Página 1 dos resultados de 318 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

‣ Morfo-anatomia foliar de Myrcia multiflora (Lam.) DC. - Myrtaceae; Leaf morphoanatomy of Myrcia multiflora (Lam.) DC. - Myrtaceae

DONATO, A.M; MORRETES, B.L
Fonte: UNESP Publicador: UNESP
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
47.568403%
Folhas de Myrcia multiflora (Lam.) DC. são usadas na medicina popular como hipoglicemiantes. O objetivo deste trabalho foi caracterizar morfológica e anatomicamente as folhas desta planta, de modo que os dados obtidos possam ser utilizados como referência em exames de controle de qualidade de amostras de fármacos, com vistas a verificar a autenticidade. Folhas inteiras foram diafanizadas e coradas para o estudo da nervação. Secções transversais do pecíolo e transversais e paradérmicas da lâmina foliar foram analisadas em microscópio óptico (MO) e a superfície do limbo foi observada, também, em microscopia eletrônica de varredura (MEV). Foram aplicados testes histoquímicos em material fresco, para identificação e localização de glicídios, amido, taninos, lignina, cristais e sílica. Morfologicamente, a folha é simples, oval-elíptica, com margem inteira, base aguda, ápice acuminado e textura cartácea. A venação é do tipo camptódromo-broquidódromo. Anatomicamente, a folha é hipostomática, com mesofilo compacto e dorsiventral, com três estratos de parênquima paliçádico. A epiderme é uniestratificada, silicificada em algumas regiões e as células exibem paredes anticlinais retas. Em posição subepidérmica ocorrem numerosas cavidades secretoras de óleos essenciais. Os feixes vasculares são colaterais e acompanhados por séries cristalíferas. Os dados obtidos são comparados com os de outras espécies de Myrtaceae e conclui-se que as características morfológicas e anatômicas de M. multiflora contribuem para a diagnose.; Myrcia multiflora (Lam.) DC. leaves have been used in folk medicine as hypoglycemic. The aim of this work is to describe morphoanatomically the leaves of this plant in order to use the obtained data as reference in quality control tests of drug samples...

‣ Morfologia foliar comparada de Passiflora L. (Passifloraceae); Comparative leaf morphology of Passiflora L.(Passifloraceae)

Brasileiro, Juliana Castelo Branco
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 10/07/2014 Português
Relevância na Pesquisa
57.916475%
A família Passifloraceae é conhecida mundialmente por suas flores exuberantes, frutos comestíveis e pelo uso na medicina. Composta por duas tribos, com apenas Passifloreae ocorrendo abundantemente no Brasil, principalmente espécies pertencentes ao gênero Passiflora. Este gênero compreende quatro subgêneros, Astrophea, Decaloba, Deidamioides e Passiflora. Destes Decaloba e Passiflora são grupos monofiléticos e os mais numerosos em espécies. É ainda o gênero que mais apresenta diversidade morfológica das folhas e estípulas. Apesar do elevado número de espécies, os estudos sobre anatomia foliar em Passifloraceae ainda são escassos, embora muitas revisões taxonômicas utilizem amplamente a morfologia foliar para classificar as espécies. Dessa forma este trabalho teve como objetivo auxiliar na identificação das espécies e contribuir com futuros estudos filogenéticos, a partir das descrições morfológicas e anatômicas das folhas de Passiflora. Técnicas usuais de anatomia vegetal foram utilizadas para análise em microscopia óptica. Como principais resultados foram descritos caracteres anatômicos que corroboram a classificação infrasubgenérica já existente, além de acrescentar características particulares ao nível de espécie. O padrão de venação mostrou-se o caráter anatômico bastante seguro. Dentre as superseções analisadas...

