Página 1 dos resultados de 49 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

‣ Descrição anatômica topográfica dos sacos aéreos de patos, Anas platyrhynchos (Aves: Anseriformes); Anatomical and topographic description of the air bags of mallard, Anas platyrhynchos (Aves: Anseriformes)

Araújo, Juliana Morgado de; Junior, José Roberto Kfoury; Bianchi, Pedro Kastein Faria da Cunha; Guimarães, Gregório Corrêa; Gonçalez, Patrícia Orlandini
Fonte: Uberlândia Publicador: Uberlândia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
48.554414%
O sistema respiratório das aves é bastante eficiente com pulmões pequenos e compactos ligados a sacos aéreos que diferem entre as espécies. Dessa forma, objetivou-se realizar a descrição anatômica dos sacos aéreos em patos em relação à sua topografia. Para tanto, foram utilizados o trato respiratório pós-cefálico de quatro patos adultos, machos e fêmeas, injetados, via sondagem traqueal, com látex corado e fixados em solução de formol a 10%. Observou-se a presença dos sacos aéreos cervical, clavicular, torácico cranial, torácico caudal e abdominal. O saco aéreo cervical distribuiu-se nos dois antímeros, na região dorsal, localizando-se dorso-lateralmente a musculatura do pescoço. O saco aéreo clavicular apresentou-se com uma distribuição irregular, formando uma porção mediana e duas laterais com inúmeras projeções entre os órgãos das regiões cervical e torácica cranial, apresentando divertículos para os ossos coracóide, úmero e esterno. Sua porção mediana formou, em alguns casos, uma projeção ao redor do coração em “forma de saia”. Os sacos aéreos torácicos craniais encontraram-se caudalmente ao coração, medialmente as quatro primeiras costelas, sendo sobrepostos pelo fígado. Os sacos aéreos torácicos caudais localizaram-se em uma posição média aos sacos aéreos torácico cranial e abdominal...

‣ Anatomia macroscópica e microscópica dos órgãos reprodutores femininos da Ema (Rhea americana); Macroscopic and microscopic anatomy of the female rhea (Rhea americana)

Parizzi, Rogério César
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/07/2006 Português
Relevância na Pesquisa
37.946235%
Este trabalho tem por objetivo descrever as características anatômicas, macroscópicas e microscópicas, dos órgãos reprodutores femininos da ema (Rhea americana). O material consistiu nos órgãos reprodutores femininos (ovário, oviduto e cloaca) de 24 fêmeas, das quais, 04 filhotes (15 dias) e 20 adultos (12 e 36 meses), oriundas da Cooperativa Emas do Brasil LTDA. Os órgãos foram fixados em formol 10% tamponado e em glutaraldeído 2,5%, PBS 0,1 M, pH 7,4, para microscopia de luz e eletrônica de varredura, respectivamente. Os resultados mostram que o ovário esquerdo ocupa a porção dorsal da cavidade celomática, em contato com a porção cranial do rim e com a glândula suprarenal, sendo sustentado na cavidade pelo mesovário. Na superfície livre do ovário observam-se folículos em diversas fases de desenvolvimento, variando de 1 a 90 mm e atrésicos com 27,6 ± 3 mm de diâmetro (n=10), unidos à superfície ovariana por um pedúnculo folicular e apresentam uma cinta esbranquiçada contornando sua superfície, o estigma folicular. Histologicamente o ovário é constituído de uma medula e um córtex e a parede dos folículos pelas tecas externa e interna, extrato granuloso e zona radiada. O oviduto possuiu comprimento médio de 1...

‣ Análise filogenética de Cathartidae (Aves) com base em caracteres osteológicos; Phylogenetic analysis of Cathartidae based on osteological characters

