Página 1 dos resultados de 195 itens digitais encontrados em 0.000 segundos

‣ Obtenção de uma cepa de Rhipicephalus (Boophilus) microplus (ACARI:IXODIDAE) resistente à ivermectina; Obtention of a Rhipicephalus (Boophilus) microplus (ACARI:IXODIDAE) ivermectin-resistant strain.

Albuquerque, Thais Aguiar de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 29/06/2007 Português
Relevância na Pesquisa
37.571829%
O estabelecimento de isolados de Rhipicephalus (B.) microplus resistentes a drogas é um passo fundamental para pesquisas sobre mecanismos de ação das drogas e desenvolvimento de novos acaricidas. Diferentes tratamentos de pressão de seleção foram efetuados sobre uma população de campo com fator de resistência (FR) à ivermectina (IVM) 1,37 visando obter experimentalmente uma cepa resistente. O tratamento das larvas com IVM não resultou em infestações de bezerros. O tratamento das adultas, por duas gerações consecutivas não alterou o valor do FR da população. A este último procedimento foi associado o tratamento do hospedeiro com IVM, resultando em aumento significativo do FR. Infestações utilizando larvas provenientes de posturas de alta eclodibilidade parece ter contribuído ainda mais para o aumento do FR observado na última geração. Em resumo, foi possível estabelecer pela primeira vez, em laboratório, uma cepa resistente à IVM que apresentou um aumento estatisticamente significante do valor do FR da última geração analisada (F10) em relação à inicial (F1).; The establishment of drug resistant Rhipicephalus (B.) microplus isolates is a fundamental step on researches about drugs mechanisms of action and on the development of new acaricides. Different selection treatments were effectuated upon a field population with an ivermectin (IVM) resistant ratio (RR) 1...

‣ Influência da exposição à ivermectina na esfera sexual de ratos e ratas; Influence of ivermectin exposure in the sexual sphere of male and female rats

Moreira, Natalia
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 11/07/2014 Português
Relevância na Pesquisa
37.854102%
A ivermectina é uma lactona macrocíclica utilizada para o tratamento de parasitoses na espécie humana e amplamente empregada em medicina veterinária como endectocida. Em mamíferos, diversas evidências indicam que as lactonas macrocíclicas interagem com canais de cloro mediados pelo ácido gama-aminobutírico (GABA). Sabe-se que o sistema GABAérgico está envolvido com a manifestação do comportamento sexual. Assim, no presente trabalho foram estudados, em ratos, os efeitos da ivermectina na coordenação motora, na motivação e no desempenho sexual de machos, bem como no comportamento sexual de fêmeas; além disso, avaliaram-se os níveis séricos de testosterona e as concentrações de diferentes neurotransmissores e seus metabólitos no hipotálamo e estriado, áreas do sistema nervoso central relacionadas, respectivamente, com o comportamento sexual e atividade motora. No presente estudo foram usadas as doses de 0,2 e 1,0 mg/kg, por via intraperitoneal, de uma formulação comercial de ivermectina; estas doses foram escolhidas considerando que a primeira é a dose usualmente empregada terapeuticamente e a segunda baseada em achados prévios que mostraram interferência no comportamento sexual de ratos machos. Os resultados mostraram que a administração de ivermectina em ratos: promoveu prejuízo na coordenação motora de machos; não interferiu na motivação sexual e na ereção peniana de machos; prejudicou o comportamento sexual de ratas; não alterou o peso relativo dos testículos...

‣ Validação de método para detectar resíduos de ivermectina em leite bovino; Method validation for detecting ivermectin residues in milk