‣ Nervação foliar em espécies brasileiras de Myrtaceae Adans

Cardoso, Cristiano Marcelo Viana; Sajo, Maria das Graças
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 657-669
Português
Relevância na Pesquisa
47.568403%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Com o objetivo de caracterizar o padrão de nervação foliar na subfamília Myrtoideae Nied. (Myrtaceae) bem como de reconhecer caracteres particulares a cada subtribo, foram estudadas as folhas de 44 espécies, pertencentes às subtribos Myrtinae (nove gêneros), Myrciinae (cinco gêneros) e Eugeniinae (oito gêneros). Foi observado que, embora o padrão camptódromo-broquidódromo seja o dominante entre as espécies, o padrão misto acródromo-broquidódromo também se encontra presente. Para cada uma das espécies foi descrito o padrão secundário de nervação, o de nervação última marginal, o de nervação terciária, o tipo de aréola, bem como a presença ou ausência de nervura intramarginal.; Leaf venation in the subfamily Myrtoideae Nied. (Myrtaceae) was examined and the unique features in each subtribe were defined using leaves of 44 species belonging to subtribes Myrtinae (9 genera), Myrciinae (5 genera), and Eugeniinae (8 genera). Although the camptodromous-brochidodromous pattern is dominant among the species, the mixed acrodromous-brochidodromous pattern is also present. For each species, secondary venation pattern, ultimate marginal venation...

‣ Efeitos da radiação ultravioleta-B na organização celular e fisiológica da estrutura foliar de Oryza Sativa (L.) cultivar Epagri 108

Almeida, Sérgio Luiz de
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Tese de Doutorado Formato: [99] p.| il.
Português
Relevância na Pesquisa
48.178164%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e do Desenvolvimento, Florianópolis, 2013.; A radiação ultravioleta-B (UV-B) afeta muitos processos importantes nas fases de vida das plantas, incluindo a taxa de redução do crescimento, redução da produtividade primaria e mudanças na ultraestrutura. O arroz (Oryza sativa L.) é um dos muitos cereais cultivados no mundo representando cerca de 50% da produção agrícola. Neste estudo, foi examinado o efeito da exposição de O. sativa em radiação natural denominada amostra ambiente (AMB), plantas cultivadas sob radiação fotossinteticamente ativa denominada PAR e plantas cultivadas sob PAR+UV-B por 2 horas diárias durante 30 dias de cultivo in vitro. As amostras foram processadas para microscopia de luz e eletrônica, análise histoquímica e morfologia foliar (índice foliar, área foliar, área foliar específica, tricomas e papilas), biomassa (massa seca e fresca) e teor de proteínas. Radiação PAR+UV-B causou mudanças na ultraestrutura da folha de O. sativa, células do mesofilo no qual incluem aumento da espessura da parede celular e quantidade de plastoglóbulos, redução dos espaços intracelulares...

‣ Padrão de venação e epiderme foliar de espécies de lauraceae juss. do Distrito Federal, Brasil; Venation and epidermal leaf patterns of lauraceae juss. species from Distrito Federal, Brasil

Bezerra, Kadja Milena Gomes
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
47.916475%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Departamento de Botânica, 2008.; Foram analisadas folhas de 18 espécies de Lauraceae ocorrentes no Distrito Federal com o objetivo de avaliar os caracteres gerais considerados em trabalhos sobre epiderme e arquitetura foliar, além de propor a utilização de caracteres adicionais. Para a análise do padrão de venação foram propostos, o distanciamento entre as nervuras secundárias, ângulo de divergência das nervuras secundárias em relação à primária, densidade das aréolas (número por mm2), número de suas paredes e a classificação das vênulas ramificadas. Como caracteres adicionais epidérmicos foram considerados, o número de sinos, ângulo interno e número de lados das células comuns da epiderme, sua disposição na base dos tricomas, a forma e largura das células subsidiárias em relação às células-guarda. Os caracteres adicionais aplicados ao padrão de venação e epidérmico foliar, aliados a outros da morfologia externa da folha, se mostraram eficientes para a separação das espécies deste estudo, possibilitando a confecção de chaves de identificação. _______________________________________________________________________________ ABSTRACT; Eighteen Lauraceae species...