Brito, Guilherme Renzo Rocha
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 28/04/2008 Português
Relevância na Pesquisa
38.292559%
A posição sistemática da família Cathartidae (abutres do Novo Mundo) sempre foi motivo de muita discussão e apresenta divergências entre os sistematas, sendo debatida a proximidade dos representantes dos abutres do Novo Mundo entre as ordens Falconiformes e/ou Ciconiiformes. Muitos dos caracteres diagnósticos do grupo provêm de adaptações ao conspícuo hábito alimentar dessas aves, como bicos e pés fortes utilizados na dilaceração de carcaças; cabeça e pescoço desprovidos de penas que evitam o acúmulo de matéria orgânica em decomposição nestas regiões; e espesso colar de penas no pescoço que evita a passagem de líquidos provenientes da dieta às outras partes do corpo. Devido às similaridades na dieta, muitas dessas adaptações morfológicas são compartilhadas entre os catartídeos e os abutres do Velho Mundo (Gypaetinae e Aegypiinae; Accipitridae), gerando historicamente muita confusão na taxonomia dos grupos em questão. Visando contribuir com o conhecimento osteológico da família Cathartidae, bem como dos grupos historicamente relacionados, foram realizados: a) estudo de uma estrutura anatômica craniana (forâmen do nervo olfativo), criando subsídios para inferências acerca do comportamento alimentar dos representantes da família Cathartidae; e b) análises filogenéticas com base em uma ampla amostragem taxonômica (inclusive com táxons fósseis de Cathartidae)...

‣ Filogenia de Ramphastidae (Aves: Piciformes), com base em caracteres morfológicos siringeais; Phylogeny of the Ramphastidae (Aves: Piciformes) based on morphological siringeal characters

Pires, Talitha da Cunha
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 14/04/2008 Português
Relevância na Pesquisa
58.302534%
A família Ramphastidae é composta por aves conhecidas popularmente como tucanos e araçaris, endêmicas da região Neotropical. Possui cerca de 33 espécies, distribuídas tradicionalmente em seis gêneros. Neste trabalho, foi proposta uma hipótese filogenética para a família com base em caracteres siringeais. A siringe é o órgão responsável pelos sons vocais das aves e constitui-se de uma modificação do tubo respiratório, que inclui elementos esqueléticos cartilaginosos, membranas, músculos e nervos. Para tal, foram analisadas 18 espécies de cinco gêneros e codificados 46 caracteres siringeais, analisados segundo a metodologia cladística. Além do mais, foram incluídos simultaneamente nesta análise representantes da tradicional família Capitonidae, tidos na literatura como grupo-irmão de Ramphastidae. O resultado desta análise revelou três árvores igualmente parcimoniosas com 92 passos, índice de consistência igual a 0, 73 e índice de retenção igual a 0,88. O monofiletismo da família foi verificado e sustentado por sete sinapomorfias e aponta os Capitonidae neotropicais como parafiléticos. A topologia do cladograma obtida corrobora a inclusão de Baillonius bailloni em Pteroglossus, como proposto em estudos com base em dados moleculares. Com esta inclusão...

‣ Análise filogenética de Psittaciformes (Aves) com base em caracteres morfológicos siringeais e osteológicos; Phylogenetic analysis of Psittaciformes (Aves) based on siringeal and osteological morphological characters

Lima, Renato Gaban
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 14/06/2007 Português
Relevância na Pesquisa
38.533335%
Este estudo propõe hipóteses das relações filogenéticas entre representantes da ordem Psittaciformes, com base em caracteres morfológicos (osteológicos, principalmente cranianos, e anatômicos da siringe), usando o princípio da parcimônia para análise dos dados. Como o conhecimento prévio da anatomia comparada da siringe na ordem ainda é restrito, com sua nomenclatura anatômica confusa, foi feito, primeiramente, estudo anatômico para possibilitar melhor compreensão dos caracteres siringeais utilizados posteriormente nas análises filogenéticas. Neste estudo anatômico é apresentada uma gama de variações antes desconhecidas, que são confrontadas com o conhecimento prévio da morfologia da siringe dos Psittaciformes. Das variações detectadas, parte ocorre em estruturas que, provavelmente, estão envolvidas na produção dos sons, o que deverá ser levado em consideração em futuros estudos de anatomia funcional. As análises filogenéticas efetuadas contaram com 215 siringes e 208 esqueletos, pertencentes 91 espécies de Psittaciformes (distribuídas em 43 gêneros). Esse conjunto de espécimes foi separado em 53 táxons terminais (monofiléticos em relação ao universo amostrado); uma parte deles (11 ao todo) não tiveram sua siringe ou seu esqueleto estudados...