Machado, Saulo de Tarso Zacarias
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 15/07/2015 Português
Relevância na Pesquisa
37.696272%
Níveis não aceitáveis de resíduos de ivermectina (IVM), uma droga anti-parasitária amplamente utilizada no Brasil para controle de endectoparasitas, pode estar presente no leite para consumo humano se administrada incorretamente. O nível máximo de resíduos no leite para este composto é de 10 ng mL-1 e sua presença tem sido comprovada em pesquisas realizadas por orgãos reguladores. Com o conhecimento deste problema, um método para a detecção de ivermectina em amostras de leite foi desenvolvido utilizando a extração líquido-líquido com base em acetonitrila e hexano, seguida por derivatização com 1-metilimidazol (MI), trietilamina (TEA), ácido anidro trifluoroacético (TFAA) e ácido trifluoroacético (TFA) e cromatografia líquida com detecção fluorescente (LC-FL) para a análise. Além disso, o método proposto foi testado de acordo com parâmetros de validação estabelecidos pela ANVISA. Parâmetros, tais como seletividade, linearidade (R² 0,98), precisão (coeficiente de variação entre 0,6-19%), recuperação (90-95%) e robustez foram avaliados durante o processo de validação. Subsequentemente, foi testado em amostras de leite de vacas tratadas com uma formulação comercial de ivermectina a 1%. O método aplicado em amostras de campo...

‣ Avaliação da toxicidade sistêmica e reprodutiva dos antiparasitários à base de ivermectina e de lufenurona em ratas wistar.

Moller, Vanessa Maraschin
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.571829%
Avaliou-se a segurança do produto Ivomec® injetável, um endectocida à base de ivermectina, no período de prenhez das ratas Wistar, a fim de verificar possíveis efeitos teratogênicos. As ratas foram tratadas com 0, 4 e 12mg.kg-1 de ivermectina, por via SC, no 6º dia de prenhez. Os resultados revelaram não haver sinais de toxicidade sistêmica e reprodutiva, fundamentados na ausência de alterações no desenvolvimento ponderal, nos consumos de água e de ração, na massa relativa e exame histopatológico dos órgãos das ratas, nas reabsorções embrionárias, na massa corporal, na vitalidade, no número de fetos por progenitora e nas alterações macroscópicas externas e esqueléticas dos fetos. Conclui-se que o medicamento Ivomec® injetável é seguro para as ratas prenhes e aos fetos, quando administrado, em dose única, no início da de organogênese. Avaliou-se também, a segurança do produto Program® suspensão, ectocida à base de lufenurona, nos períodos de prenhez e lactação de ratas Wistar, a fim de verificar possíveis efeitos pré e pós-natal. As ratas foram tratadas com 0, 180 e 600mg.kg-1 de lufenurona, por VO, no 1º dia de prenhez e no 1º dia de lactação. Os resultados revelaram ausência de toxicidade sistêmica e reprodutiva nas variáveis avaliadas...

‣ Atividade endectocida e desenvolvimento ponderal comparativos entre bovinos medicados com duas formulações de ivermectina (4% e 3,15%)

Canavaci, Flávio Henrique Teixeira
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: v, 34 f. : il.
Português
Relevância na Pesquisa
37.854102%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Medicina Veterinária - FCAV; Avaliou-se comparativamente duas formulações, de ação prolongada, contendo Ivermectina (4% e 3,15%) em quatro experimentos em bovinos. Pelo grupo controle, constatou-se a presença das seguintes espécies de nematódeos gastrintestinais: Haemonchus placei, Cooperia punctata, Cooperia spatulata, Trichostrongylus axei, Oesophagostomum radiatum e Trichuris discolor. Quanto à eficácia anti-helmíntica, observou-se que a Ivermectina 4%* foi estatisticamente (P<0,05) superior à Ivermectina 3,15% contra Haemonchus placei, Cooperia punctata e Oesophagostomum radiatum. As duas formulações praticamente não diferiram quanto à eficácia anti-Boophilus microplus e antilarvas de Dermatobia hominis (berne). Decorridos 120 dias pós-tratamento, foram registrados, em relação ao grupo controle, diferenciais de ganho de peso corporal de 17,79 e 11,19 kg em bovinos medicados com Ivermectina 4% e Ivermectina 3,15%, respectivamente.; Comparative endectocide efficacy and effect on weight gain in cattle treated with two (3.15% or 4%) ivermectin formulations. Four trials were conduced to a comparative evaluation of two long action (3.15% or 4%) ivermectin formulations. In the anthelmintic study...