‣ Morfologia e anatomia foliar comparada de Buxus sempervirens L. e Buxus balearica Lam. oriundos de diversas regiões da Península Ibérica

Machado, Cláudia Patrícia Martins
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
48.130415%
Dissertação de Mestrado em Engenharia do Ambiente; Buxus é um género exótico introduzido na Península Ibérica (PI) pelas dinâmicas glaciares. Caracterizado por arbustos de folha persistente, o género apresenta aspetos morfológicos peculiares e uma vasta gama ecológica, o que o torna economicamente importante. Existem apenas duas espécies de Buxus presentes na Europa, Buxus sempervirens e Buxus balearica. A primeira encontra-se distribuída pelo centro e sul da Europa, e em Portugal apresenta maior concentração em Trás-os-Montes, nos vales do Rio Sabor e Tua. Por sua vez, B. balearica mostra uma distribuição limitada às Ilhas Baleares e ao sul de Espanha. No presente estudo pretendeu-se caracterizar e estabelecer aspetos que contribuam para a distinção das duas espécies, e determinar variações dentro da mesma espécie em resultado de adaptações às condições edafo-climáticas das regiões. Foi realizado um estudo morfo-anatómico em amostras foliares de exemplares respetivos a 18 populações de Buxus, oriundos da Península Ibérica: 6 populações de B. balearica, 6 de B. sempervirens do Sistema Cantábrico (SC) e 6 de B. sempervirens do Sistema Ibérico (Ib). Este estudo incluiu a análise da anatomia foliar e de aspetos morfo-anatómicos relacionados com a economia da água nas folhas. Verificou-se que as espécies apresentam diferenças morfo-anatómicas. A espécie B. balearica apresenta área foliar e massa por unidade de área da superfície foliar (LMA) superiores...

‣ Morfologia foliar de indivíduos jovens e adultos de Caesalpinia echinata Lam. numa floresta semidecídua do Sul da Bahia

Sanches,Maria Cristina; Mielke,Marcelo Schramm; Souza,Clara Sampaio Dias de; Vieira,Antonio José Dias; Lopes,Márdel Miranda Mendes; Silva Júnior,Milton Barbosa da
Fonte: Sociedade de Investigações Florestais Publicador: Sociedade de Investigações Florestais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2009 Português
Relevância na Pesquisa
57.799316%
Caesalpinia echinata Lam. (Caesalpiniaceae) é uma espécie arbórea que ocorre naturalmente no interior da floresta e atinge os estratos superiores do dossel por meio de pequenas clareiras. Objetivou-se, neste estudo, comparar alguns aspectos da morfologia foliar entre indivíduos adultos, cujas folhas se encontravam em pleno sol e jovens no sub-bosque. O estudo foi realizado numa floresta semidecídua, localizada no Município de Jussari, Bahia. Inicialmente, foram localizados e marcados oito indivíduos adultos e oito jovens para cada adulto. Foram coletadas e analisadas oito folhas para cada adulto e três para cada jovem, em duas épocas (setembro/novembro de 2004 e abril de 2005). Em geral, as áreas das folhas, das ráquis e dos folíolos, o comprimento das ráquis, a largura das folhas, o número de pinas e a massa seca das folhas foram significativamente superiores nos indivíduos jovens, ao passo que as massas específicas das folhas e dos folíolos foram significativamente superiores nos indivíduos adultos. Tanto nos adultos quanto nos jovens, nas duas épocas de coleta foram verificadas relações altamente significativas entre a massa seca e a área das folhas. Os resultados indicaram que folhas de C. echinata apresentam características que maximizam a absorção de luz onde este recurso é limitante e...