‣ Ciclo de vida, fenologia e anatomia floral de Pilostyles (Apodanthaceae - Rafflesiaceae s.l.): subsídios para um posicionamento filogenético da família Apodanthaceae; Life cycle, phenology and floral anatomy of Pilostyles (Apodanthaceae - Rafflesiaceae s.l.): phylogenetic position allowances for Apodanthaceae family

Brasil, Bianca de Azevedo
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 15/10/2010 Português
Relevância na Pesquisa
38.340735%
As plantas holoparasitas dependem inteiramente de recursos retirados do xilema e floema hospedeiros e são representadas atualmente por pelo menos sete linhagens, cujo posicionamento filogenético continua sendo revisto. A família Apodanthaceae inclui plantas aclorofiladas, holoparasitas de caules, cujo corpo vegetativo apresenta extrema redução. Por serem endoparasitas, tornam-se evidentes apenas na época da floração, quando as diminutas flores rompem a periderme do hospedeiro. Incluem-se nessa família três gêneros, sendo Pilostyles o de mais ampla distribuição. Apesar de existirem estudos minuciosos sobre o sistema endofítico no gênero, sua fenologia, ciclo de vida e ontogênese floral continuam desconhecidos. O presente estudo objetiva elucidar essas questões, de modo a proporcionar uma compreensão do sistema reprodutivo e do processo evolutivo das flores dessas intrigantes angiospermas, servindo de base para estudos futuros que visem a estabelecer homologias com outros clados. Primeiramente foi realizado um levantamento dos hospedeiros parasitados, analisando-se padrão de distribuição das flores e a razão sexual das populações de Pilostyles existentes nas áreas de estudo no Brasil e México. Indivíduos foram selecionados aleatoriamente para a realização dos testes de polinização...

‣ Anatomia das vias sanguíneas e biliares e histologia do fígado de Avestruz (Struthio camelus, Linnaeus, 1758); Anatomy and histology of the blood-vessels and biliar duct system of ostrich liver (Struthio camelus Linnaeus, 1758)

Saviani, Gisele
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 02/07/2009 Português
Relevância na Pesquisa
38.533335%
Hoje a criação de avestruz ((Struthio camelus, Linnaeus 1758)) é uma atividade de grande potencial, porém não existem padrões definidos sobre a histologia do seu fígado, que é um órgão de grande importância no metabolismo, o conhecimento de sua histologia e anatomia pode contribuir para a detecção de doenças e deficiências nutricionais que influenciam no crescimento e desenvolvimento do animal. Os objetivos desta pesquisa são: Estudar a anatomia e histologia do fígado e a ramificação de sua artéria hepática, veia porta hepática e ducto biliar. Para a realização da parte macroscópica foram utilizados quinze avestruzes com idades entre 12 e 18 meses (com peso médio em torno de 80 a 100 kg), provenientes do abatedouro Don Pig, situado próximo à cidade de Botucatu no estado de São Paulo. Os animais foram abatidos com pistola pneumática e posteriormente submetidos a sangria. Foram injetadas com látex a artéria hepática, o ducto biliar e a veia porta. O fígado dos avestruzes apresentam dois lobos (direito e esquerdo). No caso o direito é maior que o esquerdo e ambos são subdivididos em dorsal, intermédio e ventral. Além disso, amostras do fígado foram processadas para a observação em microscopia de luz e microscopia eletrônica de transmissão (MET). A hematoxilina e eosina (H.E)...

‣ Avaliação de microplacas de titânio em fraturas de tibiotarso em pombos domésticos (Colimba livia)

Gouvea, Aline Silva
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
38.525117%
Entre os problemas cirúrgicos das aves, as fraturas são os de maior prevalência. Em virtude das variações no tamanho, peso, anatomia óssea peculiar, alta incidência de fraturas complicadas e às diferentes demandas funcionais entre espécies e indivíduos, não foi possível estabelecer ainda um método ideal de osteossíntese para os ossos longos das aves. Por isso, diversos estudos têm sido realizados buscando um método adequado para as diferentes necessidades desses animais. Microplacas de titânio comumente utilizadas em cirurgias maxilofaciais de humanos foram empregadas recentemente na osteossíntese de aves, porém com poucos resultados disponíveis. O objetivo do presente estudo foi avaliar a utilização das microplacas de titânio no tratamento de fraturas experimentais de tibiotarso em pombos domésticos (Columba livia). Foram utilizadas 30 aves, adultas, machos e fêmeas, com 7 meses de idade, pesando entre 400 a 500 gramas, oriundas do Biotério Central da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Os animais foram separados aleatoriamente em 3 grupos de dez animais, sendo que no grupo 1 foi utilizado uma microplaca de titânio com 6 furos e espaçador central, no grupo 2 com 8 furos sem espaçador central e no grupo 3 com 8 furos com espaçador central. Após avaliação clínica...