‣ Diagnóstico da resistência de nematódeos à ivermectina (630 e 700 mcg/Kg) em bovinos necropsiados prodedentes das regiões Sul e Sudeste do Brasil

Felippelli, Gustavo
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: xx, 122 p. : il.
Português
Relevância na Pesquisa
37.854102%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Medicina Veterinária - FCAV; Os objetivos específicos do presente trabalho foram diagnosticar espécies de nematódeos resistentes à ivermectina de alta concentração (3,15% e 3,5%) por meio de necropsias parasitológicas realizadas em bovinos procedentes de oitos municípios dos estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio Grande do Sul; avaliar comparativamente as eficácias terapêuticas de duas formulações contendo altas concentrações de ivermectina 3,15% (630 mcg/Kg) e 3,5% (700 mcg/Kg), contra nematódeos parasitos de bovinos naturalmente infectados; fornecer subsídios para um melhor conhecimento sobre a distribuição da resistência de nematódeos à ivermectina, em diferentes regiões do Brasil. Para isto foram utilizados 108 animais, naturalmente infectados, os quais foram selecionados pelas médias de três pré-contagens (-3,-2 e -1) de ovos por grama de fezes (OPG), divididos em grupos experimentais, constituídos por seis repetições. Quatorze dias pós-tratamento (DPT), os animais foram eutanasiados e necropsiados. Resistência à ivermectina 3,15% (630 mcg/Kg) e 3,5% (700 mcg/Kg) foi diagnosticada obtendo eficácia terapêutica insuficientemente efetiva (<90%) pelas médias aritméticas ou 1000 espécimes sobreviveram nos grupos tratados...

‣ Influencia do tratamento endectocida (ivermectina) e da ação biologica coprofila no desenvolvimento da mosca-dos-chifres (Haematobia irritans) (L.) (Diptera: Muscidae) e na entomofauna no municipio de Araçatuba, São Paulo, Brasil; The influence of treatment with a anti-helmintic drug (ivermectin) and coprophagic insects on the development of horn fly (Haematobia irritans) (L.) (Diptera: Muscidae) and insect fauna in Araçatuba countryside, São Paulo, Brazil

Luiz Gustavo Ferraz Lima
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 31/08/2005 Português
Relevância na Pesquisa
37.571829%
Foram avaliadas entre 2002 e 2004, as influências da ação de insetos coprofágicos de dois tratamentos com endectocida (ivermectina), no desenvolvimento da ?mosca-dos-chifres? (Haematobia irritans) (L.1758), em fezes bovinas, no município de Araçatuba, SP, Brasil, bem como da ação coprofágica. No campo, foram capturadas ?mosca-dos-chifres? e coletadas as fezes de bovinos tratados (ivermectina) e não tratados (controle). Para avaliar o desenvolvimento da mosca nos grupos, em condição de temperatura laboratorial e ambiental, os ovos das moscas foram obtidos em laboratório e contadas as larvas inoculadas em fezes bovinas. Considerou-se como resultado dos testes, o número de ?moscas-dos-chifres? emergidas, do número de larvas inicialmente inoculadas. O grupo não tratado obteve maior número de moscas, comparativamente ao grupo tratado, tanto em condição de temperatura laboratorial, como em condição ambiental. O tratamento mensal dos bovinos impediu o desenvolvimento da ?mosca-dos-chifres? por até 30 dias em todos os testes, e no tratamento com única dose, as moscas emergiram a partir do 28º dia após sua aplicação. Para avaliação da ação dos artrópodes predadores, competidores e parasitos da ?mosca-dos-chifres? em fezes bovinas...

‣ Ivermectina : cinetica de eliminação em bovinos, presença e estudo da sua estabilidade durante o processamento do leite

Veronica Lobato
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 15/05/2001 Português
Relevância na Pesquisa
37.907285%
Foi validado um método para o monitoramento de ivermectina em leite destinado ao consumo humano, utilizando cromatografia líquida de alta eficiência (CLAE) com detector de fluorescência. Após separação da ivermectina da matriz, por extração líquido-líquido, e etapas de purificação do extrato, a mesma foi derivatizada com 1-metilimidazol em meio de N,N-dimetilformamida para a formação de derivado fluorescente, o qual foi determinado por CLAE em fase reversa C18,fase móvel metanol:água (96:4 v/v) e fluxo de 0,7 mL/min. Os sinais de excitação e emissão do detector de fIuorescência foram fixados em 360 e 470 nm, respectivamente. A curva padrão mostrou-se linear no intervalo de 10 a 100 ng de ivermectina/mL. Considerando-se 5 mL de amostra, o limite de quantificação do método foi calculado em 2 ).Lgde ivermectina/L de leite. A taxa de recuperação variou de 70 a 87%, com uma média de 77,9 :t 3,2 %. O coeficiente de variação do método foi de 13% (n=5). Foram analisadas 168 amostras de leite disponíveis ncomércio, das quais 17,8 % apresentaram nível residual acima do limite de determinação do método. Entretanto, nenhuma das amostras apresentou resíduo de ivermectina acima do limite máximo de resíduo (10 ).Lg/L)estabelecido pelo Ministério da Agricultura e Abastecimento do Brasil. Também avaliou-se a cinética de eliminação da ivermectina no leite de bovinos (n=10...