‣ Comparação da morfologia foliar de espécies arbóreas de três estádios sucessionais distintos de floresta ombrófila densa (Floresta Atlântica) no Sul do Brasil

Boeger,Maria Regina T.; Wisniewski,Celina
Fonte: Sociedade Botânica de São Paulo Publicador: Sociedade Botânica de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2003 Português
Relevância na Pesquisa
68.211%
A morfologia foliar de espécies arbóreas foi investigada em três estádios sucessionais distintos (inicial, intermediário e avançado) de uma floresta ombrófila densa das terras baixas, no litoral do Estado do Paraná, crescendo sobre solo arenoso e oligotrófico. As espécies do estádio inicial apresentaram maior grau de escleromorfismo, com folhas mais espessas, menores em área, maior densidade estomática, maior espessura do parênquima paliçádico e maior incidência de espécies com tecido esclerenquimático em comparação com as espécies dos demais estádios sucessionais (intermediário e avançado). As variações na morfologia foliar ao longo do gradiente sucessional são relacionadas às mudanças microclimáticas e aos processos de interação planta-horizontes orgânicos do solo que se intensificam nos estádios mais avançados.

‣ Variabilidade morfológica foliar de Miconia sellowiana (DC.) Naudin (Melastomataceae) em diferentes fitofisionomias no Estado do Paraná

Boeger,Maria Regina Torres; Gluzezak,Renata Maria; Pil,Maria Wilhelmina; Goldenberg,Renato; Medri,Moacyr
Fonte: Sociedade Botânica de São Paulo Publicador: Sociedade Botânica de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2008 Português
Relevância na Pesquisa
58.15768%
Este estudo investigou a morfologia foliar de Miconia sellowiana, ocorrente em quatro diferentes fitofisionomias: Estepe Gramíneo-Lenhosa (EGL), Floresta Ombrófila Densa Montana (FODM), Floresta Ombrófia Mista (FOM) e Floresta Ombrófila Densa Alto-Montana (FODAM), no Estado do Paraná, Brasil. Ramos de seis indivíduos de cada fitofisionomia foram coletados, sendo selecionadas 20 folhas por indivíduo. A área foliar, massa seca foliar, área foliar específica, densidades de tricomas e de estômatos, espessura da cutícula, espessura total e dos tecidos da lâmina foliar foram analisados. As características morfológicas foliares variaram significativamente para os parâmetros analisados. As folhas de M. sellowiana da EGL e FODAM apresentaram características mais xeromórficas, com os maiores valores médios para densidade estomática e de tricomas, maiores espessuras da cutícula da face adaxial, do parênquima esponjoso e espessura total da lâmina e os menores valores médios para a área e massa seca foliar e área foliar específica. A análise de variância e a análise dos componentes principais detectaram um gradiente de mesofilia/xeromorfia entre as quatro fitofisionomias: FOM>FODM>EGL>FODAM. Aparentemente, as diferenças encontradas estão associadas com vários fatores ambientais...

‣ Morfologia e anatomia foliar de Bauhinia curvulha Benth. (Leguminosae-Caesalpinioideae)

Rezende,Maria Helena; Cardoso,Lucidalva Alves; Vannucci,Antonio Luciano
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/1994 Português
Relevância na Pesquisa
47.99584%
Foi realizado o estudo morfológico e anatômico da folha de Bauhinia cumula Benth., espécie de cerrado. As observações foram feitas em folhas adultas, tratadas segundo a metodologia usual utilizada em anatomia vegetal. Foi observado que a espécie apresenta as seguintes características: folhas bilobadas cuja incisão foliar chega próximo à região motora; um par de estipulas membranáceas; um par de nectários extraflorais, localizadaos na base do pulvino proximal; a venação possui padrão acródomo; o pecíolo, que possui dois pulvinos, um proximal e um distai, apresenta epiderme contendo grande quantidade de tricomas tecto res simples e glândulas; a lâmina foliar é anfiestomática com predomínio de estômatos dos tipos anomocítico e paracítico; a epiderme adaxial é monoestratificada, subpapilosa, desprovida de tricomas tectores simples e glândulas; a epiderme abaxial é subpapilosa, apresentando numerosos tricomas tectores simples e glândulas; e o mesofilo é formado predominantemente por parênquima paliçádico.