‣ Microplacas de titânio em fraturas de tibiotarso em pombos domésticos; Titanium microplates for treatment of tibiotarsus fractures in pigeons

Gouvea, Aline Silva; Alievi, Marcelo Meller; Noriega, Veronica; Dal Bo, Isis dos Santos; Pinto, Thadeu Mourão; Menezes, Claudio Leonardo Montassieur de; Silva, Renato Barbosa; Silva, Luciana Machado da; Velasque, Andréa Gonçalves; Pinto, Luciana Andrea
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
38.575808%
Entre os problemas cirúrgicos das aves, as fraturas são os de maior prevalência. Em virtude das variações no tamanho, peso, anatomia óssea peculiar, alta incidência de fraturas complicadas e das diferentes demandas funcionais entre espécies e indivíduos, não foi possível estabelecer ainda um método ideal de osteossíntese para os ossos longos das aves. Microplacas de titânio comumente utilizadas em cirurgias maxilofaciais de humanos foram empregadas recentemente na osteossíntese de aves, porém com poucos resultados disponíveis. O objetivo do presente estudo foi avaliar a utilização das microplacas de titânio no tratamento de fraturas experimentais de tibiotarso em pombos domésticos (Columba livia). Foram utilizadas 30 aves adultas, machos e fêmeas, com 7 meses de idade, pesando entre 400 a 500 gramas. Os animais foram separados em três grupos de dez, sendo que no grupo 1 foi utilizado uma microplaca de titânio com 6 furos e espaçador central; no grupo 2, com oito furos sem espaçador central; e, no grupo 3, com oito furos com espaçador central. Após avaliação clínica, as aves foram submetidas à osteotomia médio-diafisária no tibiotarso direito para colocação das diferentes configurações de microplaca de titânio...

‣ Osteologia craniana da família Anhimidae (Aves: Anseriformes)

Previatto, Diego Matiussi
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 98 f.
Português
Relevância na Pesquisa
38.641882%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Ciências Biológicas (Zoologia) - IBB; As aves Anhimidae (Ordem: Anseriformes) são constituídas por três espécies (Anhima cornuta, Chauna chavaria e C. torquata) endêmicas da América do Sul; seu esqueleto dotado de extrema pneumatização juntamente com a ausência do processo uncinado nas costelas, caracterizam bem esse grupo. Estudos detalhados voltados para anatomia craniana dessa família são escassos. Sendo assim, a osteologia craniana das três espécies da família Anhimidae foi descrita e comparada para verificar se existem variações interespecíficas nos crânios dessas aves e discutir os aspectos morfofuncionais desse grupo; além disso, o crânio dessas espécies foi comparado com o crânio de algumas espécies das famílias Cracidae, Anseranatidae e Anatidae com o intuito de listar um conjunto de caracteres exclusivos dos anhimídeos e discutir como alguns caracteres cranianos evoluíram nessas famílias. Foram identificadas 23 diferenças interespecíficas encontradas no crânio dos membros da família Anhimidae, sendo que a maioria delas diferencia o gênero Chauna de Anhima. Os caracteres que mais caracterizam os anhimídeos são o processo pós-orbital; a aponeurose ossificada do músculo adutor externo; o processo jugal; a fossa coanal do palatino; o processo ótico do quadrado; a fossa medial da mandíbula; e o processo retroarticular da mandíbula. Ainda...

‣ Osteologia das aves

Romão, Ricardo
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Outros
Português
Relevância na Pesquisa
48.10675%
Texto de apoio às aulas de Anatomia I Curso de Medicina Veterinária da Universidade de Évora

‣ Esplâncnologia das aves

Romão, Ricardo
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Outros
Português
Relevância na Pesquisa
58.10675%
Texto de apoio às aulas de Anatomia II Curso de Medicina Veterinária da Universidade de Évora

‣ Morfologia do ovário da ema (Rhea americana)