‣ Ivermectina no tratamento de miíase orbitária: relato de caso

Rodriguez,Mario Enrique Lovatón; Aoki,Lísia; Nicoletti,André Gustavo Bombana; Matayoshi,Suzana; Fernandes,José Byron Vicente Dias
Fonte: Conselho Brasileiro de Oftalmologia Publicador: Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2003 Português
Relevância na Pesquisa
37.786147%
OBJETIVO: Relatar um caso de miíase associada a carcinoma basocelular de órbita, tratada com ivermectina previamente ao ato cirúrgico. MÉTODOS: Apresentamos um caso e enfatizamos a eficácia da ivermectina no tratamento da miíase como terapêutica alternativa. RESULTADO: Após o tratamento com ivermectina via oral em dose única, observou-se a resolução completa do quadro de miíase num período de 48 horas. CONCLUSÃO: A ivermectina pode ser utilizada com eficácia no tratamento da miíase orbitária, tornado desnecessária a remoção mecânica das larvas.

‣ Avaliação da eficácia terapêutica da ivermectina sobre larvas de quarto estádio de Lagochilascaris minor em gatos infectados experimentalmente

Barbosa,Carlos Augusto Lopes; Campos,Dulcinéa Maria Barbosa
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2001 Português
Relevância na Pesquisa
37.571829%
Avaliou-se a ação da ivermectina sobre larvas de quarto estádio em gatos infectados experimentalmente com Lagochilascaris minor. Foram utilizados 30 gatos (divididos, igualmente, em três grupos I, II e III), sendo que cada animal foi inoculado, por via oral, com 50 larvas de terceiro estádio do parasito. Cada animal, dos grupos I e II, foi tratado com ivermectina na dosagen de 200mig/kg, no quinto dia após o inóculo (DAI). Os animais do grupo I foram examinados, clinicamente, entre 30 e 40 dias e os do grupo II entre 180 e 190 dias sendo, em seguida, submetidos à necropsia. Os dez animais do grupo III, não foram tratados com a droga constituindo o grupo controle. Independentemente do período de observação, observou-se 100% de eficácia da droga, visto que houve total interrupção do ciclo biológico do parasito em todos animais tratados. Todos animais do grupo controle desenvolveram a infecção por Lagochilascaris minor.

‣ Eficácia da ivermectina oral no controle de Psoroptes ovis e Leporacarus gibbus em coelhos naturalmente infestados

Coelho,Cristiane N.; Nunes,Tiago A.P.; Batista,Lilian Cristina de S.O.; Silva,Diego D. da; Santos,Rosângela R. dos; Correia,Thaís R.; Scott,Fabio B.; Fernandes,Julio I.
Fonte: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2014 Português
Relevância na Pesquisa
37.696272%
O objetivo do trabalho foi avaliar a eficácia da ivermectina administrada por via oral no controle de Psoroptes ovis e Leporacarus gibbus em coelhos naturalmente infestados. Foram selecionados 20 coelhos adultos, distribuídos na mesma proporção de ambos os sexos, em dois grupos experimentais, compondo dez animais por grupo. No grupo controle foi administrado o mesmo volume do tratamento de solução salina, enquanto o grupo tratado recebeu dose única de ivermectina oral (400 µg/Kg). O diagnóstico dos ácaros foi realizado com auxílio de microscópio estereoscópico após a devida coleta de material. Para P. ovis foi realizada através de coleta do cerúmen com auxílio de zaragatoas efetuadas nas orelhas e para por L. gibbus foi realizada coleta de pelos nas regiões do pescoço dorsal, lombar direita, lombar esquerda, cauda ventral e abdômen ventral. A avaliação da eficácia e a avaliação clínica das lesões, mensuradas em escores (grau 0 a 4) foi realizada nos dias 0, +3, +7, +14, +21, +28 e + 35, após o tratamento. Foi observada a eficácia de 100% no controle de P. ovis a partir do dia +7 e para L. gibbus a partir do dia +14, mantendo-se negativos até o final do período experimental. O escore da lesão das orelhas do grupo tratado regrediu a partir do dia +14 e no dia +21 todos os animais atingiram grau 0. No grupo controle...