‣ Efeitos da radiação ultravioleta-B sobre a morfologia foliar de Arabidopsis thaliana (L.) Heynh. (Brassicaceae)

Boeger,Maria Regina Torres; Poulson,Mary
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2006 Português
Relevância na Pesquisa
58.235483%
A redução da camada de ozônio resulta no aumento da radiação ultravioleta que atinge a superfície terrestre, especialmente a radiação ultravioletaB (UV-B). O aumento da radiação poderá induzir a mudanças estruturais e fisiológicas nas plantas, influenciando no seu crescimento e desenvolvimento. O objetivo deste trabalho foi determinar os efeitos da radiação UV-B ambiente sobre a morfologia das folhas de Arabidopsis thaliana desenvolvidas em condições controladas. As sementes de A. thaliana cresceram em câmaras de crescimento, com 300 µmol m-2s-1 de radiação fotossinteticamente ativa (PAR) com ou sem 6 kJ m-2 s-1 de radiação UV-Bbe (UV-Bbe; UV-B biologicamente efetiva). Após 21 dias, 10 folhas de cada tratamento (com e sem radiação UV-B) foram coletadas para avaliar área foliar, massa fresca e seca, AEF, densidades estomáticas e de tricomas de ambas as faces da folha, espessura da lâmina foliar e concentração de compostos fenólicos e de clorofila total, a e b. As folhas tratadas com radiação UV-B apresentaram menor área foliar, massa fresca e seca, densidade de tricomas na face adaxial e densidade de estômatos na face abaxial da folha. Entretanto, apresentaram os maiores valores médios de espessura total da lâmina e do mesofilo...

‣ Nervação foliar em espécies brasileiras de Myrtaceae Adans

Cardoso,Cristiano Marcelo Viana; Sajo,Maria das Graças
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2006 Português
Relevância na Pesquisa
47.568403%
Com o objetivo de caracterizar o padrão de nervação foliar na subfamília Myrtoideae Nied. (Myrtaceae) bem como de reconhecer caracteres particulares a cada subtribo, foram estudadas as folhas de 44 espécies, pertencentes às subtribos Myrtinae (nove gêneros), Myrciinae (cinco gêneros) e Eugeniinae (oito gêneros). Foi observado que, embora o padrão camptódromo-broquidódromo seja o dominante entre as espécies, o padrão misto acródromo-broquidódromo também se encontra presente. Para cada uma das espécies foi descrito o padrão secundário de nervação, o de nervação última marginal, o de nervação terciária, o tipo de aréola, bem como a presença ou ausência de nervura intramarginal.

‣ Arquitetura foliar comparativa de Miconia sellowiana (DC.) Naudin (Melastomataceae) em diferentes fitofisionomias no Estado do Paraná, Brasil

Boeger,Maria Regina Torres; Biu,Ciane; Goldenberg,Renato
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2009 Português
Relevância na Pesquisa
47.64777%
Estudos prévios sobre M. sellowiana, em quatro fitofisionomias no Estado do Paraná, Brasil, mostraram que suas folhas apresentaram uma grande plasticidade morfológica. Este trabalho objetivou dar continuidade ao estudo sobre a plasticidade da espécie, utilizando como indicadores as seguintes características foliares: área e massa, massa específica, espessura, ângulo, comprimento, diâmetro, porcentagem do tecido mecânico e volume do pecíolo, distâncias entre veias e densidade de venação. A análise dos componentes principais (ACP) mostrou que os dois primeiros componentes explicaram 78% da variância total. O componente principal 1 (CP1), representado pelos ângulo foliar, distância da veia principal até a margem, comprimento do pecíolo, densidade de venação, massa específica e massa seca foliar, explicou 56,06% da variância total, enquanto que o componente principal 2 (CP2), representado pela área foliar, explicou 12,62% da variância total. O CP1 mostrou dois agrupamentos: um entre os indivíduos da Floresta Ombrófila Mista e Floresta Ombrófila Densa Montana e outro entre os indivíduos da Estepe Gramíneo-Lenhosa e Floresta Ombrófila Alto-Montana. Para o CP2, a distribuição é mais homogênea entre as quatro fitofisionomias estudadas. A ACP sugere o mesmo gradiente mesomórfico-xeromórfico encontrado nos estudos anteriores para M. sellowiana...