Parizzi,Rogério C.; Miglino,Maria A.; Maia,Marina O.; Souza,Joel A.; Santos,José M.; Oliveira,Moacir F.; Santos,Tatiana C.
Fonte: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2007 Português
Relevância na Pesquisa
47.721465%
A morfologia do ovário de emas adultas (Rhea americana) sexualmente maduras foi descrita neste trabalho. Os ovários de 24 fêmeas em fase reprodutiva foram colhidos em abatedouro, tomados dados métricos do diâmetro dos folículos (n = 18) e colhidos fragmentos para microscopia de luz (n = 6) fixados em formol 10%, PBS 0,1M, pH 7,4 para microscopia de luz. Nas emas o ovário esquerdo está desenvolvido, ocupando a porção dorsal da cavidade celomática em contato com a porção cranial do rim esquerdo e a glândula adrenal esquerda, sustentado na cavidade pelo mesovário. Na superfície livre do ovário foram observados em média 72,4±17,09 folículos em desenvolvimento e 30,4±3,65 folículos atrésicos. Os folículos estão unidos à superfície ovariana pelo pedúnculo folicular e os em desenvolvimento apresentam uma cinta na superfície, o estigma folicular, rompida nos folículos atrésicos. Histologicamente, o ovário possui uma medula, com tecido conjuntivo frouxo e vasos sangüíneos e um córtex repleto de oócitos e folículos, cuja parede está constituída pelas tecas externa e interna, estrato granuloso e zona radia-da. No córtex observam-se folículos primordiais, pré-vitelogêni-cos e vitelogênicos. A superfície do ovário está revestida por epitélio cúbico baixo...

‣ Macroscopia e topografia do aparelho digestório de emas (Rhea americana americana)

Rodrigues,Marcio N.; Oliveira,Gleidson B.; Silva,Roberto S.B. da; Tivane,Catarina; Albuquerque,José F.G. de; Miglino,Maria A.; Oliveira,Moacir F. de
Fonte: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2012 Português
Relevância na Pesquisa
38.631873%
As emas são aves que pertencem ao grupo das ratitas e juntamente com os avestruzes e emus, são as maiores aves vivas na atualidade. Neste trabalho estudou-se os aspectos macroscópicos do aparelho digestório de emas com o intuito de fornecer informações importantes ao estudo dos hábitos alimentares dessas aves, bem como de sua anatomia. Foram utilizados vinte animais jovens com idade entre dois e seis meses obtidos do Centro de Multiplicação de Animais Silvestres (Cemas), registrado com criador científico sob o nº 1478912. Após dissecação verificou-se que a língua era pequena, disposta no assoalho da cavidade oral, possui forma rombóide e estava inserida pela sua base por um frênulo. O esôfago era um tubo retilíneo de aspecto elástico com fibras longitudinais, sem dilatação, o que confere a ausência do papo. O proventrículo gástrico apresentava formato fusiforme. O ventrículo gástrico possuía formato ligeiramente oval, quando repleto, internamente era recoberto por uma cutícula gástrica espessa. O intestino delgado era formado por três regiões distintas: duodeno, jejuno e íleo. O duodeno possuía coloração cinza claro e apresentava-se curvado em forma de "U". O jejuno era longo e formado por várias alças curtas dispostas uma sobre a outra e possuía coloração verde escuro. O íleo era de cor cinza e continuo com o jejuno. Na linha ventral ao reto e cloaca...

‣ Estudo evolutivo da anatomia das artérias coronárias em espécies de vertebrados com técnica de moldagem em acetato de vinil (vinilite)

RODRIGUES,Tânia Maria de Andrade; PALMEIRA,José Arnaldo O.; MENDONÇA,José Teles de; GOMES,Otoni Moreira
Fonte: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular Publicador: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/1999 Português
Relevância na Pesquisa
48.350347%
No presente trabalho foram produzidos 30 moldes anatômicos de corações de vertebrados, visando contribuir para o estudo das artérias coronárias direita e esquerda de diferentes espécies: peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos. Os corações foram injetados com acetato de vinil, submetidos a corrosão e semicorrosão pelo ácido clorídrico, a fim de evidenciar o padrão anatômico apresentado pelas artérias coronárias no tocante à evolução das espécies e adaptações morfológicas (estrutura e arquitetura). Com base na morfologia das peças estudadas foram obtidas as seguintes conclusões: a técnica utilizando acetato de vinil, associada à corrosão, mostrou-se eficaz na produção de modelos de coração de diferentes espécies, apresentando detalhamento capaz de permitir visibilização dos ramos colaterais, quando existentes; o número de estruturas e a complexidade vascular cardíaca aumenta na medida em que os seres evoluem na escala zoológica. No réptil iguana iguana foi encontrado ventrículo duplo com tríplice via de saída, como único padrão evolutivo da anatomia dos ventrículos e grandes vasos da base ainda não descrito como cardiopatia congênita em humanos.

