Geofísica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2000 Português
Relevância na Pesquisa
48.473774%
Evaporitos são rochas sedimentares comumente formadas em ambientes de sedimentação de baixo aporte de terrígenos, submetidos a clima seco onde as taxas de evaporação das águas são elevadas permitindo a formação de uma salmoura a partir da qual minerais evaporíticos se formam. O potencial econômico dessas rochas é enorme, valendo salientar que o cloreto de sódio ou sal de cozinha é um dos minerais evaporíticos de maior importância para o ser humano. Além disso, os evaporitos costumam estar associados a ambientes altamente produtivos em matéria orgânica e no registro geológico é conhecida a associação de campos gigantes de petróleo e seqüências espessas de evaporitos. Neste texto, iremos abordar os mecanismos mais importantes de formação dos evaporitos e seus ambientes deposicionais, apresentando os depósitos mais importantes onde evaporitos são economicamente explorados, e a importante relação com o petróleo. Ao final, serão discutidos os aspectos mais importantes dos evaporitos Aptianos, formados durante a fase golfo da evolução do Oceano Atlântico Sul, e que apresentam na sua porção relativa à bacia de Sergipe, importantes jazidas de silvinita, carnalita e taquidrita.

‣ Estudo da geometria e cinem?tica das rochas sedimentares arqueanas da mina do Igarap? do Azul ? Caraj?s-PA

SILVA, Daniela Cristina Costa da
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
69.06099%
Mina de Mangan?s do Igarap? Azul posiciona-se geologicamente no interior do feixe da Falha Caraj?s, na por??o central do Sistema Transcorrente de Caraj?s. O dep?sito do Mangan?s do Azul relaciona-se a rochas sedimentares pel?ticas do Membro Azul, na base da Forma??o ?guas Claras (Arqueano), em contato discordante, acima do Grupo Gr?o Par? (Nogueira et al, 1995). Tr?s frentes de lavra a c?u aberto est?o atualmente em andamento na ?rea: (1) Mina Principal (Mina 1), (2) Mina 2 e (3) Mina 3. Nestes locais encontram-se excelentes afloramentos de siltitos intercalados com argilitos e arenitos finos, intercalados com n?veis manganes?feros. Essas rochas est?o organizadas em conjuntos de dobras e falhas normais e inversas sob deforma??o heterog?nea, particionada em diferentes escalas. As se??es geol?gicas realizadas nas frentes de lavra mostram a predomin?ncia de siltitos intercalados com argilitos em contato com rochas pel?ticas manganes?feras e min?rio (bi?xido de Mn). Nessas rochas s?o comuns estruturas prim?rias tipo hummocky, estratifica??es cruzadas, e lamina??es plano-paralelas. O acamamento centim?trico a m?trico (em m?dia de 30 a 50 cm ) representa a principal estrutura prim?ria, usada como marcador de deforma??o, observada nas rochas. A Mina do Igarap? Azul encontra-se dividida em dois blocos...

‣ Comportamento do 'RB' e 'SR' em sedimentos recentes: implicações na datação radiométrica de rochas sedimentares; Not available.

Mizusaki, Ana Maria Pimentel
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 06/08/1992 Português
Relevância na Pesquisa
48.721387%
O método isocrônico Rb/Sr tem sido utilizado para datar rochas sedimentares, com resultados geologicamente significativos quando aplicado em rochas sedimentares argilosas. No entanto, existem diversos questionamentos em relação a utilização do método e ao comportamento dos elementos rubídio e estrôncio durante a sedimentação e durante os processos diagenéticos. Uma das grandes dúvidas é a homogeneização isotópica do Sr, premissa básica para o uso do método isocrônico Rb/Sr. De acordo com a literatura, não se conhece bem ainda o mecanismo envolvido nesse processo e nem quando ele ocorre. O objetivo desse trabalho é contribuir para esclarecer as condições para a uniformização isotópica do estrôncio e o estudo conjunto das relações e comportamento entre os elementos rubídio e estrôncio e o tamanho e a natureza da partícula sedimentar, diagênese dos argilominerais, ambiente sedimentar e fluídos intersticiais. Sedimentos recentes foram amostrados pois supõe-se que o processo de uniformização isotópica do Sr ocorre na bacia deposicional, imediatamente após a deposição. As amostras de sedimentos recentes, predominantemente argilosos, foram coletadas em diferentes ambientes como o Delta do Rio Paraíba do Sul(RJ)...

‣ Evolução crustal dos terrenos granito-greenstone de Manica, região centro-oeste de Moçambique; Not available.

Sumburane, Estevão Inácio
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 27/07/2011 Português
Relevância na Pesquisa
49.23708%
O presente trabalho procurou identificar e definir os principais eventos geológicos sobre a evolução crustal dos terrenos granito-greenstone de Manica, região centro-oeste de Moçambique. O distrito de Manica localiza-se no centro-oeste de Moçambique entre as latitudes 18°50\'S - 19°00\'S e as longitudes 32°45\'E - 32°55\'E. É predominantemente constituída por terrenos da assembléia granito-greenstone belts de idade Arqueana e representa o prolongamento para leste do Cráton do Zimbabwe. O Greenstone belt de Manica é composto por uma sequência de metavulcanitos máficos e ultramáficos (Formação de Macequece) sobre a qual assenta em discordância uma sucessão metassedimentar clástica (Formação de Vengo). Foram coletadas e analisadas isotopicamente pelos métodos U-Pb (zircão), empregando as técnicas convencionais (TIMS) e LA-HR-ICP-MS, Rb-Sr, Sm-Nd, e K-Ar, amostras de granitóides do tipo TTG, rochas vulcânicas félsicas e máficas e ultramáticas e rochas sedimentares. Foram também estudadas as mineralizações de dois depósitos (Monarch e Mundonguara) associados a esses terrenos, com a aplicação das técnicas Pb-Pb e da plumbotectônica. Para os granitóides foram obtidas pelos métodos U-Pb (zircão) as idades de 2...