‣ Eficácia das lactonas macrocíclicas sistêmicas (ivermectina e moxidectina) na terapia da demodicidose canina generalizada

Delayte,E.H.; Otsuka,M.; Larsson,C.E.; Castro,R.C.C.
Fonte: Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Publicador: Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2006 Português
Relevância na Pesquisa
37.907285%
Avaliou-se a eficácia de lactonas macrocíclicas (ivermectina e moxidectina) sobre a eventual ocorrência de efeitos colaterais e acompanharam-se, após a alta parasitológica, por 12 meses, os cães tratados, visando detectar a recidiva do quadro dermatopático. Dos 63 animais, 59% eram fêmeas, 76% apresentavam precisa definição racial e 67% tinham pelame curto. A ivermectina (0,6mg/kg/dia) foi administrada por via oral a 31 cães, e a moxidectina (0,5mg/kg/cada 72 horas), pela mesma via, a 32 animais. Os tempos médios para a obtenção da primeira negativação do exame parasitológico do raspado cutâneo e para a consecução da alta foram, respectivamente, de 90 e 130 dias para a ivermectina e de 108 e 147 dias para a moxidectina. A ivermectina acarretou menos (16,1%) efeitos colaterais em relação à moxidectina (37,5%) (P=0,03). As recidivas foram, respectivamente, 10,3% e 13% para ivermectina e moxidectina. Não houve diferença entre os dois protocolos de terapia quanto aos percentuais de recidiva (P=0,67) e eficácia (P=0,61). Ambas as lactonas macrocíclicas mostraram-se eficazes: ivermectina 89,7% e moxidectina 87%.

‣ Avaliação histomorfométrica do parênquima testicular de ratos adultos tratados com diferentes doses de ivermectina

Moura,C.S.; Guerra,M.M.P.; Silva Júnior,V.A.; Silva,C.G.C.; Caju,F.M.; Alves,L.C.
Fonte: Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Publicador: Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2006 Português
Relevância na Pesquisa
37.696272%
Avaliou-se o efeito da ivermectina sobre o parênquima testicular através da produção espermática diária e da eficiência da espermatogênese em ratos Wistar adultos tratados com diferentes dosagens (200, 400 e 600µg/kg). Pela avaliação histomorfométrica, o parênquima testicular e o processo espermatogênico dos ratos Wistar não sofreram qualquer efeito deletério da aplicação de ivermectina, o que foi confirmado pela manutenção da produção espermática diária por testículo, pelo rendimento intrínseco da espermatogênese (PED/g/t) e pela manutenção da estrutura do parênquima testicular. Com base nos resultados quantitativos e qualitativos da espermatogênese, é possível concluir que a ivermectina não tem efeito tóxico-degenerativo sobre o parênquima testicular de ratos Wistar adultos.

‣ Reversão fenotípica da resistência de haemonchus placei a ivermectina: avaliação in vitro de oito fármacos moduladores da glicoproteína-p