‣ Anatomia do sistema porta renal e suas implicações no emprego de agentes anestésicos na contenção de avestruzes (Struthio camelus)

Carvalho,Haley Silva de; Ciboto,Rodrigo; Baitelo,Camila Grinaboldi; Dias,Ricardo Augusto; Cortopassi,Silvia Renata Gaido
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2007 Português
Relevância na Pesquisa
38.178604%
Objetivou-se com este estudo caracterizar a anatomia do sistema porta renal e verificar sua influência sobre o protocolo anestésico xilazina, tiletamina e zolazepam na contenção de avestruzes, por comparação da administração dos fármacos nos músculos da perna ou da asa. Em cinco animais foi injetado látex nas veias femorais no sentido de drenagem e, posteriormente, as aves foram fixadas em formol a 10%, por 72 horas. Em uma ave, procedeu-se à localização, colheita e fixação das valvas portais renais em formol a 10%. O sistema porta renal apresentou-se constituído por duas veias portais renais craniais, duas veias portais renais caudais e seis valvas portais renais. Na contenção química, seis avestruzes foram pré-tratados com xilazina (1mg kg-1) e, decorridos 10 minutos, receberam tiletamina/zolazepam (6mg kg-1). Os animais foram manipulados em duas ocasiões diferentes, sendo que na primeira anestesia o protocolo foi administrado nos músculos da base das asas (GI) e, após 15 dias, os mesmos animais receberam o protocolo nos músculos das pernas (GII). Os períodos de latência, hábil e de recuperação não foram diferentes entre os grupos (P>0,05). A freqüência cardíaca permaneceu abaixo dos valores basais durante a anestesia (P<0...

‣ Microplacas de titânio em fraturas de tibiotarso em pombos domésticos

Gouvêa,Aline Silva; Alievi,Marcelo Meller; Noriega,Verônica; Dal-Bó,Ísis dos Santos; Pinto,Thadeu Mourão; Menezes,Cláudio Leonardo Montassieur de; Silva,Renato Barbosa; Silva,Luciana Machado da; Velasque,Andréa Gonçalves; Pinto,Luciana Andreatta T
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2011 Português
Relevância na Pesquisa
38.575808%
Entre os problemas cirúrgicos das aves, as fraturas são os de maior prevalência. Em virtude das variações no tamanho, peso, anatomia óssea peculiar, alta incidência de fraturas complicadas e das diferentes demandas funcionais entre espécies e indivíduos, não foi possível estabelecer ainda um método ideal de osteossíntese para os ossos longos das aves. Microplacas de titânio comumente utilizadas em cirurgias maxilofaciais de humanos foram empregadas recentemente na osteossíntese de aves, porém com poucos resultados disponíveis. O objetivo do presente estudo foi avaliar a utilização das microplacas de titânio no tratamento de fraturas experimentais de tibiotarso em pombos domésticos (Columba livia). Foram utilizadas 30 aves adultas, machos e fêmeas, com 7 meses de idade, pesando entre 400 a 500 gramas. Os animais foram separados em três grupos de dez, sendo que no grupo 1 foi utilizado uma microplaca de titânio com 6 furos e espaçador central; no grupo 2, com oito furos sem espaçador central; e, no grupo 3, com oito furos com espaçador central. Após avaliação clínica, as aves foram submetidas à osteotomia médio-diafisária no tibiotarso direito para colocação das diferentes configurações de microplaca de titânio...