‣ Morfo-anatomia foliar de Ocotea gardneri (Meisn.) Mez (Lauraceae-Lauroideae)

Coutinho,Denise F.; Agra,Maria de Fátima; Barbosa-Filho,José M.; Basílio,Ionaldo J.L. Diniz
Fonte: Sociedade Brasileira de Farmacognosia Publicador: Sociedade Brasileira de Farmacognosia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2006 Português
Relevância na Pesquisa
47.916475%
Ocotea gardneri (Meisn.) Mez é uma espécie arbórea, encontrada no nordeste brasileiro, principalmente nos estados da Paraíba e Pernambuco, conhecida por "louro-branco" e "louro-babão". Neste trabalho realizou-se morfodiagnoses (macroscópica e microscópica) de folhas de O. gardneri, com o objetivo de fornecer subsídios à sua caracterização e identificação. Para a morfologia externa, analisaram-se amostras frescas e conservadas em álcool (70º), com auxílio de estereomicroscópio, e observações de campo. Realizaram-se secções transversais em lâminas foliares e pecíolos, e seções paradérmicas nas duas faces de lâminas foliares. Ocotea gardneri possui folhas elípticas a oval-elípticas, margem inteira, levemente ondeada, ápice agudo e base arredondada. A lâmina foliar é hipoestomática com estômatos do tipo paracítico; a epiderme é uniestratificada, com células de paredes retas e espessadas; o mesofilo é isobilateral, aqui referido pela primeira vez para uma espécie de Lauraceae, com células e ductos secretores evidentes e feixes vasculares colaterais envolvidos pela bainha esclerenquimática. Este conjunto de caracteres aliado à morfologia foliar, permitiram o estabelecimento de parâmetros que possibilitarão a caracterização de folhas de Ocotea gardneri em testes de autenticidade...

‣ Morfologia foliar e aspectos nutricionais de espécies arbóreas em três estádios sucessionais de floresta ombrófila densa das terras baixas, Paranaguá, PR

Boeger, Maria Regina Torres, 1960-
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
47.98164%
Este estudo é parte de um projeto mais amplo desenvolvido no litoral paranaense, no Parque Estadual do Palmito. Município de Paranaguá, PR cujo objetivo foi avaliar comparativamente o sistema vegetação-solo em três áreas com diferentes idades (14, 27 e 52 anos após corte raso e utilização agrícola por três anos), caracterizando três estádios sucessionais distintos da floresta Ombrófila Densa das Terras Baixas sobre Podzol não hidromórfico. O trabalho aqui apresentado teve como objetivo maior investigar a morfologia folias e o conteúdo de nutrientes foliares das espécies arbóreas que compõem os três diferentes estádios sucessionais acima citados, utilizando a folha como indicador morfológico, associando a ocorrência do escleromorfismo foliar com as condições edáficas já estudadas. Para isso foram selecionadas 4 espécies arbóreas na área de 14 anos, 8 na área de 27 anos e 11 na área de 52 anos, tendo como critério de escolha o Valor de Importância de cada espécie, conforme os levantamentos fitossociológicos anteriores. Foram coletadas folhas de sol de 5 indivíduos de cada espécie para a análise dos seguintes parâmetros: descrição morfológica e anatômica folias, incluindo mensurações dos tecidos...