Heckler, Rafael Pereira
Fonte: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Publicador: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
37.95004%
Desde sua produção na década de 80, a ivermectina (IVM) foi utilizada de forma indiscriminada e a pressão de seleção a que os nematodas gastrintestinais de bovinos foram expostos intensa o que ocasionou perdas econômicas consideráveis devido ao advento da resistência parasitária. Uma alternativa para o controle de parasitos, na atual era da resistência, é o uso de drogas moduladoras da gp-P, uma vez que uma das principais alterações bioquímicas que os parasitos resistentes a esta avermectina apresentam é o aumento da atividade desta proteína de membrana, responsável pelo efluxo de fármacos e xenobióticos. O objetivo deste trabalho foi avaliar oito drogas com atividade moduladora da gp-P para potencializar a eficácia de IVM contra um isolado de campo de Haemonchus placei resistente, utilizando o teste de inibição da migração larval. Foi observado acréscimo de 5,1; 49,06; 76,42; 3,31; 28,85; 13,74; 45,64 e 43,61% na eficácia de ivermectina (10-4 M), na inibição da migração de larvas e diminuição da concentração efetiva média de ivermectina, de 4,381x10-6 M, quando avaliada isoladamente, para 9,877x10-8; 1,159x10-7; 2,710x10-7; 2,739x10-7; 7,136x10-7; 1,026x10-6; 1,240x10-6 e 1,651x10-6 M quando associada a ciclosporina-A...

‣ Efeito da ivermectina sobre a ciclicidade, gestação e desenvolvimento neonatal em ratos; Effects of ivermectin on parameters of the estrous cycle, gestation and lactation of rats

Medeiros, Juliana Pinto; Estevão, Lígia Reis de Moura; Baratella-Evêncio, Liriane; Santos, José Manoel dos; Simões, Ricardo Santos; Simões, Manuel de Jesus; Evêncio-Neto, Joaquim
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2008 Português
Relevância na Pesquisa
37.985159%
O objetivo do presente trabalho foi avaliar o ciclo estral, gestação e lactação de ratas tratadas com ivermectina. 82 ratas albinas foram divididas em sete grupos. Os animais receberam água destilada (GI) ou diferentes doses de ivermectina, por via oral (GII=0,5; GIII=1,0; GIV=2,0; GV=4,0; GVI=8,0 e GVII=10,0 mg/kg). Os animais foram tratados por 45 dias, com ivermectina a cada três dias, totalizando 15 aplicações. Após esse período foi realizado exame colpocitológico durante 15 dias consecutivos. Ao final, quatro animais de cada grupo foram sacrificados e ovários e úteros retirados e processados para avaliação histológica. Os animais restantes foram acasalados e tratados com ivermectina, nas doses correspondentes a cada grupo, no 1º, 4º, 7º, 10º, 13º e 16º dias de gestação. Ao nascimento, os neonatos foram contados, analisados quanto à existência de defeitos congênitos, mortalidade e pesados até o 15º dia de lactação. Durante a lactação, as matrizes receberam novamente ivermectina no 1º, 4º, 7º, 10º e 13º dias. Nossos resultados mostraram que os animais dos grupos II, III, IV, V, VI e VII apresentaram maior incidência de estro em relação a GI. Quanto à histopatologia, os grupos tratados com a ivermectina apresentaram maior concentração de glândulas endometriais hiperplásicas. O tratamento não afetou tempo de gestação...

‣ Efeito da administração de oxfendazol, ivermectina e levamisol sobre os exames coproparasitológicos de ovinos; Survey of anthelmintic treatment with oxfendazole, ivermectin and levamisole in sheep flocks

Amarante, Alessandro Francisco Talamini; Barbosa, Maria Aparecida; Oliveira, Marcio Armando Gomes de; Carmello, Maria José; Padovani, Carlos Roberto
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/1992 Português
Relevância na Pesquisa
37.696272%
O trabalho foi realizado em nove propriedades do Estado de São Paulo, com o objetivo de verificar o efeito da administraçõo de oxfendazol, ivermectina e levamisol sobre os exames coproparasitólogicos de ovinos. Em cada propriedade foram formados aleatóriamente quatro grupos de ovinos: o primeiro foi medicado com oxfendazol, na dose de 4,5 mg/kg, o segundo com levamisol, na dose de 7,5 mg/kg, o terceiro com ivermectina, na dose de 0,2 mg/kg e o quarto grupo foi o controle, não medicado. Colheitas de fezes foram realizadas no dia da vermifugação e novamente sete dias depois para a realização de exames coproparasitológicos. Após a administraçâo de oxfendazol, levamisol e ivermectina, foi verificada redução estatística significativa nas contagens de ovos por grama de fezes (OPG) em duas, quatro e cinco propriedades, respectivamente, sendo Haemonchus e Tnchostrongylus os parasitas com maior ocorrência no experimento. Os resultados sugerem, na maioria das propriedades, a presença de parasitas com resistência múltipla aos anti-helmínticos testados.; The trial was carried out in nine different farms in the State of São Paulo to verify the effect of anthelmintic treatment with oxfendazole, levamisole and ivermectin in gastrointestinal nematode parasites in sheep. In each farm...