‣ Artérias das glândulas tireóides em avestruzes (Struthio camelus); Arteries of the thyroid gland in ostrich (Struthio camelus)

Honorato, Angelita das Graças de Oliveira
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
58.22615%
Estudou-se as artérias destinadas às glândulas tireóides, abordando seu número, origem e ordenação em 30 avestruzes (Struthio camelus), com até 30 dias de idade, de ambos os sexos. Injetou-se na artéria isquiática direita das aves Neoprene látex 450 corados e foram fixadas em solução aquosa de formol a 10%. As glândulas encontravam-se na extremidade cranial da cavidade celomática, mantiveram sintopia com o nervo vago, veia jugular e artéria carótida comum. Receberam colaterais das artérias: carótida comum, esofágica ascendente, traqueal ascendente, subclávia, esofagotraqueobronquial e comum do nervo vago. O número de vasos variou de um a cinco e foram denominadas artérias tireóideas, tireóidea cranial, média cranial, média, média caudal e caudal para ambos os antímeros. Os vasos estiveram presentes no antímero direito, em 28 (93,3%) casos nomeados tireóideas cranial, nove (30%) como média cranial, 12 (40%) como média, nove (30%) como média caudal e 28 (93,3%) como caudal, e no esquerdo em 27 (90%) com o nome de tireóideas cranial, seis (20%) como média cranial, 12 (40%) como média, seis (20%) como média caudal e 27 (90%) casos como caudal. A artéria tireóidea foi observada em dois (6,6%) casos no antímero direito e em três ( 10%) no antímero esquerdo. __________________________________________________________________________________________ ABSTRACT; We studied the arteries leading to the thyroid glands...

‣ Morfologia e vascularização arterial das glândulas tireóides em gansos domésticos; Arterial vascularization and morphology of the thyroid glands in domestic geese

Pereira, Cheston César Honorato; dos Santos, Tatiana Carlesso; Bombonatto, Pedro Primo; Silva, Frederico Ozanam Carneiro e
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2006 Português
Relevância na Pesquisa
57.639053%
Objetivou-se estudar a morfologia e o comportamento das artérias que se destinam às glândulas tireóides, abordando seu número, origem e ordenação em 30 gansos domésticos (Anser domestica), injetados com Neoprene látex 450 corado e fixados em solução aquosa de formalina a 10%. As glândulas tireóides apresentam-se pares, ovóides e localizam-se na extremidade cranial da cavidade tóraco-abdominal, relacionam-se com o nervo vago, veia jugular e artéria carótida comum, e possuem em média de 0,97; 0,69 e 0,43 cm no antímero direito e 1,04; 0,62 e 0,38 cm no antímero esquerdo, para comprimento, largura e espessura, respectivamente. As glândulas tireóides recebem colaterais das artérias: carótida comum, cervical cutânea ascendente, esofagotraqueobronquial, esofágica ascendente, comum do nervo vago ipsilateralmente e ramo esofágico, sendo estes dois últimos somente para a glândula direita. O número de vasos variou de 1 a 5 vasos, sendo 2 vasos (15 casos, 50% ± 10) para o antímero direito e 3 vasos (12 casos, 40% ± 9,8) para o antímero esquerdo, o padrão mais freqüentemente observado. As artérias tireóideas cranial, média cranial, média, média caudal e caudal estiveram presentes no antímero direito em 29...

‣ Descrição da artéria celíaca em pombos domésticos (Columba livia)

Santana, Marcelo Ismar; Laboratório de Anatomia Veterinária da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária da Universidade de Brasília; Geeverghese, Cibele; Laboratório de Anatomia Veterinária da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária da U
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 26/03/2012 Português
Relevância na Pesquisa
48.641885%
http://dx.doi.org/10.5007/2175-7925.2012v25n2p125O presente estudo objetivou definir a origem e a distribuição da artéria celíaca e de seus ramos colaterais em 15 aves da espécie Columba livia, cedidas pelo Centro de Controle de Zoonoses de Brasília. Com a finalidade de marcar o sistema arterial dos espécimes, o tronco braquiocefálico esquerdo foi canulado e injetado com solução aquosa de látex corado. Posteriormente, procedeu-se a fixação das aves com solução aquosa de formol 10% e a dissecação com instrumentos adequados, obtendo-se os resultados a seguir. A artéria celíaca originou-se da face ventral da aorta descendente. O primeiro ramo colateral surgiu da própria artéria celíaca, constituindo a artéria esofágica. Posteriormente, artéria celíaca se bifurcou em dois ramos, denominados ramo esquerdo da artéria celíaca e ramo direito da artéria celíaca. O ramo esquerdo emitiu a artéria proventricular ventral, seguida das artérias esplênicas, da artéria proventricular dorsal e da artéria hepática esquerda. Por fim, o ramo esquerdo se bifurcou, originando as artérias gástricas ventral e esquerda. O ramo direito emitiu a artéria hepática direita, seguida da artéria ileal e da artéria gástrica direita. Por fim...