‣ Crescimento inicial e morfologia foliar em plantas de Enterolobium contortisiliquum (Vell.) Morong. E Erythrina velutina Mart. ex Benth, sob estresse hídrico

Dantas, Sebastião Gilton
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências Florestais; Ciências Florestais; Manejo e Utilização dos Recursos Florestais Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências Florestais; Ciências Florestais; Manejo e Utilização dos Recursos Florestais
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
47.916475%
The Caatinga is the predominant vegetation type in semi-arid region of Brazil, where many inhabitants depend on hunting and gathering for survival, obtaining resources for: food and feed, folk medicine, timber production, etc. It‟s the dry ecosystem with highest population density in the world. The early stages of development are the most critical during the life cycle of a flowering plant and they‟re primordial to its establishment in environments exposed to water stress. Information about adjustments to the growth of the species, correlated with their studies of distribution in Seridó oriental potiguar, are an important ecological and economic standpoint, because they provide subsidies for the development of cultivation techniques, to programs of sustainable use and recovery of degraded areas. This thesis aimed to study the initial growth and foliar morphology in plants like Enterolobium contortisiliquum (Vell.) Morong. (tamboril) and Erythrina velutina Mart. ex Benth (mulungu), species of occurrence in the Caatinga, under water stress. After sowing and emergency, the seedlings were exposed to three water regimes: 450 (control), 225 (moderate stress) and 112.5 (severe stress) mm of water slide for 40 days. Seeding occurred in bags of 5 kg and after the establishment of seedlings thinning was carried out leaving a plantlet per bag. At the beginning the waterings occurred daily with distilled water...

‣ Variação na estrutura foliar de Mikania glomerata Spreng. (Asteraceae) sob diferentes condições de luminosidade

Espindola Junior,Ari; Boeger,Maria Regina Torres; Maccari Júnior,Agenor; Reissmann,Carlos Bruno; Rickli,Fernanda Lessa
Fonte: Sociedade Botânica de São Paulo Publicador: Sociedade Botânica de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 Português
Relevância na Pesquisa
47.832007%
As variações estruturais foliares de Mikania glomerata Spreng. foram investigadas em distintas condições de luminosidade (pleno sol, meia-sombra e sombra; 100%, 26,4% e 13,8% de intensidade luminosa, respectivamente) associadas a diferentes tipos de coberturas vegetais numa região de Floresta com Araucária, Município de Castro, PR (25°50'64"S e 49°43'69"W). Este estudo buscou subsidiar os produtores de plantas medicinais na escolha da melhor condição de luz para plantio, gerando informações sobre o potencial das plantas medicinais na recomposição e manejo do sub-bosque da área. Após dois anos de crescimento nos tratamentos, 37 folhas foram coletadas em cada tratamento, para a análise de massa foliar fresca e seca, teor de água, área foliar, área foliar específica, densidade de estômatos e de tricomas, espessura da lâmina e pecíolo e concentração de clorofila. Os maiores valores médios de massa foliar fresca, teor de água, área foliar e área foliar específica ocorreram nas folhas do tratamento sombra, enquanto a densidade estomática e de tricomas e a espessura da lâmina apresentaram maiores valores nas folhas do tratamento pleno sol. A análise dos componentes principais mostrou uma similaridade entre as folhas do tratamento meia-sombra e pleno sol...

‣ Structural variation of leaves of medicinal species associated with “erva-mate”, under different light intensities; VARIAÇÃO ESTRUTURAL FOLIAR DE ESPÉCIES MEDICINAIS EM CONSÓRCIO COM ERVA-MATE, SOB DIFERENTES INTENSIDADES LUMINOSAS