‣ Sensibilidad de trofozoítos de Entamoeba histolytica a ivermectina

González-Salazar,Francisco; Mata-Cárdenas,Benito D.; Vargas-Villarreal,Javier
Fonte: Medicina (Buenos Aires) Publicador: Medicina (Buenos Aires)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2009 Português
Relevância na Pesquisa
37.854102%
La amibiasis producida por Entamoeba histolytica es un problema de salud pública. Las formas clínicas más frecuentes son la disentería y el absceso hepático amibiano. En el mundo se notifican anualmente 50 millones de casos y más de 100 000 muertes por esta enfermedad. El ciclo de vida de E. histolytica tiene dos fases: trofozoíto y quiste. Los trofozoítos son los responsables de producir enfermedad. El tratamiento actual para la amibiasis incluye medicamentos con efectos colaterales serios. La ivermectina es un macrólido con actividad contra endoparásitos y ectoparásitos causantes de strongiloidosis, filariasis, oncocercosis, sarna y pediculosis. Su uso está extendido a casi todo el mundo y se lo reconoce como un medicamento seguro. El objetivo de este trabajo fue determinar la sensiblidad in vitro de trofozoítos de E. histolytica al tratamiento con ivermectina. Para determinar su sensibilidad a la droga, se utilizaron trofozoítos de E. histolytica cultivados en medio PEHPS. Durante su fase de crecimiento logarítmico se expusieron a diferentes concentraciones de ivermectina. Como controles se usaron otras drogas antiparasitarias. Se prepararon diluciones seriadas de cada droga, luego se agregaron a tubos con parásitos (2 x 10(4) células/ml). Se incubó por 72 h y luego se determinó el porcentaje de inhibición de crecimiento calculado por análisis Probit. La ivermectina tiene actividad contra trofozoítos de E. histolytica. La dosis de ivermectina que produjo el 50% de inhibición de crecimiento fue de 6.40 mg/ml. Esta dosis fue mayor a la encontrada con otras drogas antiparasitarias. Falta demostrar su actividad in vivo en modelos animales.

‣ Efecto de una nueva formulación de ivermectina + abamectina de larga duración contra nematodos gastrointestinales y la diferencia en ganancia de peso en bovinos

Quiroz Romero,Héctor; Chavarría Martínez,Bernabé; Hernández Suárez,Alberto; Ochoa Galván,Pedro; Cruz Pérez,Jorge; Cruz Mendoza,Irene
Fonte: Facultad de Medicina Veterinaria y Zootecnia, UNAM Publicador: Facultad de Medicina Veterinaria y Zootecnia, UNAM
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2009 Português
Relevância na Pesquisa
37.696272%
Con el objetivo de evaluar el efecto de ivermectina 2.25% + abamectina 1.25% en la reducción de huevos de nematodos gastrointestinales por g de heces (hpgh) y la diferencia en la ganancia de peso en bovinos, se emplearon 24 becerros de la raza Santa Gertrudis, destetados, localizados en un rancho en Malpaso, municipio de Tecpatán, Chiapas, México, con clima cálido-húmedo. Los becerros estaban en pastoreo extensivo en potreros con pasto Estrella de África y gramas nativas. Dichos becerro, infectados con nematodos gastrointestinales (NGI) de manera natural, se pesaron el día -3 de acuerdo con los pesos individuales y las cuentas de hpgh, se conformaron dos grupos de 12 animales cada uno, sin que hubiera diferencia estadística en el peso ni en la media de hpgh, superior a 700 (P < 0.05). El Grupo1 fue tratado con una formulación de ivermectina a 2.25% + abamectina a 1.25%, en dosis de 700 mcg/kg equivalente a 1 mL por 50 kg, por vía subcutánea. El Grupo 2 fue el testigo, sin tratamiento antihelmíntico. Se realizaron exámenes coprológicos los días -3, 10, 45 y 90, además con homogeneizados de heces de cada grupo se prepararon coprocultivos para la cría de larvas (L3), el peso se registró el día -3, 45 y 90 después del tratamiento. Se encontró que la diferencia en la ganancia de peso en el G1 tratado con ivermectina 2.25% + abamectina 1.25%...