Boeger, Maria Regina Torres; UFPR; Espíndola Júnior, Ari; Maccari Júnior, Agenor; Reissmann, Carlos Bruno; UFPR; Alves, Ana Cristina Atala; Rickli, Fernanda Lessa; UEPG
Fonte: FUPEF DO PARANÁ Publicador: FUPEF DO PARANÁ
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 27/03/2009 Português
Relevância na Pesquisa
47.70509%
O objetivo deste estudo foi analisar a estrutura foliar de quatro espécies medicinais (Bauhinia forficata, Maytenus ilicifolia, Mikania glomerata e Vitex megapotamica) consorciadas com Ilex paraguariensis (erva-mate), em três condições de luz, para fornecer subsídios do melhor regime de luz para o cultivo dessas espécies. Na fazenda Capão Bonito, município de Castro, PR, o experimento foi realizado com três tratamentos de luz: 100% (pleno sol), 26,23% (meia-sombra) e 13,83% (sombra) de luminosidade. Comparando-se as características morfológicas entre os três tratamentos e as espécies estudadas, M. ilicifolia, V. megapotamica e B. forficata apresentaram os mesmos padrões de variação, excetuando-se a área foliar em B. forficata, a espessura do parênquima paliçádico em M. ilicifolia e a concentração de clorofila, que foi diferente entre as três espécies. M. glomerata foi a espécie com maior plasticidade foliar, com exceção da concentração de clorofila. Os valores médios de AEF indicaram que o tratamento sombra é o que oferece maior biomassa por unidade de área...

‣ Relación entre morfología foliar de antófitos y factores abióticos en las principales pluvisilvas de la Región Oriental cubana

Martínez Quesada,Eddy
Fonte: Revista de Biología Tropical Publicador: Revista de Biología Tropical
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2009 Português
Relevância na Pesquisa
68.0988%
Se estudió la morfología foliar de los antófitos que son representativos de cuatro tipos de pluvisilvas de la Región Oriental de Cuba y se relacionó con los principales factores abióticos. Se encontró que existen varios tipos de hojas, pero predominó la micrófila en las especies endémicas y la mesófila, en las no endémicas. En la epidermis foliar se hallaron estructuras que son características de plantas mesomórficas y algunas xeromórficas, pero también se observaron otras que permiten una adaptación a las condiciones de alta humedad atmosférica, las que se consideraron higromórficas.

‣ Morfoanatomía foliar de Alvaradoa amorphoides Liebm. del estado de Morelos, México

Jaramillo-Pérez,Ana Teresa; Quintanar-Isaías,Alejandra; Fraile-Ortega,María Eugenia; Martínez-Bernal,Angélica; Sepúlveda-Sánchez,José David
Fonte: Instituto Politécnico Nacional, Escuela Nacional de Ciencias Biológicas Publicador: Instituto Politécnico Nacional, Escuela Nacional de Ciencias Biológicas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2015 Português
Relevância na Pesquisa
47.916475%
Se describen las características anatómicas y morfológicas de la hojas compuestas de Alvaradoa amorphoides Liebm. procedente de una selva baja caducifolia ubicada en el municipio de Tlaquiltenango, Morelos, México. Las hojas se fijaron y se prepararon para obtener secciones transversales, longitudinales y paradermales en un criostato Leica a -20°C. Se tiñeron con safranina-azul alciano y azul de toluidina; se deshidrataron y montaron con resina. Se siguieron los protocolos de diafanización para describir la arquitectura foliar. Para las descripciones anatómicas y morfológicas se midieron: los pecíolos y peciólulos, la lámina, los pelos, las células epidérmicas y los parénquimas en empalizada y esponjoso. A los caracteres mensurables se les aplicaron los siguientes análisis: de varianzas de una vía o en su caso pruebas no paramétricas. Se registraron datos de ψx y valores de conductancia estomática. Los resultados muestran: hojas compuestas y pubescentes imparipinnadas con filotaxis helicoidal, con venación broquidódroma festonada. Hojas bifaciadas hipostomáticas, con estomas anomocíticos y hundidos en cámaras pre-estomáticas con células epidérmicas modificadas en papilas. El peciólulo es móvil, presenta parénquima cortical con drusas y depósitos de origen polifenólico. Los valores de ψh fueron del orden de -3.29 y -2.01 MPa registrados en junio y septiembre respectivamente. Se observó que aunque la morfología de la epidermis y el movimiento foliar reducen el área de exposición de la hoja a la radiación solar directa...