‣ Impacto de la ivermectina sobre las geohelmintiasis en el foco de oncocercosis en Colombia

Knudson,Angélica; Ariza,Yoseth; López,Myriam C.; Fajardo,Oscar S.; Reyes,Patricia; Moncada,Ligia I.; Duque,Sofía; Álvarez,Carlos A.; Nicholls,Rubén S.
Fonte: Instituto de Salud Publica, Faculdad de Medicina -Universidad Nacional de Colombia Publicador: Instituto de Salud Publica, Faculdad de Medicina -Universidad Nacional de Colombia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2012 Português
Relevância na Pesquisa
37.696272%
Objetivo: Evaluar el efecto de la ivermectina sobre la frecuencia de infección por geohelmintos en una población colombiana incluida en el Programa para la Eliminación de la Oncocercosis en las Américas. Métodos: Estudio de evaluación de impacto con enfoque longitudinal como punto referente inicial, la población de Naicioná (1996) y como control, sujetos de la misma población (2008). Para el enfoque transversal se usó como referente la población de Naicioná en 2008 y como control, sujetos de Dos Quebradas en 2008. El procesamiento de las muestras de materia fecal se hizo por Ritchie-Frick modificado. Resultados: Ascaris lumbricoides fue el parásito más frecuente 49,6 % (60/121; IC 95 %:37,8-63,8) en Naicioná y 47,4 % (36/76; IC 95 %: 33,2-65,6) en Dos Quebradas. El mayor efecto de la ivermectina en mayores de 5 años fue la disminución del riesgo de infección, para Trichiuris trichiura, de 86 % (IC95 %:74-93) en la evaluación longitudinal y 63 % (IC 95 %:24-82) en la evaluación transversal. La disminución en la frecuencia de Strongyloides stercoralis fue 93 % (IC 95 %: 45-99), en la evaluación longitudinal y 85 % (IC95 %:-031 - 99) en la evaluación transversal. Conclusiones: El uso de la ivermectina en el contexto del Programa para la Eliminación de la Oncocercosis en las Américas no es suficiente para el control de la morbilidad de todas las geohelmintiasis...

‣ Ivermectina en el tratamiento de la Miasis Humana

de Hollanda Ramírez,Ana María; Silva Rodríguez,Aníbal Ricardo; Zaracho,Gustavo
Fonte: EFACIM. Editorial de la Facultad de Ciencias Médicas - Universidad Nacional de Asunción Publicador: EFACIM. Editorial de la Facultad de Ciencias Médicas - Universidad Nacional de Asunción
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2005 Português
Relevância na Pesquisa
37.696272%
Miasis es una infestación causada por larvas de moscas que pueden asentar en cualquier parte del cuerpo, el tratamiento de elección suele ser la extracción manual de las larvas asociada al uso de cloruro de etilo, tratamiento de fácil realización pero de costo elevado. La ivermectina es producida por el Streptomices avermitilis, posee amplio espectro antiparasitario. Aumenta la liberacion de GABA por las neuronas, induciendo parálisis muscular tónica, y la muerte del parásito. En el presente trabajo 83 pacientes, con edades entre 3 meses y 91 años; recibieron ivermectina a razón de 0.2 miligramos por kilogramo de peso por vía oral. En 32(38.5%) se asoció la extracción de las larvas de la lesión, la menor cantidad fue de 1 larva y la mayor de 1500 larvas. Acudieron al control en las primeras 48 horas 54(65%) pacientes de los cuáles 14(26%) refirieron molestias como cefalea(6), diarrea(5), epigastralgia (3), entre otras. En 44(81,5%) pacientes se constató la ausencia de larvas a nivel de la lesión y en 10(18,5%) la persistencia de las mismas. Un total de 29(35%) pacientes no acudió al control ,quizá por la mejoría del cuadro o por elección de otro tratamiento. La ivermectina a razón de 0.2 miligramos por kilogramo de